GOVERNO DO ESTADO

sexta-feira, 8 de outubro de 2021

V GERES NO COMBATE À TUBERCULOSE




A V Gerência Regional de Saúde (GERES), junto aos municípios de sua abrangência no Agreste Meridional, vem trabalhando para identificação de casos de tuberculose, com objetivo do início precoce do tratamento, principalmente pela situação de pandemia do Covid-19, doença causada por vírus que também acomete o sistema respiratório.

Carlos Rafael, referência técnica da V GERES, tem atuado nestes casos junto aos municípios. “De janeiro a outubro de 2021, diagnosticamos e registramos 67 casos de Tuberculose na V Região de Saúde, distribuídos em 18 dos 21 municípios da regional”. Segundo a Coordenadora de Vigilância em Saúde, Conceição Santana, a Tuberculose ainda é uma doença persistente na região. "Este trabalho busca identificar e iniciar tratamentos com agilidade para evitar a proliferação da doença".

"A V GERES recomenda que as pessoas procurem o serviço de saúde mais próximo quando estiverem com tosse produtiva (com catarro) por mais de duas semanas, para que esse sintoma seja investigado e em caso de Tuberculose, seja iniciado o tratamento, que é gratuito pelo SUS”, reforça a coordenadora.

Saiba mais

A Tuberculose é uma doença causada por uma bactéria (Mycobacterium Tuberculosis) que afeta com mais frequência os pulmões, mas pode infectar qualquer parte do corpo, incluindo os ossos e o sistema nervoso. O sintoma mais comum da Tuberculose é a tosse persistente (por mais de duas semanas), que pode apresentar-se com sangue ou escarro além de febre, suor durante a noite, perda de peso, dores no peito e cansaço (fadiga). A transmissão acontece quando as pessoas doentes tossem, falam, cospem ou espirram, espalhando as bactérias no ar.

A prevenção da Tuberculose é feita com a vacina BCG que é aplicada em crianças. Já quando existe alguém doente, as pessoas que tiveram contato são examinadas pela equipe de saúde e fazem exames para verificar se também contraíram a doença. A Tuberculose tem cura e o tratamento, que dura no mínimo seis meses, é gratuito e disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Alepe comunica prefeitos sobre nova prorrogação do estado de calamidade pública




Os gestores municipais devem enviar ofício até o dia 15 deste mês. Os decretos terão efeito retroativo ao dia 1º de outubro e vigência até 31 de dezembro deste ano

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) comunicou os prefeitos do Estado sobre o novo decreto que prorroga o estado de calamidade pública em função da permanência da pandemia do coronavírus. Os decretos já aprovados pela Alepe concluíram a vigência no final de setembro.

A partir de agora, os gestores municipais devem encaminhar um ofício, até o dia 15 deste mês, com o Decreto Municipal renovando o estado de calamidade até 31 de dezembro deste ano. Aprovados pelos deputados estaduais, os decretos legislativos terão efeitos retroativos a 1º de outubro deste ano. A documentação deve ser enviada para o e-mail legislativo.alepe@gmail.com.

De acordo com o novo decreto de nº 51.488, enviado à Alepe pelo governador Paulo Câmara, “fica mantida a situação anormal, caracterizada como Estado de Calamidade Pública, no âmbito do estado de Pernambuco, em virtude da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus”.

Na prática, a renovação do decreto é necessária para que os municípios possam adotar medidas de combate ao coronavírus sem infringir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). As proposições permitem manter a suspensão dos limites estabelecidos pela LRF de despesas com pessoal, empenho, endividamento e para que, em caso de não atingirem os resultados fiscais, as prefeituras não incorram em irregularidades enquanto perdurar o estado de emergência.

De acordo com o presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP), é importante que os prefeitos enviem a documentação com brevidade. “Temos o dever de acelerar esse processo para evitar que as cidades sejam prejudicadas. É importante frisar que somos parceiros dos prefeitos e vamos atuar para garantir que todas as ações sejam tomadas em tempo hábil, fortalecendo a capacidade de resposta do poder público à pandemia do coronavírus”, enfatizou o presidente.

Decretos anteriores

O primeiro Decreto Estadual, oficializando o estado de calamidade pública em Pernambuco, é de 19 de março de 2020 e foi reconhecido pelo Decreto Legislativo da Alepe no dia 24 do mesmo mês. A situação foi posteriormente prorrogada por novos decretos em 16 de dezembro de 2020 e 25 de junho de 2021.

Qualidade de vida: Academia da Saúde retoma suas atividades na Brasília e Cohab I




A população de Garanhuns volta a contar com ações de cuidado e bem-estar promovidas por meio da Secretaria Municipal de Saúde. O programa ‘Academia da Saúde’ estava paralisado em decorrência da pandemia da Covid-19, e teve suas atividades retomadas nesta semana, beneficiando diretamente moradores da Brasília e Cohab II.

Durante as aulas são promovidas atividades físicas e aeróbicas, além de dança e práticas integrativas para os participantes. As aulas acontecem de segunda a sexta-feira, alternando entre o período da manhã e tarde, para pessoas que realizaram o cadastro prévio junto a equipe de coordenação das academias. Atualmente são quase 450 pessoas inscritas no programa.

Para realizar inscrição é preciso apresentar a seguinte documentação: RG, CPF e comprovante de residência. A pessoa interessada também será submetida a uma avaliação física antes de iniciar as atividades no programa. As Academias da Saúde estão localizadas nos seguintes endereços:

Academia da Saúde da Cohab 2: Rua Professor Antônio Souto Fernando, s/nº, Francisco Simão Figueira

Academia da Saúde da Brasília: Rua Barão de São Borges, s/nº, Brasília

Garanhuns contará com representante nos Jogos Escolares Brasileiros


A estudante da Escola Professor Antônio Gonçalves Dias (CAIC), Karoline Wiliane, foi destaque nos Jogos Escolares de Pernambuco (JEPs). A enxadrista participou do segundo bloco de disputas realizado nesta terça-feira (6), no Parque e Centro Esportivo Santos Dumont, e trouxe a medalha de prata para Garanhuns.

A aluna da rede municipal de Garanhuns, que tem 13 anos e está no 8º ano, representou o Agreste Meridional. Os vencedores das modalidades na categoria 12 a 14 anos se classificam para os Jogos Escolares Brasileiros (JEBs), que serão realizados no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, entre os dias 29 de outubro a 5 de novembro.

Karoline aprendeu a jogar xadrez em 2019 e no mesmo ano ano foi campeã dos Jogos Escolares na fase Agreste, além de ser bicampeã do torneio da academia Byron Veras, 5º lugar no campeonato brasileiro escolar em São Gabriel –RS e ainda carrega 4 medalhas de bronze.

A Secretaria de Educação recebeu a notícia com muita felicidade. “Incentivamos o potencial de cada estudante. Recebi com muito contentamento a informação de que uma aluna da nossa rede está se destacando. Isso mostra que precisamos continuar investindo em nossos estudantes, em todas as modalidades esportivas”, disse Wilza Vitorino, secretária da pasta.

Os Jogos Escolares de Pernambuco (JEPs) são realizados anualmente pelo Governo de Pernambuco por meio da Secretaria de Educação e Esportes do Estado. A competição, que garante vaga para os Jogos Escolares da Juventude, maior certame escolar do Brasil, reúne atletas de todas as regiões de Pernambuco disputando medalhas em modalidades coletivas e individuais.

Avisamos que nível de chuvas não era seguro, diz chefe de pesquisa federal




Em entrevista ao repórter Carlos Madeiro, o climatologista José Antonio Marengo afirma que os pesquisadores de órgãos de monitoramento federais alertaram o governo, ainda no segundo trimestre deste ano, de que iríamos enfrentar um período de estiagem severa no Centro-Sul do país.

Há cinco anos, Marengo é coordenador de pesquisa e desenvolvimento do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), ligado ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações).

"Nós já tínhamos anunciado, a partir de abril, maio, de que estávamos entrando em uma estação de estiagem; e as chuvas de 2020 foram fracas, já estávamos em situação de atenção. Os relatórios falavam que não estávamos em um nível seguro", diz.

"E foi avisado de uma situação de estiagem longa, de seca. A crise hídrica não é só falta de chuva, mas também gerenciamento —e isso vem dos governos. Por isso a gente fala: a ciência forneceu as previsões todas, mas o governo esperou a última hora para fazer racionamento e cortes."

Ele afirma também que as previsões para os próximos meses ainda são carregadas de dúvidas. "Parece que está se formando a situação ideal para chuva, mas depois isso para. Ainda estamos tentando entender", conta.

A crise hídrica levou o governo a anunciar em agosto algumas medidas para redução do consumo de energia em toda a administração pública federal.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.