GOVERNO DO ESTADO

terça-feira, 18 de maio de 2021

Prefeitura de Garanhuns emite novo Decreto Municipal para contenção do avanço da Covid-19




A Prefeitura de Garanhuns emitiu, nesta terça-feira (18), novo Decreto Municipal com medidas para conter o avanço da Covid-19 no município. O Decreto 043/2021 terá validade a partir desta quarta-feira (19) até o término da vigência do Decreto Estadual 50.724, de 17 de maio de 2021. O documento ratifica os efeitos da determinação do Governo de Pernambuco e amplia algumas providências.

As Feiras Livres funcionarão até as 13h e só será permitida a comercialização de frutas, verduras, carnes, frios, tubérculos, cereais, laticínios, ovos e produtos de limpeza. Fica proibida a venda de bebidas alcóolicas e o consumo de qualquer alimento ou bebida. As decisões em relação às feiras terão validade até 20 de junho de 2021.

Sobre o transporte público coletivo, o Decreto Municipal permite apenas passageiros sentados, de acordo com o número de poltronas de cada veículo. A medida é válida para ônibus de pequeno, médio ou grande porte. Os usuários só poderão ter acesso ao transporte utilizando máscara.

O Decreto também determina a suspensão de aulas presenciais em creches, escolas, educandários e instituições de Ensino Superior, sejam elas públicas ou privadas. Fica autorizado, no entanto, o funcionamento dos departamentos administrativo e de pessoal, de segunda à sexta, das 8h às 12h.

Equipamentos de lazer, como os Parques Euclides Dourado e Ruber Van Der Linden funcionarão somente de segunda à sexta, das 6h às 18h. Aos sábados, domingos e feriados serão fechados.

O documento também define sobre o funcionamento de atividades econômicas em Garanhuns, de acordo com cada categoria:

- Material de construção, serraria, estivas, tintas e/ou insumos para pintura e ferro ou ferragem: segunda à sexta das 7h às 15h; fechando aos sábados, domingos e feriados;

- Confecções, calçados, joias, bijuterias, tecidos, aviamentos, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, óticas, cosméticos e perfumaria: segunda à sexta das 9h às 17h; fechando aos sábados, domingos e feriados;

- Escritórios comerciais e estabelecimentos de prestação de serviços: segunda à sexta das 9h às 17h; fechando aos sábados, domingos e feriados;

- Empresas localizadas em galerias comerciais, que não tenham atividades relacionadas a bares, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência ou similares: segunda à sexta das 10h às 18h; fechando aos sábados, domingos e feriados;

- Ração animal, petshops e produtos veterinários: segunda à sexta das 8h às 18h; fechando aos sábados, domingos e feriados;

- Lanchonete, loja de conveniência, delicatessens, bares, restaurantes ou similares: segunda à sexta das 10h às 18h; fechando aos sábados, domingos e feriados;

- Mercearia, supermercado e padaria: segunda à sexta das 6h às 20h; sábados, domingos e feriados das 6h às 18h;

- Compra e/ou venda de veículos automotivos em geral e motocicletas ou que disponibilizem veículos automotivos para locação: segunda à sexta das 9h às 17h; fechando aos sábados, domingos e feriados;

Para as empresas que tenham objeto de atividades econômicas não citadas neste Decreto Municipal, ficam valendo as determinações do Decreto Estadual 50.724, de 17 de maio de 2021. O documento está disponível na íntegra no portal da Prefeitura de Garanhuns (www.garanhuns.pe.gov.br).

Desfalque da CoronaVac

Produção da CoronaVac é suspensa por falta de insumos - Olhar Digital


A paralisação da produção da CoronaVac devido à falta de matéria-prima, o ingrediente farmacêutico ativo (IFA), irá reduzir em 17% a quantidade de vacinas contra a Covid-19 em maio. De acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, diante da falta de IFA, só será possível entregar "pouco mais de 5 milhões de doses" das 12 milhões previstas para este mês. Um novo lote com 4.000 litros do ingrediente está previsto para chegar ao país no dia 26 de maio, segundo o governador de São Paulo, João Doria. A falta de insumos fará também com que a Fiocruz paralise a produção do imunizante Oxford/AstraZeneca, mas isso não deve afetar as entregas de maio.

O que o ex-ministro Ernesto Araújo vai enfrentar na CPI da Covid




A CPI da Covid retoma os trabalhos hoje, no Senado, com o depoimento do ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo.

Ele terá de responder sobre a defesa da ineficaz cloroquina, erros do governo durante a pandemia —como possível negligência em relação à compra de vacinas— e o diálogo conflituoso com a China, maior parceiro comercial do país.

Outro ponto de constrangimento vai ser a viagem de uma comitiva para Israel em busca de um spray nasal contra a covid.

A visita foi estimada em ao menos R$ 400 mil, como revelou o UOL, e não resultou em nenhum acordo.

Os parlamentares buscam reunir evidências de que caberia atribuição de culpa ao presidente, por ação ou omissão, pelo agravamento da crise sanitária no país.

Já os governistas reclamam de que a comissão virou um palanque político e vem atuando no sentido de "construir uma narrativa" para prejudicar Bolsonaro.

O problema para Ernesto é que ele não conta com a simpatia de nenhum dos lados e deve ser alvejado por todos.

A atuação dele à frente do Itamaraty, entre janeiro de 2019 e março deste ano, fez com que o próprio Congresso se mobilizasse para exigir a sua demissão. Pouco antes de deixar o cargo, ele entrou em rota de colisão com o Senado. Em seu lugar, foi nomeado o embaixador Carlos França.

O depoimento de Araújo nesta terça é apenas o começo. A presença mais esperada e que causa maior apreensão no Planalto é a do general Pazuello, prevista para quarta.

Na semana passada, Pazuello conseguiu no STF (Supremo Tribunal Federal) o direito de permanecer em silêncio, isto é, de não responder a perguntas que possam, de alguma forma, incriminá-lo. O ex-ministro está proibido, porém, de mentir sobre todos os demais questionamentos.

UOL

Mais 255.100 vacinas da Astrazeneca/Fiocruz chegam a Pernambuco




Pernambuco recebeu, na madrugada desta terça-feira (18/05), mais 255.100 doses da vacina contra a Covid-19 da Astrazeneca/Fiocruz. Esse quantitativo será voltado para a primeira dose da população com comorbidades e das pessoas com deficiência cadastradas no BPC, além da segunda dose de idosos entre 60 e 69 anos.

As vacinas chegaram ao Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre à 01h50, seguindo para checagem e armazenamento no Programa Estadual de Imunização. Os imunizantes começam a ser entregues às 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres) já nesta manhã, para que os municípios possam fazer a retirada dos seus respectivos quantitativos.

“A chegada dessas 255.100 doses é um reforço significativo para o nosso programa de imunização. Por isso, temos a preocupação de garantir agilidade para que as doses cheguem com agilidade e segurança às Gerencias Regionais de Saúde até o final do dia, permitindo a ampliação da vacinação para uma parcela expressiva da população”, disse o governador Paulo Câmara.

"Continuamos empenhados em distribuir as vacinas no menor tempo possível para que os gestores municipais possam planejar suas atividades e imunizar sua população. Reforço para que as secretarias municipais fiquem atentas às pautas de distribuição, que informam qual a dose e qual o público contemplado naquela remessa. É importante seguir essas recomendações para não haver inconformidades ao longo da campanha", afirma o secretário estadual de Saúde, André Longo.

Até agora, o Estado soma 3.706.930 vacinas contra a Covid-19 recebidas, sendo 1.959.160 da Coronavac/Butantan, 1.683.420 da Astrazeneca/Fiocruz e 64.350 da Pfizer/BioNTech.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.