CLIQUE NAS IMAGENS E CONFIRA DESTAQUES DO BLOG

UNIMED AGRESTE MERIDIONAL

DIVULGUE SUAS ATIVIDADES NO BLOG: CONTATO (87) 9.9988.0423

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E SAIBA MAIS

terça-feira, 23 de março de 2010

A Igreja Heliocêntrica de Hélio Schwartsman

Este artigo foi escrito pelo articulista da Folha de São Paulo em 03/12/2009, e tem se espalhado por todo o país alertando para a facilidade que é abrir uma igreja no Brasil, os trâmites e a série de regalias tributárias que ajudam a alastrar um mundo de casas religiosas por todas as cidades. É claro que temos as igrejas sérias, que professam a fé em Deus e que merecem o respeito de todos, mas precisamos estar atentos e descobrir a diferença destas para aquelas que somente querem a autorização do estado para ludibriarem o povo simples através da sua fé. O artigo completo está no link ao final deste trecho.

.

O primeiro milagre do heliocentrismo  - Hélio Schwartsman

.............Eu, Claudio Angelo, editor de Ciência da Folha, e Rafael Garcia, repórter do jornal, decidimos abrir uma igreja. Com o auxílio técnico do departamento Jurídico da Folha e do escritório Rodrigues Barbosa, Mac Dowell de Figueiredo Gasparian Advogados, fizemo-lo. Precisamos apenas de R$ 418,42 em taxas e emolumentos e de cinco dias úteis (não consecutivos). É tudo muito simples. Não existem requisitos teológicos ou doutrinários para criar um culto religioso. Tampouco se exige número mínimo de fiéis.
Com o registro da Igreja Heliocêntrica do Sagrado Evangélio e seu CNPJ, pudemos abrir uma conta bancária na qual realizamos aplicações financeiras isentas de IR e IOF. Mas esses não são os únicos benefícios fiscais da empreitada. Nos termos do artigo 150 da Constituição, templos de qualquer culto são imunes a todos os impostos que incidam sobre o patrimônio, a renda ou os serviços relacionados com suas finalidades essenciais, as quais são definidas pelos próprios criadores. Ou seja, se levássemos a coisa adiante, poderíamos nos livrar de IPVA, IPTU, ISS, ITR e vários outros "Is" de bens colocados em nome da igreja.
Há também vantagens extratributárias. Os templos são livres para se organizarem como bem entenderem, o que inclui escolher seus sacerdotes. Uma vez ungidos, eles adquirem privilégios como a isenção do serviço militar obrigatório (já sagrei meus filhos Ian e David ministros religiosos) e direito a prisão especial... (continua)


VEJAM MAIS EM
http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/helioschwartsman/ult510u660688.shtml

.
Agora comigo: Eu tenho uma opinião e não sei se é certa. Eu acho que igreja tem que funcionar em prédio que foi construído pra ser igreja. Sempre achei muito inconsistente se abrir igreja onde já se funcionou um comércio. Mas vivemos em um país de liberdade religiosa e onde todos têm o direito de frequentar suas igrejas, templos, cultos, reuniões, etc, sejam elas quais forem. E devemos respeitar isso sob pena de macular a liberdade constitucional.

CULTURA – Festa Quilombola do Sítio Estrela

Com o objetivo de preservar a celebração da ancestralidade negra e revitalizar os laços culturais do povo de Estrela, a comunidade quilombola do Sítio Estrela, localizada a 17 km do centro de Garanhuns, contando com o apoio institucional da Prefeitura de Garanhuns, vivencia, de 22 a 28 deste mês, a terceira edição da Festa do Quilombo Estrela.
A programação teve início nesta segunda-feira, dia 22, com oficinas direcionadas ao artesanato em madeira, teatro e áudio visual, seguindo até o dia 25. Na sexta-feira, dia 26, acontece a Missa de Abertura e mostras das oficinas com apresentação teatral e mostra de artesanato. Os alunos da oficina de áudio visual farão captação de imagens para gravar em DVD a Festa da Comunidade. Além disso, apresentações culturais com representação de todas as comunidades quilombolas de Garanhuns e shows também fazem parte da programação.
A comunidade quilombola de Estrela hoje conta com 130 famílias. Além dela, o Município também abriga as comunidades quilombolas do Caluête, Castainho, Estivas, Tigre e Timbó.

PROGRAMAÇÃO 

De 22 a 25 de março
Das 8h às 12h
- Oficina de Artesanato em Madeira
- Oficina de Teatro
- Oficina de Audiovisual

Dia 26 de março
16h – Missa de abertura
18h 30 min – Mostra da Oficina de Teatro
19h 30 min – Mostra da Oficina de Audiovisual

Dia 27 de março
20h – Quilombo Axé
21h – Negra Atitude
21h 30 min – Oba Aiê
22h 20 min – Grupo Afro Estrela
23h – Banda de Pífanos Folclore Verde
00h – Lábios Divididos

Dia 28 de março
19h – Mestre Juarez e a Terra da Lua
21h – Estrela do Forró
21h 30 min – Nação Negra
22h 20 mim – Djair e Banda

Garanhuns Jazz Festival comemora sucesso com novo evento!

Os realizadores do Garanhuns Jazz Festival estarão comemorando o recebimento do primeiro lugar no prêmio Mestre Salustiano. Será no Spirit em Recife, dia 14 de abril, e contará com as presenças do americano Larry McCray, Blues Special Band, Jefferson Gonçalves e Uptown Band, do idealizador Gievanni Papaleo. O evento promete marcar os preparativos para o Garanhuns Jazz Festival do carnaval do próximo ano. Cliquem sobre o cartaz para abrir em formato maior.

Garanheta - Prefeitura descarta realização

A prefeitura de Garanhuns acaba de divugar uma nota oficial em que descarta a volta da Garanheta. Os principais argumentos são a violência, o consumo de bebidas e drogas e a falta de retorno econômico para a cidade. Transcrevemos:
.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GARANHUNS

NOTA OFICIAL

Em virtude do surgimento de informes veiculados em emissoras de Rádio quanto a volta da realização do evento denominado de Garanheta, a Prefeitura Municipal de Garanhuns torna público que não há projetos públicos para este fim, bem como, informa que o Governo Municipal não apóia tal iniciativa, sendo, inclusive, terminantemente contrário a volta da realização da Festividade, decisão tomada após reunião envolvendo todos os membros (Prefeito, Vice-prefeito, Secretários Municipais e Presidentes de Autarquias Municipais) deste Governo Municipal.

Tal posição se justifica no considerável acréscimo nos índices de violência e consumo de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas durante o período de realização da Festividade, fato apresentado por autoridades policiais; assim como pelos altos investimentos públicos para o fim, aliado a falta de retorno financeiro para o comércio local, posição esta, apresentada por Órgãos que representam a classe empresarial de Garanhuns.

Portanto, a Prefeitura Municipal de Garanhuns sequer cogita a possibilidade do Governo Municipal voltar a realizar o evento denominado de Garanheta, por acreditar que ele não contribui para o desenvolvimento sócio, econômico e cultural do Município de Garanhuns.

Garanhuns-PE, 23 de março de 2010.

LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
Prefeito de Garanhuns

Festa Paschalia no Diário de Pernambuco

Bolo dividido // Garanhuns também quer brigar pelo bolo da Semana Santa, que Fazenda Nova degusta praticamente sozinha desde a inauguração da cidade-teatro, em 1968. Para a Festa Paschalia (1 a 3 de abril), leva ao palco do Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, a partir das 16h, boas atrações como a banda Sagrama, a Camerata Pernambuco e a Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório Pernambucano de Música. (Diário de Pernambuco)
Clique sobre a imagem e imprima. É a programação completa da Festa Paschalia. Todos os shows terão entrada gratuita.
.

Comentários sobre os Cassinos

Desde o primeiro momento em que colocamos aqui a ideia do deputado Sílvio Costa em que propôs que Garanhuns viesse a ser a cidade dos Cassinos no Nordeste Brasileiro, caso o Congresso Nacional libere o funcionamento da atividade no país, dissemos que é um tema polêmico, que precisa ser discutido com a nossa sociedade e que, se ele já pensava assim, poderia ter ouvido nossos representantes antes de se expressar e virar notícia no Jornal Agora São Paulo. Mas isso não quer dizer que devamos expurgar de imediato sem de fato saber como se dará isso. Claro, que pelo modelo político brasileiro, os cassinos podem virar grandes redes de lavagem de dinheiro ou patrocínio ao crime, mas pode também se tornar grandes investimentos turísticos colocando as cidades na rota internacional do turismo, de fato o tema é novo e tudo ainda gira na base da especulação. Procurei bastante informação na internet sobre o assunto. A ideia dos Cassinos é defendida pelos representantes da indústria turística/hoteleira nacional. Será que realmente devemos nos esquivar sem nem dar ouvidos ao que de fato isso pode gerar? E se outras cidades aceitarem o investimento? Cidades como Triunfo, Petrolina ou Gravatá também têm o perfil de se receberem os Cassinos por serem instâncias turísticas. Por que não estudar os lugares onde os Cassinos se tornaram fonte de crescimento econômico regional? De fato é uma discussão para o futuro, pois não há nenhuma sinalização de que os Cassinos serão liberados no país, eu particularmente acho muito difícil, e não sei se é interessante diante de tanta discussão sobre o potencial transgressivo que é argumentado, mas não custa ficar atento. Para nortear essa discussão, reproduzo interessantes comentários de amigos leitores do blog, pessoas que pensam Garanhuns.
E este link dá para uma página de turismo que traz os melhores cassinos do mundo. Punta Del Este, Caribe, Europa e.. Claro.. Las Vegas!
http://turismo.ig.com.br/destinos_internacionais/2008/11/18/os_melhores_cassinos_do_mundo_2120014.html
.
Cândido - Acredito ser essa uma idéia a ser cultivada de agora em diante. Por que não cassino em Garanhuns? Caso seja permitido através de PEC e posterior regulamentação, isto poderá transformar a cidade e região. O mal não é ter cassinos, que com certeza ficará circunscrito a algumas cidade com potencial para tal, mas como funcionarão. A regulamentação disciplinará, com certeza, o funcionamento caso seja modificada a constituição. Esperemos para ver.
.
Audálio Filho - Além da mania de tentar resolver problemas por Leis, PECs, etc. vemos o simplismo dos que não querem enxergar a verdade: a jogatina viciante dos cassinos traz por trás o crime organizado, a lavagem de dinheiro dos assaltantes de bancos e dos cofres públicos. Esperamos que pelo menos desta vez o Congresso seja sensato e rejeite esta idéia estaparfúdia: querer gerar empregos e arrecadação de impostos via institucionalização do crime: então cobrem logo impostos do tráfico de drogas - também gera empregos e também decadência moral e social.
.
Roberto Almeida - Cuba na ditadura de Fulgêncio Batista era um bordel onde os americanos iam se deleitar nas belas praias e jogar nos cassinos. Garanhuns contemplada com essas casas atrairia jogadores, dinheiro, prostitutas de luxo, corrupção e violência. É um aburdo esse deputado fazer tal proposição sem consultar ninguém do município. Ou conversou com alguém já pensando em dividir os lucros?
.
Alcindo Menezes - Posicionar-se a favor ou contra a questão dos cassinos, considero precipitado, o que Audálio diz é verdade no contexto atual do país que é muito fraco na fiscalização das atividades produtívas. Entretanto há bons resultados sócio-econômicos com a atividade dos cassinos, principalmente o impacto na indústria do turísmo em países da europa e até no caribe. Acho que havendo a possibilidade, é necessário um melhor debate em Garanhuns, antes de recusar ou aceitar a idéia!
.
Jeová Barros Jr.- A questão é muito polêmica, tanto no que concerne ao cenário nacional quanto no que diz respeito ao cenário local, ou seja, a nossa amada Garanhuns. A liberalização dos bingos e jogos de azar vai ser um parque de diversão para o crime organizado, uma vez que facilita, e muito, a lavagem de dinheiro. Viraremos, pois, a lavanderia Brasil. Quanto a Garanhuns ser o local ideal dos cassinos, ficamos com a indagação dos custos e benefícios que advirão pra cá. Como já foi falado, alguém perguntou a gente se os queremos?! Ou vão nos empurrar goela abaixo, como aconteceu com a penitenciária feminina?! Isso vale uma boa discussão!

Os maiores públicos do Campeonato Pernambucano

fonte: Blog dos números

Festival Pernambuco Nação Cultural 2010 começa em Goiana

O mês de março inaugura a temporada 2010 do Festival Pernambuco Nação Cultural, um período de celebrações em todas as regiões do Estado, que tem como característica a diversidade de manifestações artísticas. A partir do dia 24 deste mês até o dia 13 de dezembro, o pernambucano contará com um cardápio cultural repleto de atrações, discussões sobre política cultural, entre outras atividades. Ao todo, haverá nada menos que 11 festivais, totalizando 75 dias de programação com oficinas, fóruns, shows, espetáculos cênicos, recitais mostras de cinema e performances artísticas.
Esse formato, realizado pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), faz parte da política de difusão cultural do Estado cujo objetivo é interiorizar as ações do Governo na área da cultura, garantindo um desenvolvimento sustentável.
E a primeira parada dessa grande celebração cultural será no município de Goiana, na Mata Norte, a terra dos caboclinhos. A festividade, com foco na cultura popular, ocorre entre os dias 24 e 30 de março. Em seguida, vem a etapa do Sertão Central, mais precisamente no município de Festival é São José do Belmonte. O local serviu de inspiração para Ariano Suassuna escrever seu romance d’A Pedra do Reino e, por isso, é lá que a festa, entre os dias 24 a 30 de maio, tem foco na Literatura. Entre as manifestações típicas, pode-se destacar a Cavalgada da Pedra do Reino e a Cavalhada.
O terceiro município a receber o Pernambuco Nação Cultural é Garanhuns, no Agreste Meridional, considerado o pólo agregador de todas as linguagens culturais e o mais importante festival cultural do Estado. É assim há 19 anos, quando foi fundado, e continua, até hoje, a reunir milhares de pessoas durante 10 dias ininterruptos. A celebração de 2010 já tem data marcada: será entre os dias 15 e 24 de julho. As cerca de 1 milhão de pessoas que visitam a Cidade das Flores nesse período já sabe o que as esperam: além de clima ameno, uma infinidade de atrações, desde shows de música erudita, instrumental e pop, até peças de teatro, mostras de cinema, recitais de poesia, espetáculos de cultura popular e performances artísticas. Tudo de graça.
O Festival Pernambuco Nação Cultural prossegue e pede parada no Sertão do Pajeú, na charmosa cidade de Triunfo, a cerca de 1.200 m acima do nível do mar. Acolhedora, a cidade recebe turistas de todas as partes do estado para festejar a tradicional Festa dos Estudantes e, em seguida, a terceira edição do Festival de Cinema de Triunfo, que ocorrem a partir do dia 23 de julho até 1º de agosto. As atividades serão realizadas em torno da temática do audiovisual.
Pesqueira, no Agreste Central, a terra do doce e da renda, terá como foco o artesanato. E é justamente a Renascença, o tipo de renda mais produzido na cidade, que empresta nome ao principal evento da região. A data da Festa da Renascença é entre 2 e 8 de agosto. No Agreste Setentrional, o Festival aporta em Taquaritinga do Norte, entre os dias 9 e 15 de agosto. É a Festa das Dálias, que concentra suas atividades na área de moda e design.
Gravatá, também no Agreste Central, vem na sequência, com a Festa da Estação, entre os dias 16 a 22 de agosto. Nessa etapa, gastronomia, artes plásticas e artesanato são destaque.
No mês de setembro, a Fundarpe convoca todos os pernambucanos a conhecerem uma das regiões mais prósperas do estado: o Sertão do São Francisco. É lá que se encontra a movimentada cidade de Petrolina, que abriga a Festa da Primavera, entre os dias 20 e 26 de setembro. Conhecida pelos vinhedos e plantações de frutas tropicais, irrigados com a água do Velho Chico, o município será brindado com várias atrações de artes cênicas.
Na Mata Sul, Palmares sedia a maratona cultural da Fundarpe, unindo o Festival Pernambuco Nação Cultural ao tradicional Forromares. De 18 a 24 daquele mês, a terra do poeta Ascenso Ferreira não terá somente a como foco literatura, mas também a música, especialmente o forró. No mês de novembro, a festa volta ao Sertão, na região de Itaparica, para, entre os dias 16 a 21, a população comemorar a Festa das Etnias. Será a ocasião para se celebrar as culturas indígena e quilombola.
E para fechar o ciclo de festividades, discussões e atividades culturais, o Festival chegará à última etapa de 2010, no município de Exu, no Sertão do Araripe, onde nasceu e foi criado o Rei do Baião, Luiz Gonzaga. Forró não pode faltar nessa festa, que vai de 6 a 13 de dezembro, data do aniversário de nascimento de Gonzagão. Outro ponto que merece destaque é o artesanato em couro, que também será valorizado por meio de realização de oficinas.
.
com informações do site da Fundarpe

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

SIGA O BLOG

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.