GOVERNO DO ESTADO AÇÃO

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

UNIMED AGRESTE MERIDIONAL

CLIQUE NAS IMAGENS E CONFIRA DESTAQUES DO BLOG

GOVERNO DO ESTADO

domingo, 5 de maio de 2013

Alcindo se reúne com Secretário de Defesa Social de Pernambuco



Na última terça-feira, 30, o vereador Alcindo Correia viajou até a capital pernambucana para participar de reunião com o secretário de defesa social do estado de Pernambuco Wilson Damázio, na ocasião o vereador demonstrou sua preocupação com a segurança na Cidade de Garanhuns e no Distrito de São Pedro. Assim que tomou conhecimento da situação, o secretário Wilson Damázio se comprometeu em colocar policiamento no distrito nos finais de semana , e ainda pediu que o vereador solicitasse junto ao prefeito Izaías Régis rapidez na implantação ou construção de um posto policial em São Pedro.

"Estou sempre escutando e lendo nos veículos de comunicação, a população cobrando policiamento nos bairros e comunidades, é obrigação do vereador se preocupar com o povo, principalmente com a segurança" - destacou Alcindo.

Vale lembrar que em reuniões ordinárias na Câmara Municipal, o parlamentar apresentou requerimentos, aprovados por unanimidade, pedindo policiamento ostensivo e preventivo para o Distrito de São Pedro, e também ao Governo do Estado para que realize estudos para tornar independentes os batalhões da Polícia Militar de Lajedo e Águas Belas. Isso iria reduzir a área de abrangência do Batalhão de Garanhuns de 20 para 12 cidades, dando mais condições de atuação da PM aqui na cidade.

Professores de Garanhuns participaram do I Congresso Educa‏



Nesta sexta (3) e sábado (4), o município de Garanhuns recebeu, nas instalações do Colégio Diocesano, o I Congresso Educa. A realização do evento trouxe o tema “Os desafios e as possibilidades da educação no século XXI”, com o objetivo de uma ampla reflexão sobre a responsabilidade da escola e dos profissionais na promoção da aprendizagem. O Governo Municipal, por meio da Secretaria de Educação, ofertou aos 800 servidores da Rede de Ensino, a inscrição do encontro, que também reuniu grandes nomes, como Augusto Cury, conhecido internacionalmente.

A iniciativa de disponibilizar as vagas aos educadores partiu da ideia de presenteá-los com crescimento pessoal e profissional. "Eles puderam desfrutar de um momento ímpar, encontrar colegas, discutir ações de trabalho e ganhar ainda mais carga de conhecimento para utilizar nos ambientes de convivência”, destacou a secretária de Educação de Garanhuns, Jenecélia Marins.

Verônica Alves é um exemplo de garra, servidora municipal há 21 anos, aprovou o ato. “Isso é investir em educação. Foi muito bom pra nós que nos atualizamos em palestras e minicursos. Estou feliz e parabenizo os nossos gestores”, declarou.

REPERCUSSÃO: Show histórico de Andrea Amorim e seus amigos de Garanhuns

Momento do show em que Andrea Amorim recebe Diorges Albuquerque

PARA VER FOTOS DO SHOW, CLIQUE: Portal Comércio de Garanhuns


Do blog do Jornal Sináculo / Selma Mello

O Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcante abriu suas portas e foi o local ideal para os fãs do bom e da perfeição, na noite passada, e a loira e linda Andrea era a estrela que todos queriam ver.

A pergunta que não se calava era – ele estaria na hora, como ela apareceria para todos?

Felizmente, ela estava lá, trocando os trajes de uma roqueira, rebelde sem causa. que marcaram os seus primeiros dias em estádios dos anos 90 por um preto e prata clássico, fino e com ares de mulher madura, segura e que encontrou na música o seu ideal de vida. 

A lendária – e controversa – loiríssima sabe como fazer um bom show, dando uma exposição energética após levar ao palco um impressionante show de luzes, mesmo se às vezes da platéia um pouco mais agitada gritasse e se esforçassem para alcançar algumas das suas famosas notas altas com os delírios: linda, perfeita, adoro e coisas similares que deram um ar de graça e satisfação dentro de um show emocionado, arrojado e realizado mais com o coração e a emoção do que propriamente um show técnico deixando, mais uma vez, a certeza de que causaram uma boa impressão e de que a valorização dos nosso ouro precisa ser, urgentemente, ressaltada.

Não havia muita conversa, era música, convidados e emoção sem parar. Do jeito que deve ser.

Falar individualmente de cada convidado seria perda de tempo pois só quem viu poderá guardar na alma e no coração aqueles momentos mágicos de grandeza e de céu estrelado.

O dia de glória e de emoção, vivido na cidade de Garanhuns, pode ter ido embora mas os clássicos da mais pura MPB e Bossa Nova apresentados pelos magnifícos artistas garanhueneses Marcos Cabral, Leo Noronha, Michelly Dos Anjos, Hercinho,Zeh Cristo, Washington Carlos, Alexandre Revoredo, Lílian Ferreira, Diorges Albuquerque e Ronaldo Cesar garantiram que a vitrine fantástica desse celeiro de celebridades e talento continuará a ser uma força a ser reconhecida , admirada e prestigiada, sempre!.

Nossos parabéns aos convidados, a minha mais do que amada Andrea e família, integrantes das comunidades de rede de relacionamentos, lá presentes, sociedade artística, autoridades e a Garanhuns por saber o valor que ela tem e encerra. 

Selma Melo 
Blog do Jornal Sináculo

Ivan Rodrigues chama Garanhuns ao debate sobre a prejudicial duplicação da BR-423 por dentro da cidade

CAROS AMANTES DE GARANHUNS,

Alguns tecnocratas andaram anunciando, como decisão de Governo, uma desastrada intervenção no encaminhamento do traçado da duplicação da BR-423 (São Caetano-Garanhuns), ação da maior importância para todo o Agreste Meridional que é imensamente grato ao Governador Eduardo Campos pela decisão governamental de implantar essa duplicação.

Entretanto, alguma coisa está destoando da extraordinária iniciativa. 

No dizer do poeta, “as cidades nascem dos sonhos” e esses sonhos não podem ser destruídos por uma insensibilidade burocrática. Os luminares de engenharia rodoviária e urbanística recusam-se considerar a absoluta e inarredável necessidade de inclusão, no projeto executivo, de uma alça de contorno à cidade de Garanhuns, sob a medíocre alegação do alto custo da obra e, com isso, pretendem DESPEJAR o consequente adensamento de tráfego em uma via urbana da cidade que acarretará – sem qualquer dúvida – na destruição de uma boa parte de Garanhuns. Isso é uma prática predatória, gerada por técnicos ainda aferrados a conceitos medievais, que nenhuma cidade do mundo atual admite mais. 

Claro que essa alça proposta faria parte de um anel rodoviário contornando a cidade para racionalizar a capilarização de um importante entroncamento rodoviário, com fulcro em nossa cidade e que não está sendo devidamente avaliado. Claro que, para sua construção, não se pode atentar, apenas, para o seu custo, mas, sobretudo, para os seus aspectos técnicos, econômicos, sociais, políticos, urbanísticos, ambientais, mobilidade urbana (o mal do século), qualidade de vida, etc. não podendo se ater a mesquinhos indicadores de custo , sem avaliar sua economicidade.

Por falar em economicidade, os técnicos “esquecem” de observar a circunstância de que TODA A FAIXA DE DOMÍNIO DA ESTRADA A SER DUPLICADA ENCONTRA–SE PRESERVADA NAS MESMAS CONDIÇÕES DE SUA DESAPROPRIAÇÃO OCORRIDA HÁ MAIS DE TRINTA ANOS, ainda no governo Nilo Coelho. O custo, portanto, para desapropriações do percurso é SIMPLESMENTE ZERO. Excetuam-se, logicamente, as intervenções de interseção das estradas e acessos a cidades ao longo do seu trajeto, que existirão de qualquer modo e que evidenciam a significativa economicidade do projeto.

São importantes, portanto, algumas observações:

ENTRONCAMENTO RODOVIÁRIO:

Cruzam em Garanhuns algumas rodovias alcançando cidades importantes no contexto nordestino:

a) A própria BR-423, com início em São Caetano servindo em seu trajeto: Cachoeirinha, Altinho, Ibirajuba, Lajedo, São Bento do Una, Belo jardim, Canhotinho, Jupí, Jucatí, Calçados, Vila de Neves, Vila de São Pedro, Paranatama, Saloá, Iatí, Aguas Belas, Itaíba, Tupanatinga, Buique e Arcoverde; daí em diante cruza todo sertão alagoano, até alcançar a cidade de Paulo Afonso na Bahia.

b) A PE-177, com início em Palmares, servindo em seu trajeto: Catende, Belém de Maria, Lagoa dos Gatos, Vilas de Laje Grande e Batateiras, Jaqueira, Maraial, São Benedito do Sul, Quipapá - onde alcança a BR-104 ora em duplicação - , Panelas, Cupira, Agrestina, Caruaru, Canhotinho, Angelim, Palmeirina e São João.

c) A BR-424, com início na Região do Pajeú, servindo em seu trajeto Arcoverde, Pedra, Venturosa,Caetés, Capoeiras, Vila de Poço Comprido, Correntes e entra no Estado das Alagoas em Santana do Mundaú até alcançar Maceió.

d) PE-218, que já está a exigir também sua duplicação, com início em Garanhuns, servindo em seu trajeto Brejão, Terezinha, Bom Conselho, até alcançar a divisa com o Estado das Alagoas no município de Palmeira dos Índios.

Desnecessário realçar que a duplicação da BR-423 resultará em forte incremento do tráfego nessas rodovias que se entrelaçam no entroncamento de Garanhuns, com reais danos e uma breve saturação da área urbana de Garanhuns.

ÁREA ATINGIDA PELA MANUTENÇÃO DO ATUAL TRAÇADO:

A BR-423, a manter-se o projeto, prejudicará uma parte substancial da cidade, sendo de relevar-se que ali já se encontram atividades de intensa movimentação viária, tais como o campus da Universidade de Pernambuco, o campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco e sua Clínica de Bovinos, o quartel do 71º B.I. e provável quartel do Batalhão da Polícia já em estudos, a U.P.A.E. com inauguração para dentro em breve, o Shopping Center em construção e vários condomínios residenciais (privês) de alta qualidade. Ressalte-se, ainda, que nesse trecho urbano a ser invadido pela duplicação, existem dois boqueirões profundos submetidos à uma erosão constante, sendo que o último deslizamento ocorrido em um deles, interditou uma faixa de tráfego que, dada a sua dimensão, levou alguns anos para ser reparado e, mesmo assim, já apresenta um novo afundamento da pista. Imagine-se o que vai acontecer com o alargamento resultante de sua duplicação.

Os danos serão irreparáveis para o desenvolvimento ordenado de sua área urbana; o prejuízo inevitável para sua mobilidade; a necessidade de construção das “famigeradas passarelas” de pedestres, obedecendo a uma tradicional e perversa prioridade uma vez que não permite sua utilização por quem mais precisa: os deficientes físicos e idosos que continuarão obrigados a atravessar a pista atropelando os veículos; a importuna construção das inevitáveis “lombadas” que dificultarão a rapidez do tráfego dos veículos que ultrapassarem Garanhuns em demanda às cidades do entorno; a lentidão do trânsito que prejudicará também os veículos de toda a região na sua ultrapassagem e o inexorável aumento dos acidentes que resultarão em mortes e incapacidades físicas e aí ninguém esqueça que estamos tratando de VIDAS HUMANAS.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO:

As cidades não são pensadas apenas para o presente e a falta de previdência pode ser destruidora. É pacífico que precisamos planejá-las pensando no futuro para que não mais ocorram os desastres urbanos já
provocados, bem como e, sobretudo, o alto custo das alternativas a que estão obrigados os gestores de agora para reparar os erros dos governantes de outrora, de que são exemplos:

a) O Arco Metropolitano composto por uma auto-estrada com cerca de 70 quilômetros para contornar o Recife, que o governo Eduardo Campos está encarando para corrigir um erro do passado, a um custo altíssimo de desapropriações, na medida em que atravessa uma região de grande valorização imobiliária e sem contar o prejuízo já causado à cidade pelo atual traçado da BR-101. Os jornais do dia 26 de março divulgaram fartamente que essa obra custará a “bagatela” de R$1.200.000.000,00 (um bilhão e duzentos milhões de reais), enquanto os 76 quilômetros da duplicação da BR-423 custarão apenas R$450.000.000 (quatrocentos e cinqüenta milhões de reais), ou seja, cerca de 1/3 do custo desse arco rodoviário;

b) O incrível viaduto de Cinco Pontas, na cidade do Recife, uma verdadeira aberração da engenharia de trânsito e urbanismo, que está a exigir uma reformulação integral da área, incluindo a sua demolição;

c) O primor de má-concepção dos dois viadutos em frente ao Aeroporto do Recife, que desembocam os seus escapes em corredores de gelos baianos, sem falar nos inúmeros conflitos criados nos seus acessos e saídas;

d) Todos lembram que a decisão sobre a construção do túnel e do maior viaduto do Nordeste, na transposição da Russinha pela duplicação da BR-232, somente foi tomada durante a construção. A solução foi encontrada no decorrer da obra e, independentemente do seu custo, na Russinha foi possível e porque em Garanhuns a solução tem que ser a MAIS BARATA, mesmo sendo de qualidade discutível e custando a degradação da cidade?

e) Mesmo com essa solução da Russinha, não se tangenciou a cidade de Gravatá que resultou invadida e devastada pela duplicação e tem hoje 7 (sete) quilômetros de auto-estrada interditados para velocidades superiores a 40 quilômetros e vale lembrar que em dias de festas (que são constantes) a estrada fica totalmente engessada. A cidade de Gravatá tem tolerado esse absurdo porque a maioria da população à margem da estrada não vive lá e não tem qualquer relação de amor a terra, frequentando-a apenas em fins de semana.

f) Da mesma forma em que se critica a desastrada travessia de Gravatá, ressalte-se a eficiente transposição de Vitória de Santo Antão, tangenciando a cidade sem criar-lhe danos e implantando novos focos de desenvolvimento para a região. Recentemente, o Jornal do Commercio em sua seção de Economia destacou o que já denomina de “Complexo Industrial que se formou nos municípios de Glória do Goitá, Pombos e Vitória de Sto. Antão” com uma movimentação naquelas cidades na ordem de 4,3 milhões de reais mensais e significativa geração de empregos.

g) Em Caruaru, que tem apenas uma única interseção com a BR-104, já foi concluído o anel de contorno da cidade. Porque em Garanhuns não se elabora, desde logo, o projeto completo do anel rodoviário e mesmo que sua construção não se complete agora pela (alegada) escassez de recursos, que se faça a transposição da cidade mediante sua ultrapassagem em direção a Paulo Afonso através de um tangenciamento desde logo enquadrado no projeto original. O resto se faz depois, à medida em que sua necessidade se imponha através do desenvolvimento das estradas integradas e da própria cidade;

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE GARANHUNS:

Esqueçamos, no episódio, a nossa baixa-estima e vamos pensar grande e esta é a grande questão. A implantação do arco rodoviário da cidade de Garanhuns, além de todas as razões de natureza técnica já expostas, expõe a possibilidade de um desenvolvimento ordenado, no seu entorno, de uma nova fronteira de expansão da cidade, recomendada por sua localização afastada da zona residencial, em que se abrigaria um pólo industrial e de serviços, preservando-se de antemão o meio-ambiente e estabelecendo-se as normas legais de proteção da utilização dos seus espaços.

Seriam incluídos na elaboração deste mega-projeto: um distrito industrial; um espaço consentâneo para eventos (todos proclamam que a cidade não suporta mais a magnitude do Festival de Inverno e discutem a ampliação da praça de eventos atual); um centro comercial incluindo mais um shopping center; um centro de artesanato; um centro de convenções articulado com um hotel, ambos de nível internacional (os jornais do último domingo - 21.04 - dão notícia que o Centro de Convenções do Recife já está comprometido até 2015); uma unidade de qualificação profissional compatível com a demanda do projeto e reserva das áreas de estacionamento necessárias para todas essas atividades.

Considere-se o baixo custo da área a ser utilizada, diferentemente dos espaços urbanos centrais, que facilitaria sobremodo as eventuais desapropriações que se fizessem necessárias para sua implantação e, ademais, a multiplicidade das atividades permitiria a sua implantação de forma gradual, favorecendo a identificação, garimpagem e busca dos investimentos privados bastantes à sua execução.

Não se pode esquecer nessas considerações a necessidade de prever, nos referidos polos, a construção de conjuntos residenciais para abrigar os trabalhadores neles envolvidos, assegurando-lhes residência próxima aos locais de trabalho, com baixo custo e dispensando transporte coletivo em distâncias longas que resultam em estressante perda de tempo e, ademais, com essa providência, seria evitado o grave problema da FAVELIZAÇÃO, sempre recorrente nos projetos de desenvolvimento, mal ou sem planejamento adequado.

Com a necessária antecipação, em tarefa conjunta do Estado e do Município, seria elaborado um macro-projeto para essa nova fronteira que estabeleceria no seu planejamento todos os requisitos, demandas edistribuição espacial sem essa estúpida invasão da área urbana da cidade, com reais danos à qualidade de vida da população que todos temos a obrigação de preservar, para sua execução no prazo adequado às suas necessidades e possibilidade de captação de recursos.

CONCLUSÃO

Não sou autoridade nessa matéria, mas assumo a ousadia e a vaidade de intrometer-me na questão em face do nosso pioneirismo (eu e outros companheiros do Partido) no trato dessa questão, ainda em janeiro de 2012 em uma das famosas reuniões promovida pelo nosso PSB de Garanhuns, quando se discutiu amplamente a questão do projeto de duplicação da estrada São Caetano-Garanhuns. 

Considero lamentável que as nossas autoridades constituídas e legitimadas pelas eleições de 2012 aceitem, passivamente, a desastrada iniciativa, conforme se comprovou na audiência pública dirigida pela Secretaria de Transportes. Elas foram omissas e lenientes diante da anunciada maldade que se pretende fazer com nossa terra.

Abraço a todos,

a) IVAN RODRIGUES

.

Mulheres da Zona Rural terão atenção especial do governo municipal


A relaçāo das mulheres da zona rural com a natureza é, claro, mais próxima do que as mulheres urbanas. Guardam uma dependência extrema com os fenômenos da natureza e sāo as primeiras a sofrerem com a diminuição da qualidade de vida em decorrência dos impactos ambientais negativos. Uma seca, por exemplo, influi diretamente sobre sua vida, desde familiar, quando o marido se afasta em busca de fontes alternativas de sobrevivência, até a produtiva, quando os cultivos e os pequenos animais morrem, por falta da água. 

Em 1585 já se falava e vivenciava a seca, convivemos com ela e sabemos que não iremos erradicá-la. Partindo dessa premissa o Governo Estadual em parceria com o município, implementam ações emergenciais, beneficiando as mulheres rurais. Essa foi a grande discussão no fórum de gestoras das secretarias e das coordenadorias das mulheres do semiárido, que aconteceu em Recife, na Secretaria Estadual da Mulher, comandada por Dra. Cristina Buarque. Representando Garanhuns, a socióloga Eliane Simões participou do Forum, ela que assumiu a Coordenadoria da Mulher do municípios.

O prefeito Izaias Régis foi mais além. Entendendo que essas mulheres, por serem historicamente excluídas, devem ter ações estruturantes, prevenindo situações semelhantes as que estamos passando no momento. A coordenadoria municipal de politicas para mulheres de Garanhuns, por determinação do chefe do executivo, dialogará com a secretaria de Agricultura e com órgãos estaduais, como o Prorural e Ipa, buscando propostas para minimizar os impactos da natureza sobre a vida dessas mulheres. 

A ideia é fortalecer as unidades voltadas para o consumo familiar, gerenciamento da água, através das colocações das caixas de água e cisternas, capacitação para o mercado, com base na agroecologia, recuperação das áreas degradadas, incluindo capacitação, crédito e assistência técnica. Sistematizar conhecimentos e realizar ações educadoras para agirem como multiplicadoras, adequando a realidade local. 

Garanhuns tem uma estimativa de 7.824 mulheres na zona rural, dessas 5.252 têm mais de 16 anos (dados da Secretaria da Mulher - Pernambuco)

Acesse o facebook da Coordenadoria da Mulher.
.

Izaías pede a Isaltino Nascimento o calçamento para as casas do Programa Minha Casa, Minha Vida



Em conversa particular flagrada pelo blogueiro, o prefeito Izaías Régis pediu ao Secretário de Transportes do estado, Isaltino Nascimento, o calçamento/asfalto para as casas do programa Minha Casa, Minha Vida, que já estão prontas, mas que só podem ser entregues aos beneficiados quando for feito o calçamento, última exigência da Caixa para inaugurar. 

O município já teria disponibilizada a contrapartida para que o estado avance na realização da obra. 

São mais de 400 apartamentos prontos, à espera dos futuros moradores, o que vai gerar uma nova movimentação urbana e econômica após a COHAB II.

SIGA O BLOG

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.