CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

CLIQUE NAS IMAGENS E CONFIRA DESTAQUES DO BLOG

UNIMED AGRESTE MERIDIONAL

DIVULGUE SUAS ATIVIDADES NO BLOG: CONTATO (87) 9.9988.0423

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E SAIBA MAIS

terça-feira, 22 de outubro de 2013

O CEARÁ se rende a Garanhuns



A equipe de atletismo de Garanhuns sagrou-se campeã em mais uma competição. O feito se deu com os atletas José Márcio, Daniel Henrique, Marcos Antônio e Gilmar de Oliveira, com a conquista do 1º, 2º, 3º e 4º lugares, respectivamente, na segunda etapa do Circuito Nacional de Corrida dos Carteiros, em Fortaleza, Ceará, no último domingo (20/10). 

A atleta Mirian Farias também subiu no lugar mais alto do pódium, na categoria feminina. Os atletas enfrentaram 1200 participantes, num percurso de 10 km, pelos principais pontos turísticos da capital cearense.

O técnico da equipe é Adegilson Mendes – o BINGO.

Agora os corredores treinam para disputarem o Circuito Sesi – etapa Recife no dia 03 de novembro. Na agenda ainda constam disputas em Fortaleza no dia 10 de novembro e a Corrida Internacional de São Silvestre, tradicionalmente realizada no dia 31 de dezembro, em São Paulo. Para este evento a expectativa é de que estejam presentes 25 mil atletas.

Encontro com Fernando Bezerra Coelho

Este blogueiro entre Magno Martins e Jamildo Melo

Estamos chegando agora da capital pernambucana, onde participamos de um encontro de blogueiros com o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho. Estaremos trazendo mais detalhes nesta quarta-feira.

Vende-se terreno no Loteamento Arco Íris - Garanhuns


Está à venda um terreno no loteamento Arco Íris em Garanhuns, que fica localizado logo após a Vila Lacerdópolis, que já conta com várias residências. O terreno mede 10X20m, e custa R$ 35.000,00.

Já tem água e energia na rua.

Contatos: (87) 9988.0423

Acontece em Garanhuns a III Semana da Biblioteca da UPE‏

Acontece até a próxima sexta-feira, 25, a III Semana da Biblioteca da UPE Garanhuns. A realização é da própria Biblioteca Newton Sucupira. Uma série de atividades formam a programação: Oficinas, palestras, apresentações culturais, minicursos e até uma coleta de sangue do Hemope, com as pessoas participantes do evento.

Na abertura, nesta segunda, 21, houve a apresentação da banda do Exército, o 71 BI Mtz.

Durante toda a semana haverá atividades da brinquedoteca, contação de histórias, curso de fotografia, etc. Algumas palestras merecem destaque, como a que será ministrada pelo Hemope sobre medula óssea. As atividades contemplam estudantes de vários cursos. Palestras sobre esquizofrenia (psicologia) e Políticas Educacionais (pedagogia) são bons exemplos dos encontros promovidos pela Semana da Biblioteca. Serão dezenas de atividades.

A programação completa está à disposição da comunidade acadêmica e outros interessados na Biblioteca da UPE.

Eduardo Campos faz críticas ao leilão do pré-sal

O governador Eduardo Campos afirmou nesta terça-feira (22/10) que o mecanismo de leilão de exploração das áreas do pré-sal "precisa ser aperfeiçoado" para garantir a participação de grupos empresariais interessados e desse modo haver disputa. 

"Sem disputa, as empresas vão sempre oferecer o preço mínimo, o que não é bom para o Brasil. O petróleo do pré-sal não pode ser vendido a preços aviltados pela falta de concorrência", afirmou o governador, lembrando que o Campo de Libra foi leiloado pelo preço mínimo, após um processo "com pouco debate junto à sociedade". Disse o governador pernambucano.

Eduardo ressaltou, embora seja importante a destinação dos recursos do pré-sal para saúde e educação, essas áreas não podem esperar, no longo prazo, por tal reforço. "O governo diz que no longo prazo esse dinheiro vai ajudar muito na saúde e na educação. Mas a saúde e a educação precisam de medidas imediatas. Não podemos sacrificar os jovens de hoje, à espera de que o dinheiro do petróleo vá resolver a vida dos jovens do futuro", frisou.

Entra EDIR MACEDO e sai VALDEMIRO SANTIAGO na programação da Band TV


A briga entre as igrejas continua. Valdemiro Santiago deixou a igreja Universal de Edir Macedo e criou a sua própria, a Mundial. A partir daí surgiu uma rivalidade além da religião e ganhou aspectos econômicos, e vice-versa. Aliás, o ex-cunhado R.R. Soares da Igreja da Graça também é cria da Universal. O modus operandi é sempre o mesmo, redes de rádio e programas de TV para formar o fiel que deposita sua fé mensalmente nos templos.

Depois de uma série de reportagens na Record em que o apóstolo Valdemiro foi flagrado investindo o dinheiro da igreja em fazendas de gado, parece que a coisa deixou de prosperar, fiéis se afastaram, o Ministério Público investigou e as dívidas apareceram, até o ponto de atrasar pagamentos com a Rede de TV com a qual falava para o país, a Band.

Aproveitando o vacilo contratual, a multimilionária Record comprou o mesmo horário que pertencia à Igreja Mundial, e assumiu deste esta segunda, 21, nada menos que 21horas da programação do canal 21 (UHF) que pertence à Band em São Paulo, e as madrugadas do canal aberto.

Bem, agora só chorar não adianta mais. Na semana passada, Valdemiro Santiago pediu aos seus fiéis que doassem R$ 30 milhões para pagar dívidas da igreja, parece que aí ele falava a verdade.

Está na hora debater claramente estas igrejas fundadas sob o manto constitucional da liberdade de crenças, mas que aparentam terem sempre outros propósitos além de glorificar o senhor.

Grande Queima de Preços em Comercial Ramos


Como se faz um faz de conta - Carlos Janduy


Minha nova publicação chega no final deste mês. Trata-se do livro "De Bobo Bravo e Vilão Se Faz Um Faz de Conta", editado pela Offset de Natal-RN. É direcionado à criança e adolescente, mas também para os adultos que não se permitem perder a juventude, rs rs... 

Preço de lançamento com 15% de desconto.

Carlos Janduy

Erros e acertos no Festival da Jovem Guarda

Garanhuns realizou novamente o Festival da Jovem Guarda, um dos eventos do então deputado, na época, sob a coordenação da ACIAGAM e hoje prefeito Izaías Régis, que conseguiu patrocinadores e voltou a realizar pela prefeitura, na Esplanada Cultural Mestre Dominguinhos.

Mas o Festival da Jovem Guarda teve muitos erros e acertos que precisam ser elencados e avaliados. Uma visão mais crítica como elemento necessário à realização.

Um dos principais acertos foi voltar a realizar. É preciso que Garanhuns tenha eventos, que gire a economia turística. Mas a Festa da Jovem Guarda, já não foi tão Jovem Guarda assim, pois muita gente daquela época e daquele estilo musical, já parou de cantar ou, simplesmente, morreu. Eis a maior falha.

Mérito para a programação que privilegiou a prata da casa pernambucana com Cafuringa, Gilberto, Super Oara, Aladim, artistas que tocam este repertório o ano todo. Ou seja, têm identidade com o assunto. Também se buscou valorizar o artesanato com os stands dos nossos artesãos.

Foram três dias de festa, mais que de festival, pois não houve uma hegemonia na programação que remetesse ao título do evento. No material informativo oficial, falava-se de uma espera de 150 mil pessoas, visto por este ponto, foi decepcionante. Somente o sábado teve bom público, mas na sexta e no domingo, a praça ficou enorme.Os jovens não foram para a escadaria como de costume, aliás, não foram para a praça. 

O tempo não ajudou. Caiu uma aguinha, mas nada que afugentasse quem queria curtir seus ídolos.

Algumas falhas foram em quesitos que Izaías e todo mundo sempre bateu pesado quanto ao Festival de Inverno: Divulgação, programação, etc. Dois dias antes do FJG fui a Bom Conselho e um profissional de comunicação lá me perguntou se haveria o Festival. Ou seja, não impactou regionalmente. Pouca coisa no rádio, na TV nada, um ou outro out-door, umas faixas e olhe lá... Nada na internet. Hoje todo mundo está na internet, procurando informações e programações, e não houve um trabalho específico para isto. Ou seja, uma grande festa, um festival, e teve menos divulgação que deveria. Em Recife e Maceió, dois grandes centros com potencial de enviar turistas, não foram trabalhados com a grandeza do projeto. 

O evento não conseguiu motivar grande parte da nossa população.

A programação mostrou que o evento está voltado para as pessoas de mais idade, por mais que exista um ou outro caso de um jovem que curta Sérgio Reis, Fernando Mendes, Joanna e Fevers, não será nunca a regra, será sempre a exceção. A Radiola de Ficha, sucesso neste nicho de público, mostra isso. Então precisa atrair o público-perfil em outros lugares, como Maceió, que adora vir para Garanhuns, mas não ficou sabendo da festa. Em Bom Conselho teve Amado Batista e José Augusto em Jupi. Mesmo sem festival, os dois artistas têm hoje mais público na região que os que vieram para Garanhuns.

O público de meia idade de Garanhuns compareceu. Ao menos aqueles que não viajaram no feriadão. Ou seja, além de não atraírmos, ainda perdemos público. Muita gente, mas muita mesmo, viajou.

A festa ficou com cara de elite, não estava lá o povão. Ou seja, mesmo com artistas populares, a periferia da cidade e cidades próximas não se sentiram motivadas. Ou seja, uma festa para quem tem melhor poder aquisitivo, e por isto precisaria ser promovida com melhor mídia em outros municípios de grande porte.

Com excesso de romantismo, tinha momentos de morgação. Tanto é que a melhor atração foi The Fevers, porque sacudiu a praça com sucessos mais dançantes. Teve gente que pulou tanto que parecia show de rock. Muito bom mesmo. Pela ordem, depois de Fevers, veio Sérgio Reis e Joanna.

Para ter poder de atração dos jovens, precisaria mesclar. Existem bons cantores e bandas românticos/bregas que caberiam perfeitamente na proposta do evento, mas aí vem o maior problema...

O Festival não é da Jovem Guarda. Os próprios cantores ficavam constrangidos, precisavam se explicar. Fernando Mendes disse que não fez parte do movimento. Sérgio Reis cantou Coração de Papel, e só.  Fez seu show sertanejo regional. Joanna nem tocou no assunto. Ou seja, não existe Jovem Guarda no Festival da Jovem Guarda. Gente que canta axé, forró e Jovem Guarda não cativa público. As coisas não funcionam assim. É um problema de identidade. No passado já veio até Benito di Paula. Não existem mais grupos do movimento que explique haver um festival, e se está envelhecendo um evento, que pode muito bem mesclar atrações que agrade a vários públicos, como bem faz o Festival de Inverno, tornando-se mais atrativo para o público e patrocinadores.

Francisco Alencar propôs o retorno do Festival da Primavera. Outro amigo, a Oktoberfest (que também não tem identidade). Que tal a FEMUARTE de volta, uma ideia original que deu certo e atraía olhares de todo o Brasil? Mas se quer continuar com o romantismo antigo, pode incrementar a programação e caprichar na propaganda que vai atrair gente, pois há um público de meia e de terceira idade que quer e pode viajar, e está espalhado pelas principais cidades do Nordeste. Não precisa ser num feriadão, pois o garanhuense já tem o costume de deixar a cidade para pegar um solzinho.

Outra sugestão: Festival da Cultura Nordestina. A grande parte dos cantores e cantoras nacionais nasceram no Nordeste. Não vai faltar atração e o entusiasmo e ufanismo nordestino faria a mídia na grande rede de forma espontânea.

Voltando, enfim, ao Festival da Jovem Guarda, trata-se de um evento que precisa ser rediscutido quase em sua integridade. Não tem identidade com a região. Até se fosse Festival do Brega ou da Seresta teria mais sentido, trazendo ídolos do passado, mas é fato que a maioria deles não tem mais poder comercial, que possam fazer as pessoas deixarem suas cidades e virem curtir nosso evento, com a pompa que foi produzido o FJG.

Podem até vir, mas sabendo que será uma festa para os de casa, sem a expectativa projetada de ser um evento de mega proporções.

FBC: Claro que é possível fazer mais!


Respondendo a pergunta deste blog, o ex-ministro Fernando Bezerra respondeu que é possível fazer mais no governo federal, porque, para ele, é sempre possível fazer mais, em qualquer lugar, em qualquer profissão. 

A pergunta nasce no discurso do governador Eduardo Campos, que está com sua candidatura consolidada a presidente, e conta com o apoio do seu partido, e por isto, FBC entregou o cargo no governo federal.

Fernando afirmou que Eduardo legitima seu discurso pelo histórico recente do partido e suas realizações administrativas. Lembrou as eleições de 89 para cá, passando por 2006, 2010 e 2012, em um crescimento e reconhecimento popular. "Em 89 fizemos parte da Frente Brasil Popular, participamos desde o primeiro momento do governo Lula. Depois, em 2010, fizemos seis governadores, 34 deputados federais e 12 senadores. Em 2012 o partido venceu em mais de 400 municípios, em grandes capitais. O avanço credencia o projeto socialista" - afirmou FBC.

O ex-ministro responde também questionamentos sobre a campanha estadual, que postaremos mais tarde.

Dilma assina em novembro edital da Adutora do Agreste


Em sua passagem por Pernambuco, a presidente Dilma Roussef assina o edital do ramal da Adutora do Agreste, canal que vai beneficiar mais de dois milhões de pessoas com água. A data provável é 20 de novembro. A Adutora do Pajeú também está na agenda.

A informação foi dada pelo ex-ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho.

Portanto, é possível que a agenda de Dilma Roussef em Garanhuns aconteça nesta data, ou nos dias próximos.

AGORA: Fernando Bezerra reúne blogueiros do estado


Estamos na capital pernambucana, onde participamos de um debate com o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, que reúne representantes do webjornalismo do estado para uma prestação de contas de sua passagem pelo Ministério da Integração Nacional.

Cerca de trinta profissionais participam do encontro, entre fotógrafos e blogueiros, como Josélia de Petrolina, e as referências pernambucanas Magno Martins e Jamildo Melo.

A princípio foram apresentados dados, principalmente números, que mostram a dimensão expressiva dos investimentos. Nos últimos 2 anos e 9 meses foram conveniados para Pernambuco, estado e municípios, certa de R$ 2,57 bilhões, maior que os últimos 12 anos anteriores a Dilma Roussef, com quatro anos de FHC e oito de Lula, que foi "somente" R$ 2,58 bi.

Armando Monteiro assina artigo: O novo Código Penal Brasileiro e a segurança pública


Armando Monteiro Neto*

As recentes manifestações por melhores serviços públicos contribuíram para colocar a segurança pública como um dos temas prioritários dos governos e da sociedade brasileira. Os protestos de junho criaram um senso de urgência positivo em torno desse grave problema público que precisa ser respondido com seriedade. Uma das ações prioritárias no país é a atualização do nosso código penal, que hoje reflete uma realidade que não existe mais. Em consequência, nossas leis são fracas diante de criminosos cada vez mais organizados e agressivos. Criminosos que atacam policiais, promotores e juízes, sublevam presos e lucram com a venda de drogas para crianças e adolescentes não podem ficar impunes.

No Brasil, convivemos com níveis inaceitáveis de impunidade e em parte isso se deve ao fato de a nossa Lei Penal ser excessivamente branda. Atualmente, tramita no Senado o projeto de novo Código Penal. Faço parte da comissão especial encarregada dessa urgente tarefa e ali apresentei 35 emendas, dezoito das quais foram acolhidas no relatório preliminar. Eu e meus colegas naquele colegiado estamos empenhados em produzir um texto que faça diferença no combate ao crime, atentos que estamos às metamorfoses da criminalidade nas últimas décadas. 

Os presídios do país inteiro tornaram-se espaços controlados pelo crime organizado. E, por iniciativa de minha autoria, o crime de amotinar presos poderá ser punido com uma nova pena de prisão, que se somará à pena original do infrator. Essa inovação na política penal ajudará no combate às facções criminosas que hoje controlam a vida dos presos e desafiam a autoridade do Estado. Também por minha iniciativa, será possível aumentar as penas daqueles que cometerem crimes contra agentes públicos responsáveis pela aplicação da lei, como juízes, policiais e promotores. Como bem acentuou no seu voto o relator da comissão, senador Pedro Taques (PDT/MT): “Não se trata de criar ‘privilégios’ corporativos, mas sim de reconhecer que o crime praticado contra agente público responsável pela aplicação da lei no exercício de suas funções ou em razão delas é em sua essência uma afronta ao Estado”.

Tenho enfatizado na minha atuação no Senado que o crime mudou e que o país precisa reformar sua política criminal para fazer frente às novas ameaças que nos desfiam. Crimes cometidos por associações criminosas se multiplicam e surgem novas formas de crime organizado como as milícias. Esse é o sentido da proposta que encaminhei para que o crime de participação em associações criminosas tivesse pena aumentada para quatro anos. Novas formas de defesa dos direitos dos cidadãos diante do Estado foram também incorporadas ao projeto de novo Código Penal. 

Entre elas está a figura do desaparecimento forçado, em que o Governo, seus agentes, ou mesmo outros grupos, após privar de liberdade uma ou mais pessoas, deixam de informar ou se recusam a dar conhecimento da privação de liberdade ou do paradeiro do desaparecido. Ações legítimas do Estado para a manutenção da ordem não se confundem, em nenhum sentido, com supressão de direitos. Por isso é preciso ser duro contra os que transgridem a lei valendo-se do privilégio de serem agentes do Estado.

As inovações e mudanças introduzidas na proposta do novo Código Penal com certeza produzirão um intenso e bem-vindo debate na sociedade. Fica aqui o meu convite para que os pernambucanos sejam ativos nesse debate que é fundamental para garantir os direitos da coletividade e o exercício da autoridade do Estado contra o crime.

*Armando Monteiro Neto é Senador da República

ATUAÇÃO PRÓ-FAMEG: Jornalista Magno Martins recebe voto de aplauso da Câmara de Garanhuns

Magno Martins em sua visita à FAMEG, acompanhado de Calvino Brasil e Zé Paulo

Do blog do Magno Martins

A Câmara Municipal de Garanhuns aprovou requerimento, de autoria do vereador Sivaldo Albino (PPS), concedendo um voto de aplauso a este Blog “por abraçar a causa da FAMEG (Faculdade de Medicina de Garanhuns)”.

De acordo com a proposta, a campanha iniciada por este blog serviu para atrair a atenção das autoridades nacionais para a situação da instituição, que aguarda autorização do Ministério da Educação para voltar a oferecer diversos cursos na área de saúde.

Ainda segundo o vereador Sivaldo Albino, o resultado do engajamento deste blog para com a causa da Faculdade de Medicina de Garanhuns pode ser observado no grande número de autoridades que “encamparam essa luta, que trata-se do fortalecimento não apenas da educação no município, mas, acima de tudo, do desenvolvimento de Garanhuns, mediante a qualidade de ensino, evidenciada a partir da fundação de novos cursos”.

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

SIGA O BLOG

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.