PERNAMBUCO EM AÇÃO

PERNAMBUCO EM AÇÃO
Clique na imagem

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

UNIMED AGRESTE MERIDIONAL

CLIQUE NAS IMAGENS E CONFIRA DESTAQUES DO BLOG

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Marcha Contra A Corrupção - 12 de Outubro de 2011 - 14h - Boa Viagem/Recife - Confira o vídeo!

Garanhuns é contemplada com projeto dos Ministérios dos Esportes e da Educação


Depois de aderir ao Programa Mais Educação, que tem como prioridade contribuir para a formação integral de crianças, adolescentes e jovens, articulando diferentes ações, projetos e programas, a Prefeitura de Garanhuns, através da secretaria de Educação, será contemplada com o Programa Segundo Tempo, oriundo do Ministério do Esporte, em parceria com o Ministério da Educação.

A iniciativa será direcionada a oito unidades Municipais já contempladas pelo Programa Mais Educação e que escolheram o macro-campo Esporte e Lazer como atividade. Segundo Elma Alencar, Gerente do Núcleo de Ensino, o Programa Segundo Tempo irá oferecer diversas atividades na área esportiva. “O Segundo Tempo visa promover a inclusão social das crianças e adolescentes da Rede Municipal, por meio do Esporte. Agora através da nossa adesão as possibilidades de conhecer outras modalidades esportivas serão ampliadas”, destacou a Gerente.

Neste primeiro momento as Escolas São Camilo; Silvino Almeida; Padre Agobar Valença; Letácio Brito Pessoa; Ranser Alexandre Gomes; São Francisco; Centro Social Monsenhor Callou e Antônio Gonçalves Dias – CAIC, serão beneficiadas com o novo Programa, beneficiando cerca de 1700 alunos, matriculados nestes Educandários. Todas as atividades serão realizadas no contra-turno dos estudantes, sendo organizadas pelas Instituições de Ensino envolvidas no Programa.

Candidatura de Antônio João encontra resistência dentro do PSB de Garanhuns


Estivemos conversando nos últimos dias com algumas pessoas filiadas ao PSB, e a grande maioria desaprova a forma como foi imposta a candidatura de Antônio João Dourado em Garanhuns. Muitos dos que se filiaram nos últimos dias até se acharam enganados, pois não era este o posicionamento do partido nos últimos meses, quando conseguiu reunir lideranças visando formar um quadro político e administrativo para o futuro de Garanhuns, independentemente de candidaturas, aliás, era este o argumento utilizado por Dr. Ivan Rodrigues, presidente da legenda local. Com este trabalho, o PSB assumia o protagonismo da sucessão, com todos buscando acompanhar os passos do partido. Agora, com esta nova situação, o partido do governador ficou isolado, e os novos filiados estão meio perdidos, sem saber o que fazer neste momento.

Até pré-candidatos a vereador também se sentiram surpreendidos e demonstraram preocupação pelo isolamento do partido nos últimos dias. A recente filiação do vereador Gersinho Filho também foi motivo de insatisfação, já que o partido tinha um quadro de pré-candidatos sem mandato, com chances relativamente iguais para todos.

O prefeito de Palmeirina, Eudson Catão, que imaginava-se fazer parte do plano de lançar Antônio João, vinha já há alguns meses buscando legitimar sua própria indicação como prefeiturável, inclusive dedicou tempo a vários pleitos da cidade, como a duplicação da BR-423, FAMEG e o Call Center da Caixa Econômica, e também se viu surpreendido pelo anúncio quase oficial do nome de Antônio João. Mas Eudson vai além, e acredita que ainda não é certa a candidatura aqui em Garanhuns do prefeito de Lajedo, e que o nome do PSB ainda será discutido dentro do partido, lembrando que a sigla tem vários nomes com potencial.

O PSB acabou, em sua estratégia política, juntando vários nomes com potencial para uma candidatura e derrubando todos juntos, sem dar mais tempo para que buscassem outra alternativa. Quase uma hecatombe.

Os insatisfeitos aguardam um posicionamento oficial do partido, podendo haver algumas desfiliações.

20 edições da FOLHAVOX, o tempo passa rápido!

Leia, assine e anuncie: (87) 9988.0423
.

Aumenta movimento de repúdio ao nome de Antônio João Dourado




Fotos do blog. Momentos do encontro na Câmara de Vereadores e ao final a leitura do manifesto apoiado pelos partidos políticos e entidades representates da sociedade organizada presentes


A imposição do nome do prefeito de Lajedo, Antônio João, para ser o candidato do governador em Garanhuns, passando por cima das lideranças locais, tem provocado uma grande movimentação de repúdio, conseguindo unir políticos e entidades representativas da sociedade organizada.

Em três encontros já se pode perceber que os brios estão feridos, e por isto a repulsa tem criado uma nova oportunidade de união política que beneficie a cidade.

O primeiro movimento aconteceu na CDL, convocado pelo deputado Izaías Régis, e ali, onde poderia haver o anúncio de sua pré-candidatura, o que se viu foi o prenúncio de uma grande união. 11 partidos políticos já antecipariam o repúdio e a busca por um projeto que defenda os interesses municipais diante dos "invasores".

O segundo momento foi suprapartidário e aconteceu na noite da segunda-feira, e contou com 19 partidos, já citados em post anterior. Porém outro partido já se posicionou, o PP que também acompanha o grupo formado no encontro. Assim, com o apoio também da Câmara de Vereadores, CDL, clubes de serviços, sindicatos, associações comunitárias, entre outros, o movimento começa a ganhar projeção, inclusive citado em outras cidades como exemplo para combater as candidaturas peregrinas e sem identidade com o município.

Praticamente todos os pré-candidatos, alguns até adversários históricos, estão abrindo mão de projetos pessoais para defender a cidade, pela honra e amor a Garanhuns. É este clima que tem sido exposto, de uma guerra declarada diante de invasores. Paulo Camelo chegou a citar mais uma vez a invasão da Legião Estrangeira, porém agora entendeu os méritos de lideranças que, embora tenham nascido em outras cidades, constituíram novas raízes em Garanhuns, como Ivo Amaral, Izaías Régis, Silvino Duarte e Bartolomeu Quidute. Alguém lembrou que até o "prefeito matuto" Amílcar da Mota Valença nasceu em Pesqueira. A união mostrou que existe uma causa maior que apenas o discurso ideológico, pois o adversário passa a vir de fora.

O terceiro momento foi isoladamente do prefeito, em entrevista aos meios de comunicação do município, Luiz Carlos mostrou toda a indignação pela humilhação que a candidatura do prefeito de Lajedo impõe a Garanhuns, "como se aqui não tivessem homens, como se aqui não tivesse administradores competentes, como se aqui não tivesse um povo capaz de tomar conta do seu próprio destino". O prefeito cehgou a se emocionar algumas vezes, ficando com a voz embargada, prometendo ir às ruas de mãos dadas com todos. Luiz Carlos, bastante convicto, afirmou se aliar a qualquer um que defenda os interesses do município e do seu povo, independentemente do partido em que esteja, pois tem o compromisso com todos os presentes na reunião da Câmara, que firmou o repúdio e as ações que serão implantadas para que a "cidade continue firme, independente e democrática, sem as imposições, sem donos, coronéis ou dinastias".

Em todos os momentos ficou uma impressão que existe algo grande de investimento para Garanhuns que o governador deixou para anunciar quando tivesse o projeto de seu candidato, para lançá-lo com algo que desse projeção à sua candidatura. Pode ser uma fábrica ou o Call Center. O próprio prefeito demonstrou preocupação, e outros já haviam mencionado esta possibilidade.

Um dos que usaram a tribuna na Câmara chegou a dizer que o governador não conseguiu até agora colocar Garanhuns no carrossel de desenvolvimento que se transformou Pernambuco, mas não pode cobrar um preço tão caro assim para trazer algum investimento pra cá, arrancando-nos o orgulho de sermos cidadãos desta terra e nos vermos invadidos por pessoas que não têm raízes, identidade nem serviços prestados ao município.

Outra preocupação latente é com a política garanhuense, não apenas esta geração, mas as futuras, pois estaríamos entregando nossa cidade a um novo grupo político, sem identidade e sem paixão por Garanhuns. Não é apenas a prefeitura, mas o clã que se estabeleceria na cidade. O irmão de Antônio João, Marcantônio Dourado é deputado há quase 30 anos, três décadas, e não se conhece nenhum serviço prestado a Garanhuns, não fez um discurso sequer na Assembleia Legislativa em favor do nosso povo. Vem aqui, leva os votos, muitas vezes comprados, e vai embora sem retornar antes de outra eleição.

Uma nova geração de políticos está sendo formada, se as pessoas desejarem, têm inúmeras opções, escolham a melhor, mas tem que ser daqui, conhecer nosso povo, os problemas da cidade. Se vem um grupo de fora, Garanhuns estará relegando até às jovens promessas da política local um futuro inexistente.

Cada um com seu discurso, o movimento tem conseguido novas adesões.

O prefeito e Izaías, embora pressionados, mantém o discurso de aliados do governador, talvez na esperança que Eduardo Campos entenda o constrangimento que está causando, e a agressão, segundo palavras do prefeito Luiz Carlos, que está impondo ao município que lhe deu 93% dos votos.

Premiação do concurso do CODEMA será no Centro Cultural

A cerimônia de premiação do IV Concurso Escolar de Educação Ambiental (IV CEEA) acontecerá no Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, nessa quarta-feira, dia 12, às 08h30.

Todos os estudantes, professores e escolas que participaram das provas receberão certificados de participação e os classificados nos três primeiros lugares receberão certificados com a classificação e os prêmios materiais.

Outra informação importante é que, infelizmente, em virtude da limitação de estrutura momentânea no Centro Cultural, devido aos problemas gerados por conta do apagão na rede elétrica na semana passada, ocasionado por uma árvore que caiu no antigo Hotel Petrópolis, não haverá reapresentação das equipes vencedoras das paródias.

Os organizadores agradecem a participação de todos os estudantes, professores, instituições de ensino, além dos colaboradores e, em especial, à Secretaria de Turismo e Cultura e ao Colégio XV de Novembro, pela cessão do Centro Cultural e do Auditório, respectivamente.

Vamos pensar no Festival de Inverno já a partir de agora


Mais uma vez vou tocar em um tema delicado. Se queremos um turista que venha de Natal, Maceió, Fortaleza, Recife, Caruaru, e outros grandes centros urbanos no Nordeste, que se hospede em hotéis e alugue casas do entorno da praça, visite nossos restaurantes, compre em nosso comércio, e ao final tenha impactado nossa economia, precisamos primar pelo FIG, e pensar nele agora!

Algumas atrações trazem apenas o turista regional, que muitas vezes vem apenas curtir aquela noite. Ou mais, noites com público local. Para um evento que é nossa fábrica sem chaminé, torna-se uma noite sem retorno. Não traz dinheiro novo.

É por isso que muita gente defende que os grandes shows na Guadalajara aconteçam somente nos finais de semana, quando a cidade está cheia de gente de todo canto. E se possível, aumentar a quantidade de finais de semana do festival. Givaldo Calado defende 30 dias. Sivaldo Albino certa vez falou em 15 dias, mas que pegue três sextas e sábados. Interessante!

Colocar nomes nacionais em dias de segunda, terça e quarta-feira, pode ser um desperdício, cultural e econômico.

Não devemos tratar o FIG apenas como uma festa, pois o evento é o nosso maior investimento e deve impactar nossa economia. Precisamos do turista que leve nosso artesanato, visite nossos pontos turísticos e que passe o máximo de dias possível na cidade, e que depois retorne em outra época do ano.

A programação deve possibilitar o entretenimento a nossa gente, mas não apenas isso. Ela deve ter o poder de atrair turistas, portanto não necessariamente deve agradar ao cliente local, mas ao turista que queremos chamar dos grandes centros regionais e que possam deixar um dinheiro aqui que vá movimentar a nossa economia.

Eu estava na transmissão da rádio e comentei que todo mundo cantava junto as músicas de Nando Reis, e não tocam na programação da emissora. Praça completamente tomada por um público jovem e vibrante. Um colega observou que era formado de turistas. Qual seria o percentual de turistas naquela praça com 30 ou 40 mil pessoas?

Meus colegas de rádio, vamos melhorar a programação musical das nossas emissoras para imapctar a formação cultural da nossa gente! (rara exceção: Jonas Lira)
E mais, para otimizar ao máximo o resultado final que fica aqui, até devemos exigir que a Fundarpe gaste o máximo possível em Garanhuns, do investimento total do Festival, que não traga tudo pronto! Afinal, foram mais de 14 milhões de reais este ano. Porém muito desse investimento já fica no Recife mesmo, ou bate-volta, chega aqui e volta pra lá. O que defendo é que lutemos para que o máximo possível deste investimento seja feito em nossa cidade, comércio, serviços e pessoal.

E tem que ter publicidade, pois os turistas que queremos atingir têm que estar bem informados sobre o nosso Festival de Inverno.

Se possível, a partir de agora! Não podemos mais pensar no festival faltando apenas quinze dias para ele. O presidente da Fundarpe disse que criaria uma espécie de diretoria no órgão exclusivo para o FIG, mas parece que foi no calor do evento (ou no frio) e nada mais se falou.

Se há um órgão exclusivo para o grande evento, este grupo poderia passar o ano trabalhando a sua documentação, catalogação para termos a história do nosso Festival em um local onde pudesse ser visitado durante todo o ano, o nosso memorial multimídia do Festival de Inverno, como queria nosso querido Jeferson.

20 partidos políticos repudiam candidatura imposta de Antônio João Dourado em Garanhuns



Mais de 20 representantes de partidos políticos estavam presentes na Câmara de Vereadores no ato de repúdio à candidatura de Antônio João Dourado à prefeitura de Garanhuns. Contavam-se também pessoas ligadas a várias associações e entidades da cidade, como Fernando Couto, presidente da CDL, Francisco Alencar do INSS, Paulinho Brasileiro da CDL Jovem, que atenderam ao chamado supra-partidário, e assim lideranças politicas até adversárias como o prefeito Luiz Carlos, ex-prefeito Silvino Duarte, deputado Izaías Régis e o engenheiro Paulo Camelo buscaram na defesa da cidade a interseção para a união.

Praticamente todos os presidentes de partidos usaram da tribuna para cobrar a união política pela cidade e refutar a inserção eleitoral do prefeito de Lajedo. A grande maioria responsabilizou o governador Eduardo Campos pela iniciativa, desrespeitando seus aliados na cidade, e impondo uma candidatura sem identidade, raízes nem serviço prestado ao município. 

Estivemos presentes e fizemos algumas anotações que passaremos para vocês nesta terça-feira. Uma audiência pública acontecerá na Câmara na próxima sexta-feira.

O prefeito Luiz Carlos concederá entrevista coletiva nesta terça-feira, às 10h.

Presentes estavam as legendas:
PDT (Luiz Carlos)
PTB (Izaías Régis)
PSDB (Silvino Duarte)
PV (Vereador Lucena)
PHS (Tiago do DER)
PCdoB (Tânia Moura)
PPS (Sivaldo Albino)
PMN (Helder Carvalho)
PMDB (José Hilton)
PRP (Mano do Caetano)
PT (Mewiton Araújo)
PRB (Tony Neto)
PSOL (Paulo Camelo)
PSL (Sílvio Sabino)
PSD (Alexandre Marinho)
PRTB (João Guido)
PSDC (Audálio Filho)
PTC (Bruno César)

Reportagem fotográfica do blog.
.

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

SIGA O BLOG

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.