GOVERNO DO ESTADO

segunda-feira, 28 de junho de 2021

V GERES: Números atualizados de vacinas distribuídas, em 28 de junho de 2021



A V Gerência Regional de Saúde (V GERES), com sede em Garanhuns, informa que já distribuiu 317.998 doses de vacinas contra a Covid-19 aos 21 municípios que fazem parte de sua abrangência. Deste total foram aplicadas 243.368 doses, que correspondem a 76,53%. As demais doses se encontram em poder das Secretarias Municipais de Saúde para vacinação conforme plano de vacinação de primeira e segunda doses. Os dados atualizados são desta segunda-feira, 28 de junho, às 11:00h.

A V GERES recebe as vacinas da Secretaria Estadual de Saúde e faz a distribuição através do Programa Nacional de Imunização às Secretarias Municipais de Saúde, que devem cumprir rigorosamente a vacinação dos grupos prioritários, conforme cronograma estabelecido pela SES/PE.

Os dados estão disponíveis no LocalizaSUS.

ESCOLAS DE APLICAÇÃO DA UPE ESTÃO COM INSCRIÇÕES ABERTAS PARA SELEÇÃO DE NOVOS ALUNOS

 


Paulo Câmara determina que Secretaria da Mulher acompanhe caso da mulher trans agredida no Centro do Recife





Em reunião na manhã desta segunda-feira (28.06) com a secretária Estadual da Mulher, Ana Elisa Sobreira, o governador Paulo Câmara determinou que a pasta acompanhe e preste todo o apoio necessário à mulher trans, de 33 anos, que teve 40% do corpo queimado, após um adolescente ter ateado fogo nela, na madrugada da última quinta-feira (24.06), próximo ao Cais de Santa Rita, na região central do Recife.

“A agressão física geralmente é o auge de uma série de violências que a população LGBTQIA+ sofre durante toda sua trajetória. O papel do Estado é manter os canais para que essas violações sejam denunciadas e investigadas, e para tentar impedir que essa população continue sendo sistematicamente vítima da violência e da discriminação", enfatizou Paulo Câmara.

O governador lembrou ainda que o dia 28 de junho é uma data importante na luta contra o preconceito e em favor da diversidade. “É inadmissível que, na segunda década do século XXI, o preconceito e o ódio ainda impeçam as pessoas de serem quem são. Defendemos uma sociedade pacífica, plural e democrática”, finalizou.

A secretária Ana Elisa Sobreira destacou que vai atuar em parceria com as demais secretarias de Estado para proporcionar o apoio necessário à vítima e sua família. “Daremos todo suporte, seja na questão de saúde e acompanhamento psicológico para ela e seus familiares. Faremos o possível para que ela se restabeleça. Além disso, estamos criando o Comitê de Prevenção e Enfrentamento às Violências LGBTfóbica para avaliar e acompanhar os casos de violência intragoverno e, numa segunda etapa, com a sociedade civil”, explicou.

Ana Elisa informou que a primeira reunião de estruturação das atividades do comitê acontecerá nesta terça-feira (29.06), com a participação das secretarias estaduais da Mulher, de Desenvolvimento Social Criança e Juventude, de Defesa Social, de Direitos Humanos, de Saúde e de Educação. A Secretaria da Mulher também realizará, nas primeiras semanas de julho, uma campanha de enfrentamento à violência LGBTQIA+, com divulgação em todo o Estado. “Com essas ações pretendemos sensibilizar a sociedade para o respeito à diversidade, contra qualquer tipo de violência LGBTfóbica e à garantia dos seus direitos”, concluiu.

DADOS – De acordo com a Secretaria de Defesa Social do Estado, até maio deste ano 13 pessoas da população LGBTQIA+ foram vítimas de Crime Violento Letal Intencional (CVLI) em Pernambuco. Esse número representa 0,9% dos 1.429 CVLIs registrados em todo o Estado no período. No ano passado, o total de CVLIs contra essa população em Pernambuco foi de 47, correspondendo a 1,3% do total de 3.758 crimes contra a vida notificados em 2020.

Além disso, foram registradas 1.106 ocorrências de violência contra pessoas que se identificam como LGBTQIA+, o que inclui crimes de lesão corporal, maus-tratos, estupro, difamação, calúnia, racismo e injúria racial. As estatísticas levam em conta a orientação sexual ou gênero declarados pelas vítimas. Não necessariamente a motivação dos crimes teria sido a intolerância de gênero ou homofobia. No caso ocorrido no Cais de Santa Rita, a Polícia Civil está investigando as circunstâncias da violência praticada.

Dia do Orgulho LGBTQIA+: combate à homofobia depende de todos




Nesta segunda-feira (28) é celebrado o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+. Apesar da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que criminalizou a homofobia e transfobia há dois anos, o problema necessita da sensibilidade de todos para o seu combate. Em Garanhuns, a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos é a pasta responsável por acompanhar de perto situações que firam os direitos destas pessoas.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco, em 2020 foram 1.854 vítimas de crimes como ameaça, agressão, estupro e homicídio. Esse aumento contra o grupo LGBTQIA+ continua em 2021, já que de acordo com a pasta, nos primeiros três meses deste ano, foram registrados 604 crimes de violência contra a comunidade, 17 casos de estupro e nove vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs).

Situações de violência contra o público LGBTQIA+ podem ser denunciadas através do aplicativo Rugido. Ao baixar o App no seu smartphone, clique em “Denuncie” e preencha os campos solicitados. Você também pode acompanhar notícias sobre a comunidade, estatísticas, e outras informações. A coordenação do aplicativo está a cargo do Movimento LGBT Leões do Norte e da Rede LGBT do Interior de Pernambuco. A Prefeitura de Garanhuns apoia este movimento! Juntos podemos combater todas as formas de violência contra esta população.

Pernambucano é um dos vencedores do Prêmio Sesc de Literatura





O Prêmio Sesc de Literatura, um dos mais importantes do país na distinção de escritores inéditos, acaba de anunciar os vencedores da edição 2021, nas categorias Romance e Conto. Os selecionados foram o paraense Fábio Horácio-Castro, com o romance “O réptil melancólico”, e o pernambucano Diogo Monteiro, com a coletânea de contos “O que a casa criou”. A origem dos autores reafirma o estímulo à diversidade por parte do Prêmio e sua capacidade de projetar escritores das mais distintas regiões do país. Os livros dos vencedores serão publicados em outubro pela editora Record, parceira do Prêmio Sesc desde a sua criação.

O réptil melancólico trata de colonialidade, colonialismo e colonização, das alegorias sobre a Amazônia e da Amazônia como alegoria. A narrativa parte do retorno de Felipe para sua cidade, após longa estadia fora do país. Ele seguira para o exílio na primeira infância, levado por sua mãe, militante política perseguida e torturada pelo regime militar brasileiro. Nesse processo de retorno, restabelece contato com a família paterna, particularmente com seu primo Miguel, que está fazendo o caminho oposto: o de partir da cidade.

O que a casa criou é um livro sobre o espanto. Todos os seus 16 contos, inclusive o que dá nome ao volume, tratam de alguma forma sobre a possibilidade de encontrar o inusitado a qualquer momento, na virada de uma esquina ou no abrir de uma porta. São histórias sobre a fragilidade do real e do nosso confortável conceito de realidade, e sobre como a quebra dessa normalidade age sobre pessoas, lugares e coisas.

Neste ano, o Prêmio recebeu a inscrição de 1688 livros, sendo 850 em Romance e 838 em Conto. O cronograma não foi afetado pela pandemia, porque foi todo executado por trabalho remoto. Dessa forma, o resultado pôde ser divulgado no prazo previsto.

Sobre os autores:

O pernambucano Diogo Monteiro, de 43 anos, também é jornalista e atua com pesquisa de opinião e estratégia. Ele conquistou a premiação com o livro O que a casa criou. “Sempre escrevi e participava de algumas coletâneas, mas nunca tinha pensado no Prêmio Sesc. Este ano, tive um livro infantojuvenil publicado pela primeira vez, o Relógio de Sol. Agora, será a segunda vez que coloco uma obra para o público, na categoria conto”, destaca.

Fábio Horácio-Castro, paraense e jornalista de formação, tem 52 anos, é professor universitário e venceu com o romance O réptil melancólico. “É a minha primeira participação no Prêmio Sesc e não esperava vencer na categoria. Escrevo mais sobre pesquisas relacionadas à Amazonia. Como eu tinha um projeto deste livro, aproveitei o isolamento da pandemia, finalizei a obra e me inscrevi. Fiquei muito contente com o retorno”, comemora.

Ao oferecer oportunidades aos novos escritores, o Prêmio Sesc de Literatura impulsiona a renovação no panorama literário brasileiro e enriquece a cultura nacional. Em sua 18ª edição, se tornou uma das mais importantes premiações do país, sendo hoje considerado referência por críticos literários, escritores brasileiros e visto como grande porta de entrada para o mercado editorial no Brasil.

“A premiação foi criada em 2003 e se consolidou como a principal do país para autores iniciantes. Nesse ano, os vencedores foram das regiões Norte e Nordeste e consideramos essa diversidade excelente para a cena literária nacional”, explica o analista de Literatura do Departamento Nacional do Sesc, Henrique Rodrigues.

Os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, o que contribui para a credibilidade e a visibilidade do projeto, pois insere os livros na cadeia produtiva do mercado livreiro. Os livros têm lançamento no final do ano com tiragem inicial de 2 mil exemplares. Desde a sua criação em 2003, mais de 16 mil livros foram inscritos e 31 novos autores foram revelados.

O processo de curadoria e seleção das obras é criterioso e democrático. Os livros são inscritos pela internet, gratuitamente, protegidos por anonimato. Isso impede que os avaliadores reconheçam os reais autores, evitando qualquer favorecimento. Os romances e contos são avaliados por escritores profissionais renomados, que selecionam as obras vencedoras pelo critério da qualidade literária.

A relevância do projeto também pode ser medida por meio do sucesso dos seus vencedores, que costumam vencer ou ser finalistas de outros grandes prêmios literários como o Jabuti, Biblioteca Nacional e São Paulo de Literatura. Eles também vêm sendo convidados para outros importantes eventos internacionais, como a Primavera Literária Brasileira, realizada em Paris, o Festival Literário Internacional de Óbidos, em Portugal, e a Feira do Livro de Guadalajara, no México.

Números atualizados Covid-19






Até o momento, a pandemia do novo coronavírus já deixou 181.155.202 contaminados e 3.924.360 mortos no mundo. No Brasil são 18.420.598 contaminados e 513.474 mortos. Os dados são da Universidade Johns Hopkins.

O número de doses de vacina aplicadas no planeta chegou a 2,92 bilhões. No Brasil são 96.646.516 de unidades administradas. Os dados são da Bloomberg (mundial) e de VEJA (nacional).

CPI quer saber quem tirou acesso de Luís Ricardo Miranda do Ministério da Saúde





Os senadores da CPI da Covid decidiram que vão requisitar amanhã ao Ministério da Saúde que informe de quem partiu a ordem para bloqueio do acesso do chefe de importação da pasta, Luís Ricardo Miranda, ao sistema funcional informatizado. "Quem deu essa determinação é passível de ser enquadrado no artigo do Código de Processo Penal que trata de intimidação a testemunha", explicou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da comissão.

Segundo Randolfe, também a lei que rege o funcionamento das comissões parlamentares de inquérito rotula como crime a ameaça ao funcionamento regular das CPIs. "As penas vão de cinco meses a dois anos de prisão", diz o senador. O parlamentar lembra ainda que obstrução de investigação é delito passível de prisão preventiva.

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), irmão do funcionário do Ministério da Saúde, revelou que ele não consegue ter acesso ao sistema da pasta. Os dois denunciaram possíveis ilegalidades na compra da vacina indiana Covaxin pelo governo de Jair Bolsonaro.

COVID 19: V GERES informa números atualizados de vacinas distribuídas em 26 de junho de 2021




A V Gerência Regional de Saúde (V GERES), com sede em Garanhuns, informa que já distribuiu 317.998 doses de vacinas contra a Covid-19 aos 21 municípios que fazem parte de sua abrangência. Deste total foram aplicadas 237.309 doses, que correspondem a 76,2%. As demais doses se encontram em poder das Secretarias Municipais de Saúde para vacinação conforme plano de vacinação de primeira e segunda doses. Os dados atualizados são deste sábado, em 26 de junho, às 10:50h.

A V GERES recebe as vacinas da Secretaria Estadual de Saúde e faz a distribuição através do Programa Nacional de Imunização às Secretarias Municipais de Saúde, que devem cumprir rigorosamente a vacinação dos grupos prioritários, conforme cronograma estabelecido pela SES/PE.

Os dados estão disponíveis no LocalizaSUS.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.