GOVERNO DO ESTADO AÇÃO

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

UNIMED AGRESTE MERIDIONAL

UNOPAR GARANHUNS

CLIQUE NAS IMAGENS E CONFIRA DESTAQUES DO BLOG

sábado, 2 de julho de 2016

Fagner faz show de encerramento do IV Festival Internacional de Sanfona‏



O show de encerramento do IV Festival Internacional da Sanfona, no próximo dia 16 de julho, na Orla Nova de Juazeiro – BA, será com o cantor cearense Fagner. Com 40 anos de carreira e colecionador de sucessos, como ‘Revelação,’ “Eternas Ondas” e ‘Jardim dos Animais’, Fagner ficou mais conhecido do público brasileiro, e em particular entre os sanfoneiros, depois de ter gravado grandes discos ao lado do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, com Gonzaguinha o álbum já clássico, ABC do Sertão, e de ter vencido um festival de música com a canção de Dominguinhos e Manduka, ‘Quem Me Levará Sou Eu’.

Dono de um vasto repertório e de uma voz que encanta várias gerações, ele se apresenta à beira do rio São Francisco, mostrando músicas conhecidas do público, canções do seu 37º álbum, ‘Pássaros Urbanos’ e dividindo o palco com os instrumentistas Targino Gondim (curador do evento), Murl Sanders (EUA), Cathie Travers (Austrália), Chico Chagas e Edglei Miguel. Os shows da noite começam às 19h, com sanfoneiros conhecidos da cena regional.

O IV Festival Internacional Da Sanfona, que é realizado pela Toca pra Nós Dois e Conspiradoria Projetos e Produções, começa na quarta-feira (13), no Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro, com exposição de sanfonas e fotografias, além de demonstrações de montagem, manutenção e afinação do instrumento. O público ainda se aprofundará um pouco mais no universo sonoro da ‘gaita’, através das oficinas práticas de sanfona, com o músico Edglei Miguel, às 9h.

A quinta-feira (14) também será de programação diversificada. Além das oficinas e do workshop de harmonia e acompanhamento, às 14h, com Chico Chagas, os shows do Quinteto Sanfônico da Bahia, de Renato Borghetti e de Cathie Travers, darão mais sonoridade ao evento, a partir das 20h. Já na sexta-feira (15), as oficinas, o workshop de improvisação, com Nelson Faria e Chico Chagas, às 14h, fazem parte do roteiro que ainda conta com os shows de Oswaldinho, Mestrinho e Murl Sanders, às 20h. Tudo isso também no Centro de Cultura João Gilberto.

A cada dia, após as oficinas e workshops, o festival apresentará as Jam Sanfona Sessions, cujas improvisações dos sanfoneiros convidados, além dos músicos regionais, deixarão a 4ª edição mais próxima dos visitantes. Uma “palinha” com um pouco de todos os estilos, saindo do forró, passando pelo jazz e bossa nova até soar a música clássica.

O Festival tem o patrocínio do BNDES e Ministério da Cultura (Minc), através Lei Rouanet e apoio da Prefeitura Municipal de Juazeiro. Como toda a grade é gratuita, a coordenação do evento reserva também 5% da lotação às pessoas com deficiências físicas, idosos, gestantes e crianças de colo.

MORRE DOM IRINEU ROQUE SCHERER




O bispo da Diocese de Joinville, no Norte de Santa Catarina, foi encontrado morto em casa por volta das 11h deste sábado (2). A suspeita inicial, segundo a assessoria da Mitra Diocesana, é de que ele tenha sofrido um infarto.

Dom Irineu Scherer, de 65 anos, tinha o hábito de acordar muito cedo para trabalhar. Os demais religiosos da casa onde morava, ao lado do Seminário Divino Espírito Santo, estranharam que a manhã avançasse sem que ele saísse do quarto. Como não receberam resposta a mensagens de texto e a telefonemas, resolveram entrar no dormitório de Scherer e o encontraram caído no chão já sem vida.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) do município para uma autópsia que deve apontar as causas da morte. “Inicialmente, suspeitamos de um infarto. Até onde sabemos, era um homem de boa saúde. Estamos muito surpresos com o falecimento que provavelmente deve ter ocorrido durante a noite”, disse o padre Ivanor Macieski.

Padre há 38 anos

Conforme Ivanor, Dom Irineu era padre há cerca de 38 anos. Natural de Cerro Largo, no Rio Grande do Sul, foi criado e ordenado padre em Toledo, no Paraná.

Scherer descobriu a vocação para o sacerdócio ainda na infância e entrou para o seminário aos 13 anos, para ordenar-se padre Diocesano em 1978. Foi bispo em Garunhuns, no Agreste Pernambucano, por uma década. Em Joinville, atuava há oito anos.

Extrema bondade

“Dom Irineu foi um grande pastor, acolhia a comunidade e a nós, padres, como um grande pai. Certamente, será lembrado como um bispo de extrema bondade”, contou o padre Ivanor Macieski.

Segundo a Mitra Diocesana, quando o corpo for liberado do IML, deve ter início o velório na Catedral de Joinville. Uma missa solene será presidida pelo Cardeal de São Paulo Dom Odilo Scherer, primo de Dom Irineu, às 15h de domingo (3). Na sequência, ocorre o sepultamento na Cripta da Catedral, onde estão enterrados outros bispos.

Conforme a assessoria da Diocese, Irineu era o maior representante da igreja católica em Santa Catarina. Ele respondia por 18 municípios, o que equivale a cerca de 1 milhão de fiéis.


MINHA CASA MINHA VIDA EM TAMANDARÉ

Empreendimentos entregues pela CAIXA nos municípios pernambucanos 
são destinados a famílias com renda de até R$ 1,6 mil



Mais de 3.700 pessoas foram beneficiadas, nesta sexta-feira (1º), em Barreiros (PE) e Tamandaré (PE), pelo Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), com a entrega das 301 unidades do Residencial Areia Branca, em Tamandaré, e das 635 unidades dos Residenciais Santa Clara I e II, em Barreiros. Os empreendimentos, destinados a famílias com renda de até R$ 1,6 mil (Faixa I), receberam investimento de mais de R$ 56 milhões.

Os eventos contaram com a presença da superintendente regional da CAIXA, Simone Benevides de Pinho Nunes, e demais autoridades locais.

O Residencial Areia Branca, em Tamandaré, é composto por 301 casas com área privativa de 41,70 m². Já os Residenciais Santa Clara I e II, em Barreiros, são compostos por 635 casas com área privativa de 39,09 m². Todas as unidades são divididas em 2 quartos, circulação, sala, banheiro, cozinha e área e serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes.

Atendendo às exigências de qualidade do PMCMV, os residenciais são equipados com infraestrutura completa, pavimentação, redes de água, esgotamento sanitário, drenagem, energia elétrica e disponibilidade de acesso ao transporte público.

Números do Minha Casa Minha Vida:

O Programa já beneficiou mais de 11,2 milhões de pessoas, com a entrega de 2,8 milhões de moradias em todo o país. Já no estado de Pernambuco, foram entregues mais de 85.133 unidades, beneficiando mais de 340 mil pessoas. Em Barreiros, o PMCMV já beneficiou mais de 9 mil pessoas com a entrega de 2.426 unidades habitacionais. Em Tamandaré, foram entregues 290 unidades, beneficiando cerca de mil pessoas.

Fundarpe divulga logomarca e painel do Pórtico do Festival de Inverno de Garanhuns

FIG acontece de 21 a 30 de julho de 2016


A Fundarpe e a Secretaria de Cultura de Pernambuco divulgaram nesta sexta-feira (01/07) a logomarca do Festival de Inverno de Garanhuns para a edição 2016. Novamente utilizando o colibri como logo principal, a arte traz fontes originais coloridas para o evento, em tons de azul, verde e vermelho. 

A logomarca dá o tom para toda a comunicação visual do mega-evento, quer seja nos palcos, banners, vídeos e tudo mais onde houver programação e publicidade oficial, que este ano faz homenagem ao ícone da nossa cultura, Naná Vasconcelos.

Foram divulgadas também duas artes, a imagem de Naná, e a outra, provavelmente, a do Pórtico de entrada da cidade pela BR-423, que geralmente se diz de quem vem de Recife, mas também de Jupi, Lajedo, São João e tantas outras cidades que utiliza a rodovia!

A cidade vai entrando no clima e a expectativa pela programação é grande, muuuito grande!

Novas informações sobre o Festival de Inverno de Garanhuns 2016

Tatiana Notaro, da Folha de Pernambuco

O Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) deste ano terá “um recorte nordestino”, de acordo com o secretário de Cultura de Pernambuco, Marcelino Granja, - o que significa que a programação, que deve ser anunciada em 10 dias, priorizará artistas locais. Essa não é uma medida meramente protecionista ou de valorização, mas de economia.

Este ano, a verba do FIG, que já vinha decaindo nos últimos anos, terá uma redução de 30% em relação à edição de 2015. Serão R$ 5,4 milhões investidos no evento; em 2015, o valor foi de R$ 7,8 milhões. 

“O FIG continuará sendo um grande festival de arte. Ano passado homenageou o Pará; este ano, o Nordeste, o que não diminui em nada a qualidade artística, porque a cultura nordestina é fundante da nacional. Temos vários expoentes”, completa Granja. A programação continuará a ter 10 dias corridos e será aberta no dia 21 de julho com um concerto magno, “nos moldes da Mimo de Olinda”, na Catedral de Santo Antônio. “Na sexta-feira, na praça Guadalajara, a noite será em homenagem a Naná (Vasconcelos)”, completou. As negociações com os artistas que comporão a grade ainda estão em curso.

O fato de homenagear o Nordeste vai trazer economia com passagens aéreas, transporte e hospedagem, assegura o gestor. “Teremos redução nas diárias da própria equipe, reestruturando todo processo para torná-lo mais eficaz”, continuou.

Na estrutura, haverá alguns rearranjos, utilizando o palco do parque Euclides Dourado para poupar a montagem de outros. O polo circense terá a montagem da lona, mas economizará energia elétrica e segurança, por exemplo.

O Pavilhão do Artesanato será excluído e a atividade utilizará a estrutura local do Sebrae; apresentações de artes cênicas serão transferidas para teatros, como o Centro Cultural. Já a Praça da Palavra utilizará o prédio da biblioteca da prefeitura de Garanhuns, que também fica na praça. Por fim, o pavilhão que abrigava shows de música pop e forró será reduzido ao palco (vai para a Av. Julio Brasileiro, na entrada do parque), eliminando coberta e piso. “Assim, estamos diminuindo uma enormidade de custos, uma economia de R$ 2,4 milhões”, afirma o secretário.

Por ora, os R$ 5,4 milhões investidos no FIG deste ano vêm dos cofres públicos e tem verba também do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), mas Granja disse que o projeto será submetido à Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic) e o Estado espera receber incentivos através da Lei Rouanet. Conseguindo esses aportes, R$ 1,2 milhão podem ainda ser economizados. Este ano, o FIG acontece entre 21 e 30 de julho e homenageará o percursionista Naná Vasconcelos, falecido em março deste ano.
http://www.folhape.com.br/

Biquini Cavadão encerra Programação do Festival de Inverno de Garanhuns 2016



A Banda Biquini Cavadão confirmou, por meio de sua assessoria, em contato com a blogueira Amannda Oliveira, que fechou contrato para se apresentar no Festival de Inverno de Garanhuns, sem informar a data. Mas podem anotar aí, deve ser na noite de encerramento, no sábado, dia 30, na Esplanada Cultural Mestre Dominguinhos.

O FIG tem por tradição encerrar a programação da "Praça" com um show de Pop Rock Nacional. Foi assim com praticamente todas as bandas que vocês pensarem: Cidade Negra, Titãs, Capital Inicial, Barão Vermelho, etc.

Biquíni Cavadão trará ao festival o seu mais novo trabalho, " Me Leve sem Destino", que aliás, é trecho do clássico " Vento Ventania". 

Como foi confirmada a apresentação, pensamento lógico que os demais shows anunciados pela prefeitura também estivessem, mas parece que tem dificuldades na data de Roupa Nova, que não teria mais os finais de semana à disposição. Cogita-se Marisa Monte, mas ainda não tem nada acertado. Josá Augusto é provável. Fagner já é dado por certo. 

Para saber mais:

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.