DESTAQUES DO BLOG

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Oposição de Pernambuco faz grande encontro no Espaço Arcádia, no Recife Antigo



As principais lideranças de oposição no estado se reuniram nesta segunda (11), no Espaço Arcádia no Recife Antigo, onde lançaram o movimento “Pernambuco Quer Mudar”. À frente do evento os senadores Armando Monteiro (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (PMDB), os ministros Fernando Filho (sem partido) e Mendonça Filho (DEM), o deputado federal Bruno Araújo (PSDB) e os ex-governadores Joaquim Francisco e João Lyra Neto (PSDB), entre outros líderes da oposição estadual, a exemplo dos deputados Priscila Krause (DEM) e Álvaro Porto (PSD). Segundo os oposicionistas, o evento reuniu cerca de 45 prefeitos, vereadores, deputados federais e estaduais. 

Nas redes sociais, defensores do Governo Estadual e da reeleição de Paulo Câmara têm relacionado a oposição estadual ao Governo Michel Temer, já que conta com ministros, deputados e outras lideranças que têm defendido o presidente e votado a favor das reformas enviadas ao Congresso Nacional, principalmente a trabalhista e a previdenciária.

Pela escolha da cor azul pela oposição, ano que vem teremos o azul contra o amarelo em todos os recantos de Pernambuco.

Dentre os oradores da noite, em sugestão de pauta enviada aos meios de comunicação, registramos as palavras do ex-governador João Lyra, pai da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, que falou sobre a união das oposições.

“Temos um roteiro, temos a alternativa, temos homens testados nas lutas e nas urnas e que compreendem o quanto é necessário construir esperança nessa hora. Uma reunião desse tipo, com essa multiplicidade de lideranças mostra que estamos construindo uma engenharia de uma grande obra social e econômica. Estamos aqui porque temos crença de que Pernambuco precisa mudar e vai mudar", afirmou o ex-governador Joaquim Francisco. “O que estamos vendo aqui é que Pernambuco quer mudar. Não estamos vivenciando nenhuma convenção, não estamos anunciando nenhum candidato, mas nunca houve na história de Pernambuco o início de um movimento político com tantas lideranças. Isso significa que todas as regiões de Pernambuco vão nos unir para colocar Pernambuco no seu devido lugar, para fazer o estado restabelecer sua liderança nacional”, frisou ex-governador João Lyra Neto.

Foto: Edmar Melo/Divulgação

Inscrições abertas: SENAI Garanhuns tem 176 vagas em Cursos de Férias



É comum utilizar as férias para atividades de lazer, mas que tal aproveitá-las para ter mais conhecimento, subir um nível de capacitação ou quem sabe começar uma nova profissão? Das 1.505 vagas disponibilizadas pelo SENAI PE para os Cursos de Férias 2018.1, 176 vagas em 10 cursos de curta duração são da Escola Técnica SENAI Garanhuns.

As vagas são nos cursos: Acionamentos Elétricos, Confeitaria para Crianças, Fabricação de Doces, Fabricação de Pizzas, NR-10 (Básico), NR-10 (Complementar – SEP), NR-35 (Trabalho em Altura), Operações com Empilhadeira, Operações com Empilhadeira (Atualização) e Técnicas de Fabricações de Pães.

Os cursos são de diversas áreas, possuem carga horária entre 8h e 70h e os valores começam a partir de R$72,00. Para realizar a matrícula, é necessário apresentar à secretaria da Unidade cópias e originais de RG, CPF, comprovantes de escolaridade e de residência.

Humberto diz que privatização da Chesf é atentado contra o povo nordestino



A declaração do presidente da Eletrobrás, Wilson Ferreira Júnior, de que vai incluir definitivamente a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) no conjunto de empresas que deverão ser privatizadas no ano que vem, levou o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), a endurecer o discurso. Para ele, a privatização da Chesf é um “atentado contra o povo nordestino”.

Para Humberto, a Chesf, que abastece 80% das cidades do Nordeste, também tem uma responsabilidade social e ambiental “de valor imensurável”. “Uma empresa privada vê a Chesf apenas como uma oportunidade de negócio, para poder lucrar ainda mais. Mas a Companhia tem papel estratégico para a nossa região. Se prevalecer apenas o interesse econômico, corremos dentro em breve o risco de não vermos mais o Rio São Francisco como vemos hoje”, afirmou.

Humberto também questionou a decisão do governo Temer de privatizar a empresa em um ano eleitoral: “A quem interessa vender o patrimônio nacional em ano de eleição? Quais são os interesses que estão por trás desse tipo de combinação, justamente em um período de transição política, em que vamos escolher o futuro governante do País? Estão querendo dilacerar o patrimônio nacional, entregando-o a preço de banana, e não querem dar sequer a oportunidade de os brasileiros decidirem sobre isso ”.

A expectativa é de que, já na próxima semana, o ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, encaminhe o projeto de lei sobre a venda da Eletrobrás e de suas subsidiárias para o Congresso Nacional. “É de fazer vergonha ver ministros pernambucanos apoiando uma ação criminosa como essa. São pessoas que traíram o voto e a confiança do povo pernambucano e que, agora, apoiam a destruição de uma das maiores e mais importantes empresas públicas do Nordeste”, sentenciou Humberto Costa.

ALUÍSIO ALVES - Dez Anos de saudade no rádio de Garanhuns!



Nesta terça-feira, 12/12, completam dez anos da morte do inesquecível Aluísio Alves. O tempo passa rápido, mas as pessoas continuam demonstrando o carinho que tinham com Seu Aluísio, e o sentimento de gratidão por tudo que ele fez por esta gente e pela cidade. Acabei de ler um bonito texto de sua colega Arlete Santos, sua colega por muitos anos de trabalho.

Apresentador de um programa popular, com foco nas notícias policiais, Aluísio ia além, e transformou em um debate de prestação de serviços, fazia o bem para as pessoas, para Garanhuns e toda a região. Era também um espaço de debate político, onde recebia as personalidades que conversavam com a população. Líder de audiência e ouvido em todo o Agreste.

Além de tudo, era uma pessoa do bem, alegre, espontâneo e que conhecia todo mundo pelo nome, do governador ao mais humilde trabalhador que tenha passado por suas manchetes. Ao tratá-los, buscava incentivar-lhes a mudança de vida e de costumes.

De bem com a vida, Aluísio gostava da brincadeira, jogava bola, contava piadas, estava sempre arrodeado dos amigos e de sua família. Com seu tipo de trabalho, tinha tudo para ser uma pessoa reservada, não era! Cidadão comum, que caminhava tranquilamente atendendo amigos e conversando com as pessoas.

BOAS HISTÓRIAS

Aluísio tinha sempre uma história ou uma piada pra contar. Gostava de falar das coisas de rádio. Jogava bola e era atleta de domingo do Garoa, onde jogamos alguns anos na AGA. Viajamos também. Lembro de uma pelada em Batalha/AL, em um domingo pela manhã. Era difícil ver Aluísio carrancudo.

VISITAS A CANHOTINHO E COLÔNIA PENAL

Chamei Aluísio algumas vezes para conhecer a penitenciária de Canhotinho. Ele relutava, talvez com receio de encontrar homens que criticou na rádio. Até que um dia, numa formatura de mais de 60 detentos em um curso de panificação e pastelaria, promovido pelo Sebrae, Aluísio aceitou o convite. Lá chegando, aqueles mesmos homens se emocionaram, muitos deles chegavam para falar com Aluísio, pedindo desculpas, dizendo que tinham mudado, explicando suas situações, pedindo para ele mandar abraços para suas famílias, tal o respeito que aqueles mesmos homens tinham com o radialista. Incrível. Aluísio falou com todos. Era uma espécie de ídolo. Deu conselhos aos homens que ele mesmo havia noticiado suas prisões.

Outro dia, Aluísio foi à Colônia Feminina, quando ainda era em Garanhuns, e lá, foi homenageado, chegou a chorar, emocionado. Não imaginava! Conhecia mulheres que estavam presas, e ele não sabia.

Aluísio foi também à cadeia pública, pois sabia que tinha que conhecer a realidade daquela gente, até mesmo para criticar, mas também para humanizar ainda mais sua prestação de serviços. Passou a falar para as famílias daqueles detentos.

Aluísio era o mais importante radialista do interior de Pernambuco, gerente da imponente Rádio Jornal, a pioneira, e todo mundo ouvia a Ronda Policial, que hoje na voz do competente, inteligente e jovem Eduardo Peixoto. A Ronda até mudou um pouco seu perfil, deixando um pouco o impacto das notícias policiais para a prestação de serviços. O tempo do programa também é bem menos que as três, quatro horas, da época de Aluísio.

O padrinho faz uma falta danada nesses tempos de ebulição política, onde gente grande também está indo para a cadeia.

Tenho certeza que todo mundo muitas e boas histórias de Aluísio Alves.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.