GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO
CLIQUE E SAIBA MUITO MAIS

CLIQUE NA IMAGEM E SAIBA MAIS

UNOPAR GARANHUNS

UNOPAR GARANHUNS
CLIQUE NA IMAGEM

FORAM DESTAQUES DO BLOG. CLIQUE E CONFIRA!

terça-feira, 20 de junho de 2017

JOSÉ TELES: Não tem mais São João de volta

São João deixou de ser uma festa popular para ser produzido em mega-estruturas com produtos da mídia
Ganha-se muito dinheiro, junto a produtores, e as prefeituras pensam que cultura é praça lotada!


"Num debate de que participei, na Rádio Jornal, no programa do meu amigo Ednaldo Santos, sexta-feira, com Xico Bizerra e Anselmo Alves, confessei meu pessimismo sobre mudanças no formato adotado para os festejos juninos no Nordeste. Assim como o Carnaval, não tem mais volta o São João. Aliás, como de resto, quase todas as festas populares. É uma equação de fácil resolução. O povo é só público. A festa é de Prefeituras e produtores. Quando mais palcos e artistas, melhor. Por isso são criados polos descentralizados, anunciados como se fossem um presente para o coitadinho que mora longe e, portanto, não tem acesso ao artista famoso.

A descentralização apenas apressa o fim das manifestações populares que ainda existiam porque estavam distante dos palcos. Se o povo da zona rural ou da periferia não vai aos palcos, levam-se os palcos a ele. Em lugar de incentivar a continuidade do tipo de festa que se fazia no local, promove-se a inserção destes "atrasados" na cultura "muderna" de palco e plateia.

O modelo, que foi disseminado, Nordeste afora, para os festejos juninos, é uma bastardização cultural mais grave do que a que se faz no Carnaval. Na região, a folia de Momo acontece, basicamente, em Salvador, no Recife e em Olinda. Enquanto o São João é festejado em centenas de municípios. Em todos os estados.

VER O SHOW

Acho que não tem volta, tanto São João quanto Carnaval. Pelo menos duas gerações cresceram indo ver a festa, e não brincar na festa. Não a entendem de outra maneira. Os secretários de cultura não assumem o cargo esboçando uma política cultural que possa ser continuada. Pensam nas atrações que serão contratadas para o próximo São João. 

O São João tradicional existe apenas nos comerciais que se divulgam pela TV ou Rádio. Todos eles têm como música de fundo, o forró tradicional. Raros são os municípios que apresentam peças promocionais anunciando o que contrataram como atrações para o palco principal, Luan Santana, Jorge e Mateus, Wesley Safadão, e similares, todos pagos regiamente, e sem atraso. Estes nem são convidados para o coquetel de lançamento do "São João Monumental" de determinada cidade. Só chegam na hora do show. 

O São João não tem mais volta também porque os forrozeiros acomodaram-se no papel de convidados da própria festa. Aceitam o papel de coadjuvantes, num filme que todo ano se repete, com muita conversa mole, péssima trilha sonora, grande bilheteria, e público garantido.

José Teles 
Escritor, crítico cultural e jornalista do Jornal do Commercio"

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

POSTAGENS ANTERIORES, CLIQUE NO LINK

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.