GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

POUSADA DA PAIXÃO - CLIQUE E CONHEÇA!

UNOPAR GARANHUNS

UNOPAR GARANHUNS
CLIQUE NA IMAGEM

terça-feira, 15 de junho de 2010

CALA BOCA GALVÃO - A internet diz não a essa opinião formada sobre tudo!

Exibida com destaque logo que a bola começou a rolar para a estreia brasileira na Copa do Mundo, contra a Coreia do Norte, em Johannesburgo, uma faixa com a frase "Cala a boca, Galvão!" foi recolhida rapidamente nas arquibancadas do estádio Ellis Park, nesta terça-feira. O adereço estava colocado exatamente no centro do campo, pouco acima das placas de publicidade, e endossava campanha iniciada no Twitter, desde a última sexta.
.
Agora comigo: Por mais que pareça sarcástica a brincadeira contra o narrador brasileiro, é claro que vem junto a irreverência dos internautas. É preciso entender a fina ironia sobre a enooooorme presença do principal narrador da super poderosa Globo em nossas casas nos últimos trinta anos. A forma monopinativa como Galvão Bueno tenta passar suas impressões a essa nova gente formada e informada pelos milhares de sites na internet geraram essa resposta de que não vamos aceitar palidamente as suas opiniões formadas sobre tudo, porque preferimos ser esta metamorfose ambulante, aqui!

A Copa dos Volantes e a obrigação do Brasil ensinar o Mundo a jogar futebol


O mundo descobriu o que Parreira defendia em 94, quem quiser ganhar uma copa tem que se fechar lá atrás e ter bons bons jogadores lá na frente. Naquela copa quando conquistamos o tetra, o país estava ainda marcado pela perda de 82 e 86, em que Telê Santana buscou o futebol espetáculo. Aprendi que futebol é apaixonante ali. Mesmo perdendo, sentimos orgulho, e isto é triunfal! Futebol também era arte. 70 também foi, mas eu não tinha visto "ao vivo". 90 não se fala, Lazaronni inventou de copiar o modelo europeu no Brasil, jogando com líbero, mas não deu certo. Foi o início da "Geração Dunga", quando zagueiros e volantes passaram a ser mais importantes que atacantes na elaboração dos esquemas de jogo dos técnicos. O 9 e o 11 jogam lá dentro, o restante fazem duas linhas de marcação com quatro. Duas paredes! Tanto é que Raí, o craque brasileiro de 94 terminou a copa como reserva, em seu lugar entrou Mazinho, cabeça-de-área, porque Raí insistia em querer atacar, coisa que Telê o deixava fazer com liberdade naquele São Paulo campeão mundial. E olha que Telê já era cobrado pelo país na boca do Jô Soares que queria o time ainda mais à frente, era o bordão -"Bota ponta Telê!". Renato Gaúcho estava no auge com o Grêmio campeão em Tóquio.
94 tinha Romário e Bebeto, a melhor dupla de ataque do Brasil. Poderão até perguntar por Pelé e Garrinha. Esses dois mitos não marcaram tanto jogando juntos em uma copa do mundo como o Bad Boy e o Bom Garoto de 94. Não tivemos Garrinha em 70. Em 66 não ganhamos. Em 62 Pelé praticamente não jogou e em 58 o melhor jogador da história do futebol tinha apenas 17 anos.
Chegamos a 2010 com o mundo fechado.Tá todo mundo recuado querendo ganhar de um a zero. Tá faltando Telê. A Alemanha meteu 4 na frágil Austrália, um time de cangurus, e já é a favorita. A Itália já joga trancada por natureza. A Argentina tem Messi e mais dez volantes. O Brasil tem 140 milhões de cabeças-de-área, aliás como Dunga, que convocou a seleção com 7 volantes. Deus do céu! Kléberson, Julio Baptista, Ramires, Gilberto Silva, Elano, Felipe Melo, etc, etc, etc, etcc.
Não se fosse a bola Jabulani, metade dos gols que tem saído nessa copa não teria graça! Anda judiando dos goleiros. A bola parece plastificada, ruim de dominar e de ter precisão no passe, imagine então de defender. Você chuta pra dentro e ela sai, porque o jogador mira a barra. Disseram que íamos ter mais gols com essa bola, os jogos têm sido 1 a 0, 1 a 1, meio a zero. Gols de pênalti ou falhas de goleiro já definiram 3 ou 4 jogos, e ainda estamos na primeira rodada.
Tenho receio que Kaká seja o Raí de 94, e que Dunga não veja em um dos seus milhares de volantes uma alternativa ao talento brasileiro. A única alternativa de criação no meio é o recuo de Robinho para a entrada de Nilmar. Grafitte só entra no lugar de Luís Fabiano.
O Brasil tem a obrigação de golear a Coréia do Norte, que só entende de bomba nuclear, e não me venham dizer que se der 1 a zero está bom, não quero me contentar com pouco! O Brasil, país do futebol, tem a obrigação de ensinar o mundo a jogar futebol, e que o objetivo deve ser fazer gol, e não apenas não levar!
A imagem é um papel de parede, cliquem nele e depois salvem nos computadores!

FORAM DESTAQUES DO BLOG. CLIQUE E CONFIRA!

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.