GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

UNOPAR GARANHUNS

UNOPAR GARANHUNS
CLIQUE NA IMAGEM

POUSADA DA PAIXÃO - CLIQUE E CONHEÇA!

segunda-feira, 31 de março de 2014

Tudo sobre o I Encontro Regional dos Cursos de Administração (ERECAD).



O Conselho Regional de Administração – CRA/PE, Seccional Garanhuns, e a Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns – AESGA, apresentam a 1ª edição do Encontro Regional dos Cursos de Administração – ERECAD.

O Encontro Regional dos Cursos de Administração tem como proposta difundir e levantar questionamentos sobre a importância do estudo da administração, apresentando o contexto atual das graduações e objetivando demonstrar quais as novas perspectivas para a formação na área.

O I ERECAD traz consigo o propósito de atualizar e fortalecer, além dos alunos e profissionais da área, as instituições vinculadas à formação acadêmica. O Encontro será vivenciado num ambiente fértil para a troca de experiências e a discussão de temas que permeiam e impactam os cursos de graduação em administração, e a educação por eles oferecida.

O I ERECAD será realizado nos dias 3 e 4 de abril, na cidade de Garanhuns, e tem como tema principal “Atualidade e Perspectivas da Administração”. A programação conta com palestras sobre o tema, além de uma mesa redonda, realizada por profissionais com vasta experiência na área, que debaterá as diretrizes curriculares nacionais.

REPORTAGEM FOTOGRÁFICA: Governador Eduardo Campos visita túmulos do Padre Henrique, de Dom Helder Câmara e do ex-governador Miguel Arraes‏







Na data que marca a passagem dos 50 anos do golpe militar do Brasil de 1964, o governador Eduardo Campos visitou, na manhã desta segunda-feira (31/03), os túmulos de três importantes personalidades na luta pela democracia. 

A homenagem, que partiu da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara, foi para o ex-governador Miguel Arraes de Alencar, que foi deposto pelo regime militar; para o arcebispo Dom Helder Câmara, patrono da Comissão Estadual da Verdade; e para o Padre Henrique, falecido durante a ditadura.

"É muito importante que nesta data, 50 anos do golpe militar de 1964, que nós possamos prestar homenagem a todos aqueles que lutaram pela democracia, pela liberdade, pela causa do povo. 

A Comissão da Verdade, de maneira acertada, decidiu por prestar esta homenagem hoje nos túmulos de Miguel Arraes, do Padre Henrique e de dom Helder Câmara, para através deles simbolizar nossa homenagem a todos os homens e mulheres que lutaram por liberdade e democracia no nosso País, para que nós possamos assumir cada vez mais o compromisso do Brasil com a democracia, que precisa ser aperfeiçoada, melhorada, para que o povo possa ter mais conquistas", destacou o governador.

A agenda teve início no Cemitério de Santo Amaro, no Recife, onde está enterrado o ex-governador Miguel Arraes de Alencar, e prosseguiu até a Igreja da Sé, em Olinda, local em que foram homenageados Dom Helder Câmara e Padre Henrique. 

Durante a agenda, o governador recebeu das mãos do coordenador da Comissão da Verdade, Fernando Coelho, uma coleção de documentos históricos contendo investigações sobre Arraes. O material foi levantado pelo colegiado junto ao Arquivo Público Nacional.

50 ANOS DO GOLPE MILITAR: Íntegra do pronunciamento de Ivan Rodrigues no Instituto Miguel Arraes em 27/03/2014


Meu caro Ronaldo, segue o texto, na íntegra, da palestra que proferi no Instituto Miguel Arraes. Como é muito extenso, dou-lhe inteira liberdade para publicá-lo todo ou, então, decomposto conforme os diversos episódios que contém. Grande abraço de Ivan:

Caro Ivan, publico integralmente. Trata-se de documento histórico, com imenso valor político, social e afetivo. Agradeço-lhe, mais uma vez, a forma sempre disposta e o carinho demonstrado a mim e a minha família, Ronaldo Cesar Carvalho.


Recife, 27 de março de 2014.

Relutei muito para decidir se deveria escrever essa palestra ou, de improviso, correr o risco de me trair pela emoção e dizer algumas inconveniências. Preferi escrever e faço aqui um relato sucinto da ocorrência que mais me impressionou naquele dia 1º de abril de 1964 e outras acontecidas no decorrer da minha vida e sempre ligadas a Dr. Arraes. Vou direto à primeira:

Desde a véspera, 31 de março, surgiam boatos desencontrados e realçados pela precariedade dos noticiários existentes, como sempre arrebanhando a opinião pública através de uma imprensa predisposta a servir ao poder dominante, ao sabor de suas conveniências. As conversas se prolongavam, em ritmo sempre vibrante e variado, sobre revolução, contra-revolução, golpes de estado, participação “yankee”, disposição de lutas, covardias e empáfias.

Começo a perceber gente arrumando malas e víveres em seus carros e saindo como apressados viajores. Imagino que devo fazer alguma coisa, tomar alguma atitude, romper uma passividade que me incomodava. Passei na empresa que dirigia, assinei alguns papéis mais urgentes e dirigi-me de imediato ao Palácio do Campo das Princesas.

Percebo logo uma intensa movimentação de tropas militares em seu entorno, sem interferirem, entretanto, no ingresso das pessoas ao Palácio. Até aquela hora todo mundo entrava ou saía sem dificuldades e ali encontro centenas de pessoas que não mais consigo relembrar com segurança e não quero cometer a injustiça de omiti-los.

Assisto a chegada do Comandante do Distrito Naval, Almirante Dias Fernandes que, trancado com Dr. Arraes no seu gabinete juntamente com Pelópidas Silveira e Celso Furtado, trazia uma proposta indecorosa em nome de um suposto Comando, que asseguraria a permanência do Governador à frente do Executivo desde que manifestasse apoio irrestrito à quartelada que já se anunciava. Proposta recusada, como todos sabem. Porém, enquanto se realizava a reunião, as tropas do exército ocuparam a Praça da República com ninhos de metralhadoras estrategicamente colocadas visando o Palácio e sustando a entrada de qualquer pessoa daquela hora em diante. Depois, as comunicações foram cortadas e fomos desligados do mundo exterior. O corpo da guarda palaciana foi ocupado pelo Exército e ninguém mais saia do Palácio. A uma certa altura, aproxima-se pelo terraço dos fundos o Coronel Dutra de Castilho, até então Comandante do 14º Regimento de Infantaria, e manifesta a intenção de falar pessoalmente com o Governador.

Dr. Arraes desce do primeiro andar e vai ao encontro do Coronel nos limites do terraço dos fundos. Com uma inevitável curiosidade, fico junto e acompanhei o incidente em todos os seus detalhes. Estabelece-se então o diálogo, surrealista para os dias de hoje, mas que considero definidor, com extrema clareza, da situação vivenciada pelos interlocutores e a definição de suas posições antagônicas. Não conseguiria transcrever literalmente, mas vou tentar reproduzi-lo com a máxima fidelidade possível, sendo de notar que, em um fim de noite após o cumprimento de sua exaustiva agenda, quando ficávamos prosando até tarde, conferi com Dr. Arraes todos os detalhes.

Inicia-se a conversa e percebia-se, com absoluta nitidez, que o Coronel estava visivelmente emocionado e, em nenhum momento, deixou de tratar Dr. Arraes por “excelência”. 

Diz o Coronel:
“- Venho comunicar que V. Excelência está deposto.”
Responde Dr. Arraes:
“O senhor não tem autoridade para me depor. Sou Governador do Estado eleito pelo povo de Pernambuco e somente ele pode me depor. Ou então o senhor quer dizer que estou preso e isso o senhor pode fazer pela força.”
Retruca o Coronel:
“ De forma alguma, Excelência. Pelo contrário, lhe daremos todas as garantias cabíveis.”
E aí Dr. Arraes responde-lhe serenamente e de forma profética:
“NÃO PRECISO DE SUAS GARANTIAS. SOU O GOVERNADOR DE PERNAMBUCO E EXERCEREI O MEU MANDATO ATÉ O ULTIMO DIA, ESTEJA ONDE ESTIVER.”

Feito e dito isso, Dr. Arraes encerrou o episódio e retornou ao Palácio. Este diálogo não necessita explicação, nem exige analista ou cientista político para interpretá-lo. De um lado, o poder da força, da imposição, da tutela, sedimentado em especulações delirantes dos militares sequiosos do poder. De outro lado, a afirmação democrática de um governante altivo, impávido, destemido e legitimado por uma eleição submetida às regras republicanas e reagindo às demonstrações de força, comandadas pelas corporações obscurantistas, politicamente orientadas por um “udenismo” desesperado diante das sucessivas derrotas eleitorais.

Pouco tempo depois, subiu ao primeiro andar um capitão do exército (vejam como a patente foi baixando), determinando que daquela hora em diante somente permaneceriam no Palácio o Governador e os seus familiares. Os demais teriam um pequeno prazo para deixar o Palácio. Aí acontece a parte mais constrangedora do episódio: o Governador Miguel Arraes postado em frente do elevador do primeiro andar, despede-se e aperta a mão, um a um, de todos os presentes que foram obrigados a retirar-se do Palácio naquele momento. 

Ainda um fato importante deve ser destacado pois, a despeito de ter ocorrido antes de 1964, foi fator determinante para a eclosão da golpe de 1964. Assisti, em novembro de 1963, no Salão das Bandeiras do Palácio do Campo das PrincEsas, naquela longa mesa que ainda hoje existe, a assinatura do famoso Acordo do Campo. De um lado da mesa os usineiros e senhores de engenho (hoje denominados plantadores de cana) e do outro lado os camponeses maltrapilhos, com Dr. Arraes sentado à cabeceira da mesa dirigindo os trabalhos. Esse acordo que completou 50 anos recentemente e, de forma lamentável sem qualquer registro ou comemoração por iniciativa dos sindicatos e centrais sindicais rurais, foi um marco regulatório nas relações de trabalho no campo, com repercussão no Brasil e cultuado no mundo inteiro pelas instituições trabalhistas.

Dr. Arraes nunca foi perdoado pelos patrões, não pelas razões econômicas que lhes foram favoráveis, mas por terem de sentar à mesma mesa com os trabalhadores, sociologicamente inadmissível para eles, que consideravam o evento uma suprema humilhação. E tanto foi assim que, após a tramitação dos fatos descritos e ocorridos no Palácio no dia 1º de abril, fui conduzido ao Quartel General do Exército com outros companheiros e, recebidos pelo Cel. Bandeira, fomos encaminhados presos para o 7º R. O. em Olinda, numa operação de remoção comandada pelo usineiro José Lopes de Siqueira Santos, da Usina Estreliana, com uma metralhadora à tiracolo e dando ordens aos militares do exército. O incidente reflete a autoria da inspiração, das manobras e da execução do golpe militar. Pelos antecedentes do aludido usineiro e pela autoridade que ostentava no comando da operação, imaginei que não chegaríamos ao destino previsto e quando fomos enfileirados no Corpo da Guarda daquela unidade militar, raciocinei: “Graças a Deus estamos presos”.


Costumo dizer que sou um privilegiado na medida em que fui distinguido pela oportunidade de testemunhar episódios que registram a marca de um grande patriota e líder político brasileiro. A sua história e grandeza precisam ser conservadas para exemplo das gerações que o sucederem. Estou aqui cumprindo um dever que considero fundamental para esse registro, antes que a “traiçoeira” me arrebate desse convívio.

Acervo do Instituto Miguel Arraes
Sinto ainda necessidade de registrar algumas lições que recebi do Dr. Arraes que marcam a sua personalidade singular. Coordenei, também com muito orgulho, o programa de eletrificação rural nos dois governos de Arraes, depois reconhecido como o maior programa da América Latina. Criticado por seus adversários sob a alegação de que suas iniciativas não eram estruturadoras para o desenvolvimento do Estado e sua população, Dr. Arraes respondia com muita sabedoria: “Não conheço nada mais estruturador para uma pessoa do que uma caneca de água limpa para beber e um bico de luz para alumiar a escuridão”.

Por isso mesmo, peço permissão para quebrar o protocolo e fazer uma digressão que talvez desvirtue o sentido deste evento. São episódios pessoais, mas estreitamente ligados a Dr. Arraes:

Sou um velho já meio cansado que nunca amealhou riquezas, nem colecionou comendas. Não guardo rancores, nem alimento ressentimentos. Mais de oitenta anos de vida dura e difícil – sabe Deus como! – alternando temporais e bonanças, mas sempre adorando a vida que, por vezes, é gratificante. Sempre tive lado e costumo dizer que “A Coerência é o Caminho Mais Espinhoso da Política”.

Tive dois grandes Mestres na vida: o meu velho pai Zébatatinha que me ensinou o roteiro da dignidade, da cidadania e do apreço à família e Dr. Miguel Arraes – meu líder político e amigo durante mais de quarenta anos – que traduziu para mim o dever de servir à população com honradez e espírito público.

Desnudo-me, nesta hora, para externar minhas fragilidades e humildemente confesso minhas vaidades e orgulhos. Aí vai o primeiro desses episódios: Por ocasião da morte do meu filho mais velho (como dói enterrar um filho!) recebi uma mensagem que me sensibilizou e me levou às lagrimas. Dizia assim:

"Meu querido Ivan, É com grande tristeza que recebo a notícia do falecimento de José Ivan. Esta é a razão pela qual manifesto a minha presença junto à sua dor e a dos seus. Você é um exemplo, um amigo mais que querido. Quando nosso pai já se foi, a gente escolhe outro. No meu caso, você. SE FOR BEM ACEITO. Com meu abraço afetuoso Lula Arraes.”

Depois de enxugar as lágrimas, respondi-lhe: “Meu querido Lula: Fiquei um bom tempo sem saber o que lhe responder, o que só agora consigo. ACEITO COM MUITA HONRA. Costumo dizer à família que deixarei para ela apenas um nome honrado. Achei que isso me bastava, mas você arrebentou a carapaça e descobriu minha fragilidade: Sou um vaidoso e fiquei impando de orgulho ao me imaginar complementando (nunca substituindo!) o exemplo de grandeza na vida pública que conheci e dou testemunho. Sou duro na queda, mas confesso que chorei ao ler sua carta. Deus lhe guarde e a toda família Arraes.Mais uma vez: Deus te abençõe meu querido Lula!

Recentemente, ocorreu o segundo episódio: após uma dessas atribulações que passei em minha vida, recebi a observação de uma pessoa que conheço desde criança, muito amiga e bastante credenciada para fazer o comentário e que, mesmo sem que eu refira o nome, todos entenderão de quem falo. Em conversa com um amigo comum, essa pessoa afirmou: “Não adianta. Ivan é tão ranzinza quanto meu avô!”

Meus caros amigos. Desculpem a quebra do protocolo e da liturgia, mas se realmente eu mereço a honraria, quero dizer a todos que muito me orgulho e me envaideço dessa comparação.

Posso afirmar, do mesmo modo que meu velho Zébatatinha diria: MESMO RANZINZA, EU SOU UM HOMEM FELIZ !

Assina: Ivan Rodrigues



*Palestra proferida no Instituto Miguel Arraes em 27 de março de 2014, no ato pela passagem dos 50 anos do Golpe Militar de 64, que reuniu militantes, historiadores, políticos, o vice-governador João Lyra, o presidente do IMA, Fernando Coelho, amigos e a família do ex-governador, inclusive o atual Chefe do Poder Executivo Estadual, e neto do homenageado, Eduardo Campos, e a viúva de Arraes, D. Magdalena Arraes.

PARA SABER MAIS: http://www.institutomiguelarraes.com.br/home/

GARANHUNS: Prefeitura anuncia obras em mais de 60 ruas. Saiba quais são!




O prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, assina na próxima quarta-feira (02), às 19h30min, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), ordens de serviços para obras de pavimentação e drenagem nos bairros Francisco Figueira, Aluízio Pinto, Boa Vista, Severiano Moraes Filho (comunidade Massaranduba) e Magano. Na ocasião, o gestor também vai assinar a ordem de serviço para a reforma da Praça Dom Expedito Lopes, localizada no bairro Heliópolis. Os investimentos, com recursos próprios, totalizam mais de R$ 9 milhões.

No bairro Francisco Figueira serão pavimentadas as ruas Roberto Almeida; Antônio Araújo dos Santos; Projetada 01; 19; 21; 23 e das avenidas Radialista Aluízio Alves de Melo e Francisco de Holanda Cavalcante. As obras vão criar uma ligação entre os Loteamentos Manoel Camelo I e II, Morada Nobre e a Cohab II melhorando a mobilidade dos moradores. Ainda no mesmo bairro, as ruas José Dourado e Irmã Dulce serão beneficiadas, além da pavimentação, com drenagem.

Dezenove ruas, no bairro Boa Vista, receberão melhoria da infraestrutura urbana com pavimentação e drenagem, são elas: Carmerinda Vieira de Melo; Antônio Carlos Souto; Vitória; José Brasileiro Vilanova; Vereador João Bezerra Sobrinho, Tabocas; da Inconfidência; Florianópolis; Cuiabá; Fortaleza, Livramento, 1ª Travessa Vitória, Rua Belo Horizonte, Rua Dr Lito de Azevedo (trecho), Rua Manaus, Rua Afonso Notaro, bem com as Avenidas Sul, Avenida da Restauração e Avenida Riachuelo.

No bairro Severiano Moraes Filho, mais precisamente na Comunidade da Massaranduba, irão receber o serviço de pavimentação, as ruas Ataulfo Alves, Dolores Duran, Projetada 01, Projetada 02 e um trecho da rua Cantora Marinez.

Já no bairro Magano, serão dezenove localidades contempladas: Rua Pixinguinha, Rua Carlos Gomes (trecho), Rua Orestes Barbosa, Rua Lamartine Babo, Rua Flávio Rangel, Rua Rosa de Maio, Rua Flávio Cavalcante, Rua Paulo Sérgio, Rua Ascenso Ferreira, 1ª Travessa Ascenso Ferreira, Rua Otília Peixoto, Rua Valdemar Garibalde, Rua Amazonas, Rua Projetada 3, Travessa Ciro Monteiro, Rua São José dos Campos, Rua Vicente Celestino (trecho), Rua Wilson Urquiza (trecho) e a Rua São Luiz (apenas drenagem). O investimento no bairro será de R$ 1.826.430,23 (um milhão, oitocentos e vinte e seis mil, quatrocentos e trinta reais e vinte e três centavos).

No bairro Aluízio Pinto, serão contempladas com pavimentação as ruas: Francisca Amaral Tinô, Joseval Vicente da Silva, Travessa Belém, Tomaz Antônio Gonzaga, Tomé de Souza, Estácio de Sá, Frei Henrique Coimbra, Antônio de Almeida e Travessa Tomáz Antônio Gonzaga. Juntas, somam um investimento de R$ 515.057,31 (quinhentos e quinze mil, cinquenta e sete reais e trinta e um centavos).

Praça Dom Expedito Lopes – Em novembro de 2013, o prefeito Izaías Régis recebeu, no Gabinete do Palácio Celso Galvão, representantes da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e missionárias de Nossa Sr.ª de Fátima. No encontro, a discussão foi em torno da revitalização da praça, e o prefeito se comprometeu com a obra. Este ano, no mês de julho, será comemorado o Centenário de Nascimento do bispo Dom Expedito Lopes, assassinado em Garanhuns, em 1957. 

Com o objetivo de tornar o espaço em um ponto de atração turística, o projeto, idealizado pelo arquiteto Emanuel Rodrigues, da Secretaria Municipal de Planejamento, contempla uma nova paginação de piso, iluminação, bancos e reestruturação do estacionamento. Na praça, também haverá a preocupação com o paisagismo – palmeiras imperiais serão preservadas e novas áreas serão plantadas. A reforma da praça totaliza o valor de R$ 116.870,02 (cento e dezesseis mil e oitocentos e setenta reais).

SECOM GARANHUNS

PREFEITO EMPREENDEDOR: Garanhuns está entre as cidades finalistas de prêmio do Sebrae



Na última sexta-feira (28), o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, recebeu em seu gabinete a visita da comissão organizadora do prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor. O evento acontece na próxima quinta-feira (3), em Recife, na Blue Angel Recepções, localizada na Rua Benfica, 251 no bairro da Madalena. Garanhuns está entre os finalistas do prêmio e concorre nas categorias Novos Projetos e Lei Geral Implementada. O Sebrae visa conceder o prêmio a prefeitos de todo o Brasil que tenham inserido projetos com resultados positivos e que contribuíram para o desenvolvimento social e econômico do município.

Na reunião, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico apresentou junto com o prefeito alguns projetos importantes que estão sendo executados em Garanhuns. Alguns destaques foram citados como, por exemplo, a instalação de iluminação de LED em diversas ruas da cidade, a revitalização dos Parques Euclides Dourado e Ruber Van der Liden – Pau Pombo, ações culturais que serão realizadas ao longo do ano, e as ações voltadas ao empreendedorismo como a chegada de grandes empresas ao município.

Estiveram presentes na reunião, a avaliadora do prêmio Prefeito Empreendedor 2014, Maria das Graças Cabral, e o Analista de leite e Derivados do Agreste (Sebrae – Unidade do Agreste Meridional), Alisson Garcia, que parabenizaram e elogiaram a iniciativa da prefeitura em participar do prêmio, bem como todos os projetos citados pelo prefeito. “É uma honra para nós participarmos desse prêmio, pois Garanhuns é uma cidade que vem avançando cada vez mais. Buscamos parcerias que deram certo e vamos continuar fazendo com que Garanhuns cresça, que seja uma cidade de oportunidades", comenta o prefeito Izaías Régis.

SECOM GARANHUNS

CONCURSOS PÚBLICOS com inscrições abertas hoje!



Novos concursos abrem inscrições para quem busca oportunidade em órgãos públicos. São mais vagas disponíveis para os concurseiros. Confira e boa sorte!
ÓRGÃOPRAZOVAGASSALÁRIO MÁXIMOEDITAL
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco – IFPE11/04/2014173R$ 8.344,64Edital
Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)23/04/201470R$ 6.154,00Edital
Prefeitura de Maravilha (SC)24/04/201484R$ 12.200,00Edital
Prefeitura de Teresina28/04/2014200R$ 2.070,11Edital
Agência de Fomento do Estado de São Paulo (Desenvolve SP)25/04/201431R$ 3.837,80Edital
Prefeitura de Tefé (AM)14/04/20141.178R$ 2.880,00Edital
Prefeitura de Três Barras (SC)22/04/201416R$ 8.079,47Edital
Centro Federal de Educação Tecnológica “Celso Suckow da Fonseca” do Rio de Janeiro (Cefet – RJ)28/05/2014203R$ 3.318,70Edital
Secretaria de Estado da Educação e Cultura – SEDUC16/04/20143.000R$ 1.076,14Edital
Muito mais sobre concursos: http://archimedes.ne10.uol.com.br/blog/


Exposições, Seminários e Vigília marcam 50 anos do Golpe Militar em Pernambuco



Estudantes, pesquisadores, historiadores e anistiados políticos pernambucanos têm muito que relembrar nesses meses de Março e Abril de 2014. Momentos históricos, luta pela democracia, tortura e morte. O Golpe Militar no Brasil completa meio século, mas ainda está vivo na memória, principalmente, de quem, de uma forma ou de outra, sentiu na pele as conseqüências.

Por isso o Governo do estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e Secretaria Executiva de Justiça e Direitos Humanos organizou uma programação que vai desde seminários, roda de diálogos e vigília até um ato de repúdio, com o objetivo de mostrar a importância da reparação às vítimas desse período tão marcante para o País.

As homenagens começam com o Seminário Regional “Direitos Humanos e Democracia”; que já passaram agora em Março, por Araripina e Garanhuns; em Abril, será realizado em Salgueiro, e até Setembro passa por todas as Regiões do estado.

Outra atividade que marca os 50 anos do Golpe Militar são as exposições da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República: “Anistia e Democracia; para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”, que já passou por 10 cidades pernambucanas, entre elas: Recife, Olinda, Goiana, Serra Talhada, Arcoverde, São José do Egito e Salgueiro; e “A Verdade da Repressão, a Memória da Resistência”, conhecida na capital pernambucana e em Garanhuns. Essas mostras trazem ainda rodas de diálogo sobre o assunto e continuarão em caravana para outros municípios.

No Recife, a programação é em parceria com a Assembléia Legislativa. A partir desta segunda-feira, 31, haverá uma Vigília Cívica de Reparação Histórica, das 20h às 23h, no salão nobre da Assembléia. E na terça-feira, 01 de Abril, aniversário do Golpe, haverá Audiência Pública, às 10h, sob o tema "O Golpe Militar de 1964: repercussões na Educação e na Cultura". A audiência será no Auditório, 6º andar, Anexo 1 do Edifício Nilo Coelho. 

As atividades em homenagem aos 50 anos do Golpe continuam e vão culminar com uma Mostra de Cinema denominada "Marcas da Memória", no final deste ano.

De acordo com o secretário executivo de Justiça e Direitos Humanos, Paulo Moraes, a data dos 50 anos do Golpe Militar deve tem muita visibilidade, pois esse período trouxe conseqüências que se perpetuam até hoje. Os jovens devem aproveitar a oportunidade para conhecerem um pouco do que foram “os anos de chumbo”, e assim entenderem a história do Brasil a partir deste momento. Acrescenta ele.

Exposições resgatam imagens do Golpe Militar

“Anistia e Democracia; para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça” apresenta 30 painéis com textos e fotos sobre a Lei da Anistia, que fazem um resgate da história da Ditadura Militar, apresentando depoimentos de um período, onde a repressão e a violência eram constantes. A mostra já passou por diversos estados brasileiros. Em Pernambuco, 10 cidades puderam conferir os trabalhos.

“A Verdade da Repressão, a Memória da Resistência” é uma iniciativa da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Esta exposição faz parte do Projeto Direito à Memória e à Verdade, cujo objetivo é recuperar e divulgar o que aconteceu no período militar. A mostra apresenta 21 painéis impressos em lona com um formato flexível adaptáveis aos diversos ambientes.

SALGUEIRO, ARCOVERDE, AFOGADOS, BELO JARDIM E LIMOEIRO: Interior de Pernambuco recebe mais cinco UPAEs




“A saúde de Pernambuco ganha um reforço especial com essas novas unidades”. Foi o que disse o governador, neste domingo (30/03), durante a inauguração da Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UPAE) de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco. No mesmo dia, Eduardo ainda entregou outras duas unidades, a UPAE de Arcoverde, no Sertão do Moxotó, e a de Limoeiro, no Agreste. Até o final deste ano, outras seis unidades serão inauguradas nos municípios de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife; Escada e Palmares, ambas na Mata Sul; Goiana e Carpina, municípios localizados na Mata Norte; e Ouricuri, no Sertão do Araripe. 

Para Eduardo, as especialidades vão garantir mais qualidade no diagnóstico e no tratamento de doenças de baixa e média complexidade. “É importante destacar que as UpaEs foram construídas com 100% de recursos do Governo do Estado e a manutenção será compartilhada com as prefeituras”, lembrou o governador. 

Ao todo, o Governo do Estado investiu R$ 37 milhões nas três unidades entregues neste domingo ao povo pernambucano. Antes de definir os locais para a implantação das UpaEs, a equipe da saúde procurou uma localização estratégica para cada nova unidade. A UPAE de Arcorverde vai beneficiar 13 cidades. A unidade de Belo Jardim vai atender a 270 mil habitantes dos municípios de Alagoinha, Cachoeirinha, Pesqueira, Poção, Sanharó, São Bento do Una e Tacaimbó.

Já o equipamento de Limoeiro beneficia 12 municípios do Agreste e da Mata Norte, totalizando uma população de cerca de 300 mil habitantes. Cada unidade terá capacidade para realizar cerca de 80 mil atendimentos e 160 mil exames em diversas especialidades. O objetivo da ação é descentralizar os atendimentos e oferecer conforto aos pernambucanos que residem no interior.

MAIS DUAS UPAEs NO SERTÃO: O Sertão Central ganhou sua primeira Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UpaE), e o Sertão do Pajeú, a segunda unidade. Neste sábado (29/03), o governador Eduardo Campos e o secretário de Saúde, Antonio Carlos Figueira, inauguraram as UpaEs de Salgueiro e de Afogados da Ingazeira. O investimento para a construção das unidades foi de R$ 25,4 milhões. 

A UpaE Salgueiro custou R$ 12,4 milhões aos cofres do Estado, e vai atender a população dos oito municípios que compõem a região do Sertão Central, e ainda de outros, como Belém de São Francisco. “Tenho certeza de que essa unidade vai fortalecer o cuidado com a saúde pública no Sertão Central. Estamos atacando a questão da média complexidade, fortalecendo e dando fluência ao cidadão que vem do atendimento da ação básica”, disse o governador, durante ato de inauguração em Salgueiro.

Cada unidade segue o mesmo padrão, com consultórios para atendimentos médicos e setor de diagnósticos e terapia. Por ano, a UpaE Salgueiro poderá realizar 91.560 consultas e 228.900 exames de apoio diagnóstico, como exames laboratoriais, eletrocardiograma, ecocardiograma, mapa, holter, teste ergométrico, RX, endoscopia e ultrassonografia. Já a unidade de Afogados da Ingazeira ofertará 79 mil consultas médicas e 160 mil exames por ano.

O secretário Antônio Figueira ressaltou a interiorização do atendimento de saúde. “Essas especialidades existiam apenas no Recife e algumas em Caruaru. A UpaE vem trazer o que estava faltando, os exames e consultas especializadas, fazendo de Salgueiro, por exemplo, um polo médico na região, atendendo pessoas também da Bahia”, destacou o secretário, lembrando que a emergência do Samu chegará ao Sertão Central até julho de 2014.

Segurança e infraestrutura – Em Salgueiro, o governador Eduardo Campos também inaugurou ainda o 5º Grupamento do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco, cujo edifício sede foi batizado de Governador Carlos Wilson. O grupamento recebeu R$ 2 milhões em investimentos, e contará com efetivo de 13 bombeiros. Inicialmente, a missão é de Combate a Incêndio, Atendimento pré-hospitalar, Salvamento, Vistorias Técnicas, entre outras, para Salgueiro e região.

“Esse prédio moderno dos Bombeiros é uma conquista que traz dignidade ao povo sertanejo, marca o começo de um novo tempo”, afirmou o prefeito de Salgueiro, Marcones Libório. O 5º Grupamento em Salgueiro fica na rua João Vera de Siqueira, Sem número, no bairro Nossa Senhora Aparecida. Ainda em Salgueiro, o governador Eduardo Campos descerrou a placa referente à inauguração das obras de restauro dos 18 quilômetros da PE-507, estrada que liga Salgueiro a Serrita. O total investido na rodovia foi de R$ 11,3 milhões.

Em tempo: Garanhuns teve a primeira UPAE do estado.

PROGRAMAÇÃO: Festival VIVA DOMINGUINHOS vai tendo os artistas conhecidos em Garanhuns



Mesmo sem o resultado da convocatória, as atrações para o Festival VIVA DOMINGUINHOS estão sendo conhecidas, sem nenhum anúncio oficial. Alguns nomes foram falados ainda com o edital aberto. Nomes como Mourinha já havia informado até o dia que vai se apresentar, dia 25, enquanto que Lucy Alves, do Clã Brasil e que recentemente participou do The Voice Brasil, estará no dia 26.

A paraibana assinou contrato com uma grande gravadora e deve se tornar uma estrela nacional, depois de do excelente resultado no Programa da Globo, quando chegou à final e colecionou milhares de fãs que ainda não conheciam seu trabalho. Temos os CD´s e DVD´s do Clã Brasil, que já esteve em Garanhuns, apresentando-se na AABB e no Festival de Inverno. Assistimos a ambas apresentações. Na banda, Lucy canta e toca ao lado de sua família.

Roberto Almeida já adiantou também que o Viva Dominguinhos contará com Jorge de Altinho, Santanna, Maciel Melo, Liv Moraes (filha de Dominguinhos) e Nando Cordel. Sem dúvida, uma programação de alto nível, com grandes nomes da verdadeira música criada por Luiz Gonzaga e defendida com honra pelo Mestre Dominguinhos.

O nome Viva Dominguinhos foi utilizado pela Sociedade dos Forrozeiros Pé-de-Serra e Ai!, no show do último Festival de Inverno. Tive a oportunidade de ser convidado e representar Garanhuns, assim como o Viva Gonzagão! Show que marcou o centenário do Rei do Baião, e que também tive a honra e a responsabilidade de participar!

Esperamos que a programação oficial seja divulgada logo, pois já estamos perdendo tempo na divulgação do evento, coisa que a gente achava que iria mudar, mas é sempre a mesma coisa. Como aliás, foi também o Jazz, com a programação saindo somente uma semana antes.

Resolvemos não participar da convocatória. 

GREVE: Técnico-administrativos da UFRPE/UAG realizam ato de conscientização



O Comando Local de Greve da Unidade Acadêmica de Garanhuns realiza nesta terça-feira (01), a partir das 7h da manhã, em frente à quadra da UAG, o primeiro Ato de Conscientização da Greve para a Comunidade Acadêmica. Neste dia estará acontecendo a aula-magna na unidade. Durante a ocasião será feita uma recepção pacífica aos calouros, com café da manhã e panfletagem sobre os motivos da greve.

De acordo com o CLG/UAG, a participação dos técnicos é fundamental, pois essa será uma estratégica oportunidade de mostrar a união enquanto categoria, além da sua força no movimento grevista.

SANTA CRUZ x SPORT, NÁUTICO x SALGUEIRO. Rubronegros são favoritos?


Santa Cruz e Sport voltam a se enfrentar, desta vez, pela semifinal do Pernambucano. Serão seis jogo em um mês e meio. Na outra semifinal, o Náutico pega o Salgueiro. Sport e Náutico decidem em casa.

O Santa Cruz ainda não conseguiu vencer o Sport este ano, e por isto, o rubronegro é favorito, mesmo sendo um clássico. Entretanto, o time da Ilha não vem conseguindo repetir o futebol de umas semanas atrás. Penou para empatar com o Santa Cruz na quarta-feira passada e perdeu para o Náutico neste domingo. O Santa Cruz venceu o favorito Sport nas últimas três decisões estaduais. Com maior poder financeiro e sendo o clube pernambucano na Série A do Brasileirão, o Sport tem, em tese, tem a obrigação do título.

O Náutico, com a vitória sobre o Sport, terminou em primeiro o hexagonal e pega o Salgueiro, mas não será fácil, principalmente no jogo do Sertão, onde o time sertanejo está adaptado ao clima e tem conseguido bons resultados, venceu o Sport, inclusive. Como joga a primeira em casa, o Salgueiro vai pro tudo ou nada pra depois tentar a classificação inédita na Arena Pernambuco, casa do Náutico, mas onde o time não joga bem. Mas o alvirrubro tem tradição é o favorito para a vaga na final.

Na teoria teríamos uma final Sport e Náutico, mas o Santa Cruz quer o Tetra e o Salgueiro quer surpreender. Eduardo Batista, técnico leonino, disse que o Sport será campeão Pernambucano e do Nordestão. Depois que falou isto o time não venceu mais. Permanece favorito?

Façam suas apostas: Quem faz a final do Pernambucano, e quem levanta a taça?

O golpe de 64 - Por quem estava dentro do Palácio do Campo das Princesas


Arraes. sob escolta militar, deixa o Palácio

DO PORTAL G1 PERNAMBUCO

As memórias do ano de 1964 marcam o advogado Ivan Rodrigues. Amigo do então governador de Pernambuco, Miguel Arraes, Rodrigues estava no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo, quando os militares informaram que Arraes estava deposto. O advogado compartilhou a lembrança nesta quinta (27), no ato que rememorou os 50 anos do golpe militar de 1964 e a deposição de Arraes, na sede do Instituto Miguel Arraes, no Poço da Panela, Zona Norte do Recife.

Ivan Rodrigues estava no Palácio do Campo das Princesas quando Arraes foi deposto (Foto: Katherine Coutinho/G1)
Ivan Rodrigues estava no Palácio do Campo das Princesas
quando Arraes foi deposto. (Foto: Katherine Coutinho/G1)
O advogado recordou a grande movimentação de militares no entorno do Palácio do Campo das Princesas, localizado na Praça da República, região central da capital. Arraes se recusara a apoiar o regime declaradamente, como lhe fora exigido para permanecer no poder. “A certa altura, aproxima-se pelo terraço dos fundos o coronel Dutra de Castilho. Doutor Arraes desce do primeiro andar e vai ao encontro do coronel, no limite do terraço”, recorda.

Coube ao coronel informar ao governador que ele estava deposto. O respeito do militar a Arraes é algo que Rodrigues carrega na memória, assim como a resposta dada pelo governador ao ser deposto. “Arraes respondeu: ‘O senhor não tem autoridade para me depor. Sou governador do estado, eleito pelo povo de Pernambuco e somente ele pode me depor. Ou então, o senhor quis dizer que estou preso e isso o senhor pode fazer pela força’”, conta o advogado.

Entre os momentos da deposição que também marcam Rodrigues está a despedida de Arraes, após ser informado que somente a família poderia permanecer no Palácio. O governador ficou na frente do elevador do primeiro andar, fazendo questão de cumprimentar e se despedir de todos os funcionários e amigos.

Fotos do acervo do Instituto reproduziam marcos da história do ex-governador. (Foto: Katherine Coutinho/G1)
Fotos do acervo do Instituto reproduziam marcos da 
história do ex-governador. (Foto: Katherine Coutinho/G1
Contexto político



A baixa adesão popular à reedição da Marcha da Família, este ano, é um sinal de que, hoje, as pessoas não mais aprovam a ideia do regime e começam a ter uma visão crítica sobre ele, aponta o presidente da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara, Fernando Coelho, que também participou da cerimônia desta quinta-feira (27). “O golpe de 1º de abril de 1964 precisa ser entendido como um episódio da Guerra Fria. Não foi um fato isolado”, destaca.

Amparo Araújo destacou importância da memória (Foto: Katherine Coutinho/G1)
Amparo Araújo destacou a importância da memória.
(Foto: Katherine Coutinho/G1)

Luta pela Democracia





Tendo participado da luta armada contra o regime, a militante Amparo Araújo, ex-presidente do Movimento Tortura Nunca Mais em Pernambuco, ressalta que lembrar os fatos de 1964 não é uma comemoração, mas sim um ato para preservar a memória. “Um país que não tem memória não tem futuro. É preciso que nossos netos assumam as bandeiras de defesa do nosso país”, aponta, destacando que espaços como o Instituto auxiliam para que as violações de direitos não sejam esquecidas.

A importância do trabalho da sociedade civil na luta por seus direitos, pela memória, é essencial para a construção da democracia, defende o coordenador do Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop), Rodrigo Dedodato. “Nesse 1º de abril de 1964, dois jovens foram assassinados aqui no Recife, Jonas José e Ivan Albuquerque, onde hoje fica a Avenida Dantas Barreto. Há uma marca de memória exatamente naquele lugar. Isso é importante ser lembrado, pois esses jovens foram os primeiros mortos pela ditadura militar de 1964”, afirma Deodato, citando ainda as famílias que até hoje não tem respostas sobre o paradeiro de filhos e parentes.

Antônio Campos, neto de Miguel Arraes (Foto: Katherine Coutinho/G1)
Antônio Campos, neto de Miguel Arraes, recordou o
casamento da mãe. (Foto: Katherine Coutinho/G1)
Memórias de família
Neto de Miguel Arraes e diretor do Instituto, o escritor Antônio Campos relembrou os momentos que marcaram a família, como o casamento da mãe, ocorrido em uma capela militar cercada por soldados. Arraes já estava preso e foi levado escoltado pelo Exército.

“Naquele dia, dizem que só quem não chorou, infelizmente, foi o capelão. Logo depois, ele foi a Dom Hélder Câmara e disse: ‘Dom Hélder, incrível, celebrei o casamento da filha da Arraes e só não chorou acho que eu’. [...] Dom Hélder disse: ‘oh, meu filho, que pena que você não chorou. O Cristo nos ensinou que devemos chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram”, conta Campos.

CRÉDITO: G1 GLOBO PERNAMBUCO / Katherine Coutinho / em 27/03/2014

G1 Pernambuco


MAIS... AINDA HOJE PUBLICAREMOS A ÍNTEGRA DO DISCURSO DE IVAN RODRIGUES.

COM ESTAS PUBLICAÇÕES, REGISTRAMOS OS 50 ANOS DO GOLPE MILITAR NO BRASIL E A DEPOSIÇÃO DO GOVERNADOR MIGUEL ARRAES. AMBOS ACONTECIMENTOS MUDARAM A VIDA DO PAÍS E MAIS PARTICULARMENTE DE PERNAMBUCO.

PV anuncia apoio à Frente Popular. Suplente do Senado será Carlos Augusto‏

  • Sileno Guedes, Sérgio Xavier, Geraldo Júlio, Fernando Bezerra Coelho, Carlos Augusto, Paulo Câmara, Augusto Carreras, Raul Henry e Roberto Leandro


  • A Frente Popular de Pernambuco recebeu neste domingo (30) o apoio do Partido Verde (PV) para as eleições de 2014. Também foi anunciado o nome do primeiro suplente para a vaga de Senado, será o presidente estadual dos Verdes, Carlos Augusto Costa. O ato político foi realizado na sede da legenda, no bairro de Santo Amaro, Centro do Recife. Os pré-candidatos a governador e vice, Paulo Câmara (PSB) e Raul Henry (PMDB), e ao Senado, Fernando Bezerra Coelho (PSB), compareceram acompanhados do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB).

    "O apoio do PV nos orgulha muito. É um partido comprometido com a sustentabilidade e com as causas ambientais. Agora vamos trabalhar juntos para construir um programa de governo que atenda a estas demandas", afirmou Paulo Câmara. Fernando Bezerra acredita que a entrada dos Verdes reforça a participação da sociedade organizada na Frente. "Temos aqui pessoas que militam há muito anos na defesa do meio-ambiente. Gente que estuda com profundidade a temática ambiental. Vamos nos aproveitar destas experiências para oferecer a Pernambuco um projeto consistente e equilibrado", disse.

    O secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier, lembrou que a aproximação do PV com a Frente Popular começou em 2010, logo após a reeleição de Eduardo Campos para o governo do Estado. Há quatro anos Xavier disputou o cargo pelo Partido Verde. "Depois que o processo eleitoral acabou, Eduardo nos procurou e elogiou nossas propostas de conservação e sustentabilidade. Então veio o convite para compor sua equipe", declarou. 

    Carlos Augusto Costa, explicou que o apoio à Frente Popular foi aprovado pela maioria dos dirigentes e filiados. "Pernambuco não pode dar um passo atrás. Avançamos muito em todos os setores da administração pública e a sociedade espera que estas conquistas sejam aprofundadas. Acreditamos que esta chapa da Frente Popular seja a mais qualificada para isto".

    Suplência- Carlos Augusto Costa é engenheiro eletrônico, tem 51 anos e é natural do Crato (CE). Mora no Recife desde 1987 e é um dos fundadores do Partido Verde em Pernambuco. Desde 2011 ocupa a presidência da sigla. "É um grande quadro que está sendo convocado para um desafio. Temos trazido a questão das águas para o debate, discutindo o consumo humano, a produção e saneamento básico. Tenho certeza que ele poderá colaborar muito com esses diálogos", observou Fernando Bezerra.

FORAM DESTAQUES DO BLOG. CLIQUE E CONFIRA!

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.