CLINLAB DIAGNÓSTICOS

CLINLAB DIAGNÓSTICOS

COLÉGIO STA. JOANA D'ARC

DESTAQUES DO BLOG

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Dicas de Carnaval da Nutricionista da UPAE Garanhuns



O carnaval é uma festa empolgante, com muita música e alegria, quando se tem um maior incentivo à ingestão de bebidas alcoólicas e consumo de comidas rápidas, geralmente nos polos de diversão. Mas é importante tomar certos cuidados para não sofrer depois. 

A nutricionista da UPAE Garanhuns, Laila Brasil, elencou 10 super dicas para o folião brincar o carnaval sem descuidar da saúde:

1. Beba muita água, de dois a três litros por dia. Vale também sucos e água de coco.

2. Evite gorduras, que dificultam a digestão e podem levar a um quadro de indigestão.

3. Consuma frutas e verduras, que são ricos em vitaminas, minerais e fibras. (Que até aliviam ressaca)

4. Se ingerir bebida alcoólica, que seja com moderação. Intercale com água para se hidratar.

5. Não fique longos períodos em jejum, evitando hipoglicemia. Alimente-se a cada três horas.

6. Evite maioneses e molhos, que estragam mais facilmente.

7. Observe a higiene dos locais onde vai comer. Evite comida contaminada.

8. Café da manhã reforçado com a energia de cereais integrais e frutas.

9. Utilize roupas confortáveis, leves e soltas, para evitar maiores esforços e desidratação.

10. Pós-folia consuma alimentos ricos em antioxidantes e vitaminas, e frutas cítricas.

E tem duas dicas fora da área, mas que todo profissional de saúde tem que dar: USE CAMISINHA, que previne inúmeras doenças sexualmente transmissíveis e não somente evita gravidez indesejada, e SE BEBER, NÃO DIRIJA!

Agora, é preparar a animação que o carnaval já começou!

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DO BLOCO UPÉ NA FOLIA NO CARNAVAL 2018


Lei Seca inicia Operação Carnaval em Pernambuco

Bloqueios, que têm incremento de 15%, vão acontecer em todos os turnos 
nos principais corredores de festas e acessos às praias



Com ações de fiscalização em todo o Estado durante a folia de Momo, a Operação Lei Seca em Pernambuco (OLS) dá início às 0h desta sexta-feira (09/02) ao esquema especial de Carnaval. O trabalho, que vai até a quarta-feira de cinzas (14/02), contará com todo o efetivo nas ruas, totalizando 210 profissionais, entre policiais militares, agentes do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) e técnicos da Secretaria Estadual de Saúde - que coordena as ações da Operação. Ao todo, serão realizados 85 bloqueios de fiscalização itinerantes, em todos os turnos, com foco nos principais corredores de festas e acesso às praias. Os bloqueios acontecerão na capital, na Região Metropolitana do Recife e no interior pernambucano.

No total, a Operação Lei Seca irá às ruas com 12 blitzes educativas, com a presença de cadeirantes e muletantes vítimas de acidentes de trânsito, e 73 de fiscalização - o que representa um incremento de 15% em relação ao Carnaval do ano passado. Os profissionais envolvidos nos bloqueios irão distribuir peças informativas sobre o risco da mistura entre álcool e direção, camisinhas, cartilhas bilíngües (português – inglês) com orientações sobre a rede de atendimento disponível no SUS no Estado e dicas de saúde, além de folders sobre a febre amarela. 

"Nosso objetivo com as ações deste Carnaval é reforçar para toda a sociedade que bebida e álcool não combinam. Com o esquema montado, a Operação Lei Seca terá acesso aos principais corredores de festividades no Grande Recife e interior, além das praias, com ações durante todo o dia. Iremos às ruas para reduzir o número de acidentados no trânsito pelo consumo de bebida alcoólica, ajudando a salvar vidas- esse é o nosso compromisso com os pernambucanos", ressalta o coordenador executivo da OLS, Fábio Bagetti. 

Balanço dos anos anteriores - A operação Carnaval, em 2017, abordou 11.942 veículos, totalizando 115 infrações por alcoolemia (6 crimes, 71 recusas ao teste do bafômetro e 38 constatações do consumo de bebida alcoólica pelo condutor). No total, 70 veículos foram rebocados e 617 motoristas multados.

Operação Lei Seca - Os acidentes e mortes no trânsito são encarados como questão de saúde pública e considerados como uma epidemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Pernambuco, por ano, são gastos cerca de R$ 1 bilhão com os acidentados de moto, quantitativo utilizado na saúde, previdência e outras áreas. No setor de saúde, esse tipo de paciente tem impacto na lotação dos leitos de enfermarias e de UTIs, nas cirurgias eletivas, que precisam ser canceladas para que haja os atendimentos de urgência; e na reabilitação.

Por conta disso, em 2011, o Governo de Pernambuco implantou a Operação Lei Seca no Estado, sob coordenação da Secretaria Estadual de Saúde. O programa traz a educação e a orientação aos condutores como eixo principal.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.