GOVERNO DO ESTADO

sábado, 27 de novembro de 2021

Covid: nova variante assusta, e países suspendem voos do Sul da África




A Covid voltou a assustar o mundo com a identificação de uma nova variante encontrada na África do Sul e já detectada em Israel, Bélgica e Hong Kong. A Organização Mundial da Saúde (OMS) batizou a cepa de “Ômicron” e a classificou como uma “variante de preocupação” — aquela que, além de se alastrar, impacta no curso da doença, por exemplo, elevando a taxa de transmissão, mudando ou aumentando os sintomas ou reduzindo a efetividade de medidas de saúde.
A reação foi imediata e teve escala global. A União Europeia e países como Estados Unidos, Canadá, Índia e Reino Unido suspenderam voos originados no Sul da África.

Repercussão no Brasil: o Ministério da Saúde emitiu alerta de risco sobre a variante. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou a suspensão imediata de voos provenientes de seis países africanos. O presidente Jair Bolsonaro disse que avalia “medidas racionais” sobre a entrada de estrangeiros no país, mas não explicou o que será feito.

Opinião de especialista: o virologista Amílcar Tanuri, da UFRJ, explica que a variante preocupa porque tem muitas mutações em partes cruciais do vírus: “É motivo para apreensão, mas não para pânico”. 

Vacinação antirrábica tem início na área rural de Garanhuns neste sábado (27)




Com o intuito de ampliar a proteção de cães e gatos, a Campanha de Vacinação Antirrábica será realizada, a partir deste sábado (27), em diversas localidades da área rural de Garanhuns. O cronograma vai contemplar os distritos, sítios e comunidades quilombolas; com pontos de apoio fixo nas Unidades Básicas de Saúde de São Pedro, Iratama e Miracica I.

A equipe da Secretaria de Saúde também irá garantir a vacinação em domicílio, nas localidades de difícil acesso e residências com grande quantidade de animais. Até o momento, mais de 5200 animais não humanos já foram vacinados contra a raiva durante a campanha, este ano.

Podem ser vacinados cães e gatos a partir de quatro meses de idade, que não tenham sido imunizados contra a raiva nos últimos 12 meses. Nos pontos fixos, os animais devem ser conduzidos por um tutor responsável adulto.

Assessoria de Comunicação – Secretaria de Saúde de Garanhuns

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

Dose de reforço: cadastro está disponível para pessoas de 18 a 54 anos de idade

 



O município de Garanhuns vai iniciar a aplicação da dose de reforço para pessoas com 18 anos de idade ou mais. Este público deverá respeitar o critério de cinco meses após a aplicação da segunda dose para a vacina de reforço. O cadastro está disponível por meio da Plataforma Vem Vacina (vemvacinagaranhuns.site).

O intervalo de quatro meses continua válido para pessoas com 55 anos ou mais e trabalhadores da saúde no município. Para os imunossuprimidos segue válido o período de 28 dias após a última dose do esquema básico. “Já estamos chegando a 9 mil doses de reforço aplicadas. É fundamental que todos que se vacinaram com a primeira e segunda dose, façam o cadastro para receber a dose de reforço. Só assim vamos continuar vivenciando este momento de maior tranquilidade em nosso município e superar a pandemia da Covid-19”, destaca o prefeito Sivaldo Albino.

Atualmente, Garanhuns está com 90% da população estimada vacinada com a primeira dose. Um total de 75% das pessoas já receberam a segunda dose. O índice de doses aplicadas, considerando o total de vacinas recebidas, é de 92,40%.

Auxílio Brasil deveria ser permanente e sem filas, mas governo é contra




A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (25) o texto-base da proposta que cria o Auxílio Brasil.

Segundo o colunista José Paulo Kupfer, enquanto a MP dos Precatórios está sendo discutida, um Auxílio Brasil básico, nos moldes e valores do extinto Bolsa Família, que começou a ser pago em meados de novembro, torna evidente a necessidade de atualizar e ampliar o programa de transferência de renda.

Para Kupfer, diante do quadro de expansão dos níveis de pobreza e extrema pobreza, qualquer programa de transferência de renda deveria ser estruturado e executado. Para começar, deveriam ser construídos bases de dados confiáveis e atualizáveis, capazes de permitir um dimensionamento correto das necessidades. A partir daí, os recursos suficientes deveriam ser arregimentados.

Na análise do colunista, e for aprovado na versão apresentada pelo relator, o Auxílio Brasil implicará não só aumento da população beneficiada, mas também dos valores dos benefícios e, em consequência, do volume de recursos que deverão estar disponíveis. Por enquanto, o governo e seus apoiadores, no Congresso e na sociedade, a começar dos integrantes do mercado financeiro, só aceitam ampliar gastos até fins de 2022, como se viu na resistência ao reajuste automático dos valores dos benefícios pela inflação.

Bem difícil argumentar que essa limitação temporal dos gastos do programa não embute um caráter populista e eleitoreiro, em benefício do presidente Bolsonaro, candidato à reeleição, e de sua base no Congresso. Todas as experiências bem-sucedidas mostram que um autêntico programa de transferência de renda, além de condicionantes claras - principalmente frequência escolar comprovada e caderneta de vacinação atualizada para dependentes -, deve ser permanente e com benefícios em valores bem calibrados.

Não é um fundo sem limite ou um saco sem fundo. Gastos sociais "excessivos" e, mais do que isso, ineficazes, dão aos pobres com uma das mãos e tiram com a outra, sob a forma de pressões inflacionárias, que reduzem o poder aquisitivo. Trata-se de uma questão de prioridades de uma sociedade, e da alocação correta dos recursos disponíveis.

Reduzir a pobreza e as desigualdades, e mais ainda, acabar com a fome, são prioridades incontestáveis. Não só do ponto de vista social, moral e humanitário, mas também econômico"

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Adote uma cartinha e faça uma criança feliz 

 


O Home Center Ferreira Costa promove Natal Solidário

Receber presentes de Natal no final de ano já faz parte da tradição de muitas famílias, mas é exatamente nesta época que as crianças em situação vulnerável se sentem mais desamparadas. Pensando nisso, a Ferreira Costa promove em suas lojas mais um Natal Solidário.

Todos os anos, Home Center realiza a ação de arrecadação de brinquedos para crianças carentes. Para participar, basta escolher uma das cartinhas da nossa árvore de Natal, comprar o brinquedo que a criança escolheu e entregar na loja até o dia 10 de dezembro.

As árvores estarão na entrada das lojas da Imbiribeira, Tamarineira, Garanhuns, Caruaru, João Pessoa, Aracaju e Salvador, e as crianças contempladas ficam em instituições próximas a essas localidades.

Os presentes podem ser entregues na própria loja. A Ferreira Costa se encarregará de entregar todas as contribuições nas instituições beneficiadas até o dia 18 de dezembro.

Em Garanhuns, serão presenteadas 194 crianças da Creche Lúcia Helena. Já em Caruaru, serão presenteadas 260 crianças do CENTRO DE EDUCAÇÃO POPULAR IRMÃ WERBURGA – CEPIW e do LAR DA CRIANÇA NOSSA SENHORA DO CARMO. A loja localizada na Imbiribeira irá presentear 80 crianças da ONG Pão da Vida. A loja da Tamarineira, irá presentear 51 crianças da Associação Lar do Nenen e Lar Maná. Em Aracaju, serão presentadas 120 crianças do Instituto CUFA - SERGIPE. Na Bahia, serão presenteadas 391 crianças da ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO AUTISTA DA BAHIA – AMA – BA e ASSOCIAÇÃO CRISTÃ DE AMPARO SOCIAL. Já em João Pessoa, serão presenteadas 540 crianças da Aldeias Infantis SOS e CASA PEQUENO DAVI. A ideia é que sejam presenteadas 1.636 crianças.

O Natal Solidário, que faz parte dos projetos de responsabilidade social da Ferreira Costa, estimula a solidariedade e incentiva a aproximação das crianças carentes com o lado mais lúdico do Natal. Além disso, os clientes conseguem conhecer mais sobre as instituições beneficiadas e podem se tornar futuros doadores de cada projeto.

Sobre a Ferreira Costa:

Com 137 anos de história, a Ferreira Costa, o maior Home Center do Nordeste, está presente nos estados de Pernambuco, Bahia, Sergipe e Paraíba. Brevemente estaremos no estado do Rio Grande do Norte, levando ao consumidor mais de 80 mil itens para casa, construção e decoração. Além de suas seis lojas, a Ferreira Costa também possui seu e-commerce www.ferreiracosta.com, com entrega para todo Brasil.

FAO: auxílio emergencial não estanca fome e crise atinge 24% da população




A fome no Brasil aumentou de forma exponencial em 2020 e os programas de auxílio emergencial criados pelo governo foram incapazes de lidar com o fenômeno. O alerta de Maximo Torero, economista-chefe da FAO, está detalhado na coluna de Jamil Chade.

Torero insiste que o governo brasileiro precisa, de maneira urgente, trabalhar para mapear os bolsões da fome no país e, assim, conseguir dar uma resposta à crise.

Os dados, segundo ele, indicam um cenário dramático. Em 2019, menos de 2,5% da população brasileira vivia numa situação de fome severa. Ao final de "Uma enorme mudança", disse o economista.

Quanto aos dados sobre fome moderada, a taxa chega a 24% da população em 2020, contra 16% em 2019 e apenas 11% em 2014. Os dados do IBGE, porém, são ainda mais alarmantes, passando de 27% para 35% em 2020.

Os dados recolocam o Brasil e toda a região latino-americana de volta ao radar da fome no mundo. Outro dado destacado pela FAO aponta que, em 2018, 14% da população brasileira já não tinha acesso a uma alimentação saudável, o equivalente a 29 milhões de pessoas.

A realidade contrasta com a posição que o Brasil declara ter no mundo de ser responsável pela alimentação de 1 bilhão de pessoas pelo planeta, graças às exportações. Mas, para Torero, a desigualdade é o que marca a incapacidade de o país garantir alimentos a seus próprios cidadãos.

Um dos principais representantes da FAO no mundo espera que uma recuperação comece a ser vista em 2022 e que países como o Brasil registrem alguma queda nos índices de fome. Mas ele alerta que a volta aos números pré-pandemia só ocorrerá em uma década.

Reajuste de mensalidade escolar será o maior em 5 anos




Depois de dois anos entre aulas híbridas e remotas, em que as mensalidades foram reduzidas para reter alunos, as escolas privadas devem aplicar o maior reajuste nos preços dos últimos cinco anos. A Federação Nacional das Escolas Particulares estima que as parcelas devem ter alta média de até 10%. Colégios tradicionais do Rio e de São Paulo já divulgaram percentuais, que chegam a 14%. O aumento anual chegará em meio à inflação alta e deve pressionar ainda mais o orçamento das famílias.

O Globo

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Escola de Garanhuns realiza projeto que faz homenagem à Gonzaga de Garanhuns




A Escola Municipal Amélia Maria Cordeiro de Melo Tavares está realizando um projeto de valorização da Cultura popular. A unidade escolheu o trabalho de Gonzaga de Garanhuns para fazer uma homenagem ao artista. O projeto envolve 400 crianças e adolescentes, que serão inseridas em diversos segmentos.

Também faz parte do projeto a visita ao Espaço Cultural de Gonzaga de Garanhuns, que fica no bairro da Liberdade. Ao todo 60 crianças e adolescentes conheceram um pouco da história do cordelista e mestre do reisado. Encantados com tanta história, os estudantes foram guiados pelo próprio artista. “A ideia é mostrar que eles têm na comunidade uma grande figura, patrimônio de Pernambuco. Queremos mostrar o valor que ele tem e também que a Cultura é acessível”, disse Adriana Patrícia, gestora da escola.

A partir desta semana os estudantes começam a ter ensaios para apresentação de uma cantata de Natal, que será uma apresentação de Reisado. Gonzaga também acompanhará os ensaios de perto. Gonzaga de Garanhuns tem mais de 60 anos de carreira como cordelista e também no reisado. Em 2018, foi eleito Patrimônio Vivo de Pernambuco pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe). “Estou muito feliz, imensamente emocionado. Esse espaço é das crianças e dos adultos, assim vamos levar nossa cultura à frente”, disse o mestre da cultura popular.

EUA vão para o feriado em clima de Black Friday: liquidando tudo




A quarta-feira começa com uma agenda lotada, aquela correria clássica que antecede um feriadão. Amanhã é dia de Ação de Graças nos EUA, e a bolsa americana não abre. Na sexta, investidores retornam para um pregão mais curto – que tende a ser minguado em volume de negócios.

Antes de feriados, o mercado financeiro tem a tendência de ir para o negativo. Investidores colocam uma grana no bolso e adotam uma postura mais cautelosa com suas apostas, uma forma de proteger o patrimônio caso o mundo seja atropelado por uma nova crise – vai saber. Isso fica ainda mais acentuado quando o cenário econômico está mais turvo.

Lá nos EUA, investidores estão às voltas de novo com os problemas causados pela alta da inflação, e a 
decisão de Joe Biden de intervir nos preços do petróleo para amenizar o choque não ajuda a acalmar investidores. Empresas tech derretem ante o medo de uma alta de juros (leia mais em market facts). Não à toa, os contratos futuros das bolsas americanas começam o dia apontando para uma queda, no melhor estilo esquenta Black Friday.

Aqui no Brasil, investidores precisam decidir se vão se importar com o plano de Brasília de 1) tornar o Auxílio Brasil permanente, mesmo sem uma fonte de receitas para pagá-lo e, 2) com o reajuste anual automático pela inflação, igualmente sem uma previsão de fonte de dinheiro.
Isso porque nesta manhã a Comissão de Constituição e Justiça do Senado deve ler o texto da PEC dos Precatórios, a que existe para pagar o Auxílio até o fim do próximo ano, e nada mais. O mercado financeiro apoia a PEC, mas não com as mudanças recentes. Fica no espírito meme do Chico Buarque feliz/triste.

Fernando Bezerra, relator da PEC dos Precatórios no Senado, diz não ver problema com a criação de uma despesa permanente sem a fonte de receitas. E jogou o problema para o futuro: o dinheiro do Auxílio Brasil poderia vir da tal da reforma do Imposto de Renda, com a taxação de dividendos. Até o Touro de Ouro, retirado da frente da B3 porque fazia propaganda irregular de uma empresa, sabe que essa é uma proposta sem chance alguma de avançar.

Paulo Câmara busca verbas para recursos hídricos junto ao Banco Mundial



O governador Paulo Câmara discutiu, nesta terça-feira (23.11), a captação de verbas para recursos hídricos na área rural do Estado junto ao Banco Mundial. Durante a videoconferência com especialistas da instituição, foram apresentados dados sobre a economia de Pernambuco, incluindo o índice da Capacidade de Pagamento (CAPAG), que atualmente está no patamar B, que permite ao Estado a contratação de empréstimos junto a instituições financeiras nacionais e internacionais.

O governador ressaltou a importância de captar os recursos para área rural, que também vem sendo beneficiada com investimentos estaduais previstos no Plano Retomada. “Nosso objetivo é alavancar investimentos no Estado e ter parcerias para deixar para o futuro nessa área hídrica das zonas rurais. Nós temos interesse de avançar tanto no abastecimento de água e saneamento como também em outras áreas difusas”, destacou Paulo Câmara.


A reunião contou com as participações dos secretários estaduais Décio Padilha (Fazenda), Alexandre Rebelo (Planejamento e Gestão) e da presidente Compesa, Manuela Marinho, além do coordenador de operações em Água e Infraestrutura para o Brasil do Banco Mundial, Luis Alberto Andres, da especialista sênior em Saneamento do Banco Mundial, Juliana Menezes Garrido, da economista principal para o Brasil, Shireen Mahdi, da gerente de operações para o Brasil, Sophie Naudeu, das especialistas sêniores em Salvaguardas Ambientais, Agnes Velloso e Maria Ines Miranda Barros, e do especialista em saneamento Jean Martin-Brault.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.