GOVERNO DO ESTADO

quinta-feira, 22 de abril de 2021

CHUVAS / Hora de mapear os estragos e agilizar obras de infraestrutura

O prefeito Sivaldo Albino criou e já realizou a primeira reunião do 'Comitê Extraordinário de Infraestrutura das Chuvas', nesta quinta-feira (22), em seu gabinete na sede do executivo municipal. Participam do CEIC as secretarias de Infraestrutura, Obras e Serviços Públicos; Planejamento, Gestão e Desenvolvimento Econômico; AMSTT; Procuradoria Geral e Defesa Civil.

Com a decisão, Sivaldo busca agilizar a resolução de antigos problemas no sistema de esgotamento e escoamento das águas das chuvas, com prioridade para a Rua Antônio Paulo de Miranda, onde a tromba d’água desta quarta-feira abriu uma cratera que engoliu um carro e fez uma vítima fatal, uma mulher que foi levada pela correnteza. O corpo só foi achado nesta quinta-feira pela manhã, a cerca de 1,5 quilômetros do local onde sofreu o acidente.

Segundo moradores da localidade, o problema é antigo, o sistema de esgotamento não comporta a quantidade das águas e vive em constante reparos. Desta vez, a tubulação antiga não suportou as fortes chuvas, cedeu e criou a cratera. A prefeitura já realizava outra obra em outro ponto da rua, aguardava somente o tempo segurar para repor o calçamento com concretagem. Os dois buracos não têm relações. Outros buracos foram abertos pelos órgãos de resgate para encontrar o corpo da jovem que sofreu o acidente. Segundo a Defesa Civil do município, Garanhuns chega ao acumulado de 75.2 mm
somente nas últimas 24h.

CEIC – O prefeito solicitou à equipe relatórios dos estragos causados pelas chuvas no município, levantamento de obras emergenciais a serem realizadas, pessoal a ser utilizado, prioridades e projetos que possam resolver de forma permanente estes problemas antigos que sempre atormentam a população.

Uma das possibilidades é o município decretar Estado de Emergência, segundo Albino. “Temos relatados estragos de toda ordem, e precisamos agilizar. O comitê vai nos apresentar estes dados e podemos partir para o decreto para agilizar contratações que possam iniciar o mais rápido possível estas obras, com prioridade à Rua Antônio Paulo de Miranda, adjacências e demais ruas que sofreram em suas infraestruturas com as fortes chuvas dos últimos dias. Nosso Planejamento vai nos entregar projetos e custos para buscarmos os recursos, com o estado, União e recursos próprios”.

Produção retomada da CoronaVac

 Por falta de CoronaVac, Macapá suspende 2ª dose da vacinação para idosos  agendados | Amapá | G1

O Instituto Butantan retomou o processo de envase, rotulagem e embalagem da CoronaVac. A pausa na produção durava desde 7 de abril, por falta de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA). A chegada de um lote com 3.000 litros da matéria-prima permitiu a retomada dos trabalhos. Ao todo, mais 5 milhões de doses serão produzidas com o insumo. O Butantan já liberou 41,4 milhões de doses do imunizante e deveria completar 46 milhões ainda este mês. O atraso na chegada do IFA, contudo, fez com que o cronograma passasse para o dia 10 de maio. Posteriormente a isso, será iniciada a segunda entrega, que contará com 54 milhões de doses até agosto.

Veja

Como os governos Trump e Lula darão tom do encontro entre Bolsonaro e Biden na Cúpula do Clima hoje


Mais do que com sua imagem ambiental arranhada, o Brasil chega hoje às discussões da Cúpula de Líderes sobre o Clima com sua reputação invertida. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fará um pronunciamento durante o evento virtual organizado pelo líder americano, Joe Biden. No total, a videoconferência reunirá 40 dirigentes, entre os quais o chinês Xi Jinping e o russo Vladimir Putin.

O Brasil já foi referência global nas negociações para controle das mudanças climáticas — em 2008, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi a primeira nação a apresentar metas voluntárias de redução de emissão de gases do efeito estufa.

Desde 2015, porém, segue numa direção oposta, e vem perdendo capital político nessa mesa de negociação. Em 2020, o desmatamento na Amazônia foi três vezes superior à meta proposta pelo Brasil para a Convenção do Clima de 2009, em Copenhague. Sob comendo de Salles, o Ministério do Meio Ambiente perdeu poder fiscalizador para evitar desmatamento, invasões de áreas indígenas e mineração ilegal.

Joe Biden, por sua vez, e seus Estados Unidos — segundo maior emissor de poluentes do planeta — tentam assumir o protagonismo nas negociações climáticas. O que é uma mudança significativa, escreve hoje no UOL Guilherme Castellar, especialmente pouco após a gestão de Donald Trump.

Há uma semana, Bolsonaro chegou a escrever uma carta de Bolsonaro a Biden em que o governo prometeu zerar o desmatamento ilegal no Brasil até 2030.

Para amanhã, segundo interlocutores do Palácio do Planalto e do Itamaraty, Bolsonaro sabe que será cobrado por outros líderes acerca de visões controversas sobre a política ambiental brasileira, apurou o repórter Hanrrikson de Andrade.

Por esse motivo, a ideia inicial do Planalto é apresentar números, metas e buscar um afastamento da imagem ruidosa deixada durante a abertura da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) no ano passado — quando ele mentiu e distorceu fatos.

Em tese, a mudança do perfil discursivo de Bolsonaro e o foco em uma postura classificada internamente como "moderada" fazem parte de um esforço do governo brasileiro para melhorar o diálogo com a comunidade internacional, sobretudo Estados Unidos e China.

Essa é uma demanda que se mostrou inevitável aos interesses do país e resultou, inclusive, na troca de comando no Itamaraty —o ex-ministro Ernesto Araújo, olavista e adepto de teorias sobre "globalismo" e "marxismo cultural", foi substituído pelo diplomata Carlos França.

Governo de Pernambuco mantém medidas restritivas até 9 de maio



O governador Paulo Câmara anunciou, em pronunciamento divulgado nesta quinta-feira (22.04), que os números das últimas três semanas indicam uma estabilização de casos, internações e óbitos devido ao novo coronavírus em Pernambuco, mas com percentuais ainda em um patamar alto. Por conta disso, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 no Estado decidiu, em reunião realizada ontem (21.04), estender as atuais restrições contidas no Plano de Convivência até o dia 9 de maio, com alguns ajustes que passarão a vigorar a partir da próxima segunda-feira (26).“Vamos autorizar o comércio de praia, de segunda à sexta-feira, das 9h às 16h, mantendo a proibição nos finais de semana. O funcionamento das atividades de maneira geral será estendido, nos finais de semana, até às 18h, para quem iniciar às 10h. Os estabelecimentos que abrirem às 9h só poderão funcionar até às 17h”, detalhou Paulo Câmara.

Ainda de acordo com o governador, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 continuará analisando diariamente os números da pandemia para avaliar a necessidade de novos ajustes para o período a partir de 10 de maio. “Seguimos contando com a compreensão de toda a população pernambucana. É nosso dever manter as atitudes preventivas. Evite aglomerações, higienize as mãos e sempre use máscara”, finalizou.

Link para o pronunciamento do governador: https://we.tl/t-oAlozfG6sE

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.