GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

domingo, 21 de junho de 2020

ETE GARANHUNS FORMA TURMA DE TÉCNICOS DE LOGÍSTICA





Era uma quarta-feira,  10 de junho, quando 45 estudantes concluíram o curso Técnico Subsequente em Logística, na ETE Ariano Vilar Suassuna, em Garanhuns. São 45 novos profissionais que chegam ao mercado de trabalho, com uma formação diferenciada oferecida pela referida instituição. 

Ao longo do curso os alunos contaram com diversas atividades, além das aulas teóricas e práticas, como palestras, oficinas, minicursos e várias visitas técnicas que possibilitou os mesmos verem na prática as diferentes áreas de atuação do profissional de logística, como a visita realizada ao Porto de Suape, realizada no dia 12 de março de 2020. 

O profissional de Logística é essencial no contexto atual, uma vez que essa área é responsável por monitorar todo o fluxo de transporte de produtos e as informações relacionadas à produção, pedidos, estoque, entrega, etc, oferecendo as melhores soluções para que a mercadoria chegue ao seu destino com rapidez e o menor custo, é um setor que tem que entender quais são as necessidades do cliente e atuar para satisfazê-lo com eficiência, diminuindo possíveis impactos ou prejuízos. Além do conhecimento técnico sobre o setor logístico e os conceitos de outras áreas, como Administração e Economia, o profissional de Logística precisa desenvolver habilidades Estratégicas como, comunicação, planejamento e trabalho em equipe, transformando-o em peça-chave de todo o processo. 

Assim, o Técnico em Logística é um profissional que, necessita ter uma visão holística da empresa, a partir do conceito de Logística Integrada, podendo trabalhar nas áreas de Gestão de Armazenagem, Distribuição, Gestão da Qualidade e Cadeia de Suprimentos como um todo, além de áreas como Logística Reversa e Comércio Exterior.

TRABALHO DE EQUIPE

A ETE Garanhuns conta com com profissionais extremamente capacitados, a exemplo da professora Vanecilda de Sousa, graduada em Economia pela UFRPE, com Mestrado em Economia pela UFC, o Professor José Wilker Gomes, graduado em Administração pela AESGA, com Especialização em Gestão em Logística pela Faculdade São Luís, e a Professora Elâiny Rodrigues, graduada em Administração, com Especialização em Gestão de Negócios e Pessoas pela AESGA. O curso é Coordenado pelo Professor José Edivaldo, graduado em Logística pela Anhanguera- SP, com MBA em Gestão Estratégica de Negócio pelo UNIDERP- MS, e Maria Lígia Granja, com Especialização em Implantação e Gestão Escolar pela FANESE, na Coordenação de Integração Escola-Empresa. Além da equipe técnica, o curso conta com uma equipe pedagógica competente, composta pela gestora Maria Célia de Melo e vice gestora Luciene Arruda. 

Uma sugestão para as escolas de Pernambuco



Tenho visto a cada dia uma nova sugestão e protocolos para a volta às aulas, mas não sei se os pais, alunos, professores e demais funcionários das escolas públicas e particulares estão sendo devidamente ouvidos, eles que são os principais atores deste processo de prevenção ao Covid-19 no ambiente escolar. Vejo muita preocupação de todo lado.

Tenho visto também pressão sobre as escolas para se moldarem a novos protocolos, alguns caros pela tecnologia demandada e manutenção de áreas livres de contaminação, ao mesmo tempo que são ordenados descontos nas mensalidades e a inadimplência estoura orçamentos e coloca em risco a continuidade de escolas particulares com menor poder econômico. Entendo os descontos pela crise financeira, desemprego que aumentou, dificuldades outras, mas o desconto linear acabou beneficiando quem não passou pelo aperto e prejudicando quem de fato precisaria de um benefício maior. Mas isto é outra questão. 

Vejo pais e responsáveis preocupados em mandar seus filhos para escola, principalmente aqui na região do Agreste, onde os números da pandemia não alcançaram o pico de contaminação, como apontam os dados do Governo de Pernambuco.

Sei que ainda não há data para o retorno das aulas, mas se me permitem uma sugestão, não há clima nem tranquilidade do retorno do ensino presencial nem tão cedo, então porque já não planejamos 2021?

O que sugiro? Seguimos com aulas remotas pelo restante do ano, e em 2021 utilizamos dois ou três meses para reforço das disciplinas, uma espécie de nivelamento presencial do conteúdo 2020. Da segunda quinzena de janeiro a março, iniciando o ano letivo realmente em abril. Seria mais confortável para todos os envolvidos.

Melhor perder alguns meses e reajustar o calendário escolar que deixar pelo restante do ano todos apreensivos com medo (pavor) que os filhos voltem para casa contaminados com o Coronavírus. Tenho dúvidas da eficácia da proteção no ambiente escolar, mesmo tomadas todas as providências sanitárias, pois estamos falando de centenas, milhares, de crianças e adolescentes, todos os dias, em sala de aula.

Gostou da sugestão? Compartilhe.

DESTAQUES DO BLOG

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.