GOVERNO DO ESTADO AÇÃO

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

UNOPAR GARANHUNS

FORAM DESTAQUES DO BLOG. CLIQUE E CONFIRA!

UNIMED AGRESTE MERIDIONAL

domingo, 9 de maio de 2010

JC - "Padre Hosana - A história reescrita"


O Jornal do Commercio traz neste domingo, 09 de maio, uma reportagem de página inteira sobre o caso do assassinato do Bispo de Garanhuns Dom Expedito Lopes pelo Padre Hosana. O caso teve grande repercussão e neste momento em que se investiga a vida do bispo com a possibilidade de transformá-lo em santo no futuro, qualquer nova interpretação daqueles dias ganha os holofotes de todos que estudam aqueles acontecimentos. Aconselho a todos adquirirem o Jornal deste domingo. (E claro, de todos os dias!)
Voltaremos ao assunto. 

Dica de um bom filme - GUERRA AO TERROR

Para um grupo de soldados americanos, alguns dias os separam do retorno para casa. Um período relativamente curto, se não fosse por tantas ocorrências que transformassem esse fim de jornada em um verdadeiro inferno. As forças armadas precisam de especialistas não só nos campos de combate mas também no dia a dia, na proteção do grupo contra insurgentes que promovem atentados, matando milhares de cidadãos. Conheça a dura realidade destes soldados e descubra que, ao contrário do que todos eles pensam, a luta jamais terminará...



A LOCNET leva o filme na sua casa e vai buscar amanhã. Acesse nosso site:

http://www.loc-net.blogspot.com/
.

Vejam que belo vídeo em homenagem às mães

Um sensível e belo comercial da Caixa Econômica mostra o orgulho de uma mãe com seu filho na Orquestra Criança Cidadã. Com este vídeo, desejamos a todas as mães, um maravilhoso dia! Nós, filhos, também temos orgulho de vocês!

A letra fria e os espíritos mutilados - Por Jeová Barros Jr.

Este é o terceiro domingo que publicamos artigos do jovem advogado Jeová Barros Jr. Parece-nos uma história de três prazeres. Aqui do blog, pois com seu texto enriquece nosso conteúdo. Dos nossos leitores, que têm acesso a um texto bem escrito e derivado de pesquisa. E do próprio autor, que encontra através do nosso veículo o seu leitor, a interação entre sua boca e os ouvidos dos nossos leitores.
Temos a certeza que colocar no papel o resultado de ponderações depois de estudos é um prazer e uma responsabilidade, que com inteligência Jeová tem nos ofertado. Abraço amigo! Vamos ao artigo deste domingo!
.


A letra fria e os espíritos mutilados - (Ditadura e Literatura)



O Direito, felizmente, não é apenas a lei: não é um punhado de letras colocadas num papel branco que, no conhecido ditado popular, aceita tudo. Fala-se até, em linguagem bíblica, que “a letra mata, mas o espírito vivifica”, ou seja, o espírito traz vida, foi isso que o apóstolo Paulo escreveu.

Eu quero, por hoje, abandonar aquela letra fria da lei, para tratar da dimensão humana do Direito, a dimensão dos dramas do ser humano, em tempos de ditadura. Vou fazer isso por meio da literatura. Quero tentar – tentar, somente, pois não podemos sentir as dores dos torturados nem podemos sentir as saudades dos que ficaram esperando pelos seus desaparecidos – traduzir como os espíritos dos torturados e assassinados foram mutilados.

Vou solicitar a ajuda do escritor uruguaio Eduardo Galeano, autor do aclamado e tão conhecido livro “As veias abertas da América Latina”, em relato que ele faz em um outro filho (digo, livro) dele, o qual se chama “Memórias do Fogo”. São três volumes, nos quais ele reuniu pequenos relatos, contando lindas histórias da nossa gente latino-americana; os relatos, que passo a transcrever, estão no último volume dessa coletânea.

Espero que, nesse domingo, as palavras escritas por Galeano não só tornem a nossa manhã mais humana, mas que aqueça a alma e acenda uma chama no nosso espírito, como se fossem relatos contados, ao redor de uma fogueira, esquentando e acalentando nossas memórias e sentimentos.

Lembram-se que eu mencionei, no domingo passado, do movimento das “Vós da Praça de Maio? Trago-as de volta... Segue abaixo; agora é com o Galeano.

AS MÃES DA PRAÇA DE MAIO

As Mães da Praça de Maio, mulheres paridas por seus filhos, são o coro grego dessa tragédia. Segurando as fotos de seus desaparecidos, dão voltas e voltas na pirâmide, em frente à rosada casa de governo, com a mesma obstinação com a qual peregrinaram por quartéis e delegacias e sacristias, secas de tanto chorar, desesperadas de tanto esperar os que estavam e já não estão, ou talvez, continuem estando; quem sabe?

-- Acordo e sinto que está vivo! – diz uma, dizem todas. –Vou-me esvaziando enquanto avança a manhã. Morre ao meio-dia. Ressuscita de tarde. Então, torno a acreditar que chegará e de noite caio dormindo sem esperança. Acordo e sinto que está vivo...

São chamadas de loucas. Normalmente não se fala delas. Normalizada a situação, o dólar está barato e certa gente também. Os poetas loucos vão para a morte e os poetas normais beijam a espada e cometem elogios e silêncios. Com toda normalidade, o ministro de Economia caça leões e girafas nas selvas africanas e os generais caçam trabalhadores nos subúrbios de Buenos Aires. Novas normas de linguagem obrigam a imprensa a chamar ditadura militar de Reorganização Nacional.
Buenos Aires, 1977

Que tal mais um relato de Galeano? É que, sem o próximo, esse não fica completo...

AS AVÓS DETETIVES

Enquanto se desintegra a ditadura militar, na Argentina, as Avós da Praça de Maio andam em busca dos netos perdidos. Esses bebês, aprisionados com seus pais, ou nascidos em campos de concentração, foram repartidos como butim de guerra; e vários têm como pais os assassinos de seus pais. As avós investigam a partir do que houver: fotos, dados soltos, uma marca de nascimento, alguém que viu alguma coisa, e, assim, abrindo passos a golpes de sagacidade e de guarda-chuva, já recuperaram alguns.

Tâmara Arze, que desapareceu com um ano e meio de idade, não foi parar em mãos militares. Está numa aldeia suburbana, na casa da boa gente que a recolheu quando foi jogada por aí. A pedido da mãe, as avós empreendem a busca. Contavam com poucas pistas. Após um longo e complicado rastrear, a encontraram. Cada manhã, Tâmara vende querosene num carro puxado por cavalo, mas não se queixa da sorte; e, a princípio, não quer nem ouvir falar de sua mãe verdadeira. Muito aos pouquinhos as avós vão lhe explicando que ela é filha de Rosa, uma operária boliviana que jamais a abandonou. Que uma noite sua mãe foi capturada, na saída da fábrica, em Buenos Aires...
Buenos Aires, 1983.

TAMARA VOA DUAS VEZES

Rosa foi torturada, sob o controle de um médico que mandava parar, e violentada, e fuzilada com balas de festim. Passou oito anos presa, sem processo nem explicações, até que, no ano passado, a expulsaram da Argentina. Agora, no aeroporto de Lima, espera. Por cima dos Andes, sua filha Tâmara vem voando rumo a ela.

Tâmara viaja acompanhada por duas das avós que a encontraram. Devora tudo que serve no avião, sem deixar nenhuma migalha de pão ou um grão de açúcar.

Em Lima, Rosa e Tâmara se descobrem. Olham-se no espelho, juntas, e são idênticas: os mesmos olhos, a mesma boca, as mesmas pintas nos mesmos lugares.

Quando chega a noite, Rosa banha a filha. Ao deitá-la, sente um cheiro leitoso, adocicado; e torna a banhá-la. E outra vez. E por mais que esfregue o sabonete, não há maneira de tirar-lhe esse cheiro. É um cheiro raro... E, de repente, Rosa recorda. Este é o cheiro dos bebês quando acabam de mamar. Tâmara tem dez anos e nesta noite tem cheiro de recém nascida.
Lima, 1983
.
Agora comigo: No próximo domingo o autor volta ao tema da ditadura argentina, encerrando o tema. Para acesso aos textos anteriores, cliquem no marcador (ARTIGOS) logo aqui abaixo.
*Artigos assinados não refletem obrigatoriamente a opinião do blog.

Garanhuns recebe Ação Global do SESI/Rede Globo

Numa iniciativa do SESI Pernambuco em parceria com a Rede Globo e apoio da Prefeitura, Garanhuns será contemplada no próximo dia 22 de maio, com a realização de uma Ação Global. A realização acontece na Esplanada Cultural Guadalajara das 9 as 17 horas. Trata-se de um grande mutirão que objetiva promover a inclusão social e melhorar a qualidade de vida das pessoas, através do oferecimento totalmente gratuito de 80 tipos de serviços.
No segmento de cidadania, será realizada a emissão de documentos de Identidade e CPF. Fotografias para emissão de documentos também será oferecida gratuitamente. Serviços informativos e educativos, oficinas e palestras voltadas para a área educacional também estarão presentes na Ação Global em Garanhuns. A Ação também disponibilizará serviços de saúde nas áreas de ginecologia e odontologia, entre outros. A programação também reserva momentos culturais e de diversão. Artistas locais se apresentam em palco montado na Esplanada e um Parque de Diversões garantirá a alegria do público infantil. “Ainda teremos corte de cabelo e uma infinidade de ações voltadas para o cidadão garanhuense. São oitenta serviços, nas mais diferentes áreas”, argumenta Ana Maria Bourbon, coordenadora do SESI Pernambuco.
O sistema de atendimento adotado para os serviços de consulta médica e emissão de documentos será por meio de entrega de senhas, realizada por ordem de chegada. Sempre, atendendo a quantidade de atendimentos disponíveis. A previsão é que cerca de 12 mil pessoas sejam atendidas na Ação Global. Essa é a terceira edição do evento na Cidade das Flores.
Cerca de 50 órgãos, entre instituições públicas e empresas privadas participam da Ação Global.
.
Obs. Geralmente a Rede Globo envia atores de seu elenco para promover ainda mais este grande projeto social.

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.