PE CONTRA O CORONAVÍRUS

sexta-feira, 23 de abril de 2021

Paulo Câmara institui Sistema Integrado de Saneamento Rural em Pernambuco







Região do Moxotó e alguns municípios do Agreste serão os primeiros a implantar o sistema, que possibilitará maior acesso à água e ao saneamento básico nas localidades rurais

O governador Paulo Câmara anunciou, nesta sexta-feira (23.04), a implantação do Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar). A iniciativa funcionará como um modelo de gestão compartilhada para garantir que as localidades no meio rural do Estado tenham políticas públicas específicas para receber água nas torneiras de casa com regularidade, além de serviços de esgotamento sanitário. Com um investimento de aproximadamente R$ 40 milhões, o novo programa contemplará, inicialmente, 10 municípios do Sertão do Moxotó e do Agreste Meridional. De forma gradual, serão beneficiadas cerca de 30 mil pessoas de mais de 600 localidades.

Os recursos serão destinados à implantação de novos sistemas simplificados de abastecimento nos municípios de Arcoverde, Custódia, Ibimirim, Manari e Sertânia, localizados no Sertão, além de Buíque, Itaíba, Pedra, Tupanatinga e Venturosa, no Agreste. Para isso, foi realizado junto aos municípios um cadastramento e o mapeamento das áreas rurais em plataforma online exclusiva para a ação.

“A partir de agora, todos os movimentos para a melhoria da infraestrutura nas zonas rurais vão ser integrados e geridos pela própria comunidade, com o apoio técnico do Estado. Dessa forma, junto com os municípios, a gente vai poder fazer o sistema funcionar muito melhor. Essa experiência já deu certo em alguns Estados, e vamos começar aqui em Pernambuco pela região do Moxotó, mas já queremos, no segundo semestre, avançar pelo Sertão do Pajeú e pelo Sertão Central, para que, até 2022, todo o território de Pernambuco tenha no Sisar uma referência”, ressaltou Paulo Câmara.

De acordo com a secretária estadual de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, a gestão compartilhada vai garantir que os sistemas de abastecimento de água implantados pelo Governo do Estado tenham durabilidade de pelo menos 20 anos. “O objetivo é que, com a participação do governo nesse tipo de política pública, as comunidades rurais possam participar desse processo, fazer manutenções de forma mais breve, expandir a rede à medida que a comunidade rural cresça, além de garantir diversos benefícios, como regularidade no abastecimento de água no meio rural e melhoria também das análises de qualidade de água, trazendo impacto na questão da saúde pública”, frisou a secretária. Além de Fernandha, participaram da solenidade o secretário estadual de Desenvolvimento Agrário, Claudiano Martins, e o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco, José Patriota.

FUNDAÇÃO – Inicialmente, o Sisar Moxotó conta com a participação de 18 associações rurais. Em 2020, foi realizado um encontro de apresentação do projeto e uma assembleia geral com representantes das associações para elaboração do estatuto social, eleição do presidente e de membros titulares e suplentes dos conselhos administrativo e fiscal da entidade. Cada conselho, por sua vez, é formado por 12 membros. O mandato de presidente, cargo ocupado por Regiane dos Santos, agricultora familiar e moradora do sítio Poço da Pedra, na cidade de Pedra, tem duração de um ano, e o mandato dos conselheiros, de três anos.




Quena na ocupação de UTIS




As capitais dos cinco estados com mais casos confirmados de Covid-19 apresentaram queda na taxa de ocupação de UTI, aponta levantamento de VEJA. São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Salvador reduziram os indicadores nos últimos dias quando comparados às médias da semana de 20 de março. A capital paulista, por exemplo, passou de 90% de ocupação para 82%. A maior queda ocorreu em Porto Alegre, que viu o índice passar de 114% para 95,7%, o que ainda é muito preocupante, visto que, para critérios médicos, ocupações acima de 80% já inspiram cuidados e devem ser acompanhadas de perto para evitar lotação.

Veja

Uma nova ordem mundial?




A volta em grande estilo dos Estados Unidos às negociações do clima, no momento em que o mundo está traumatizado pela pandemia, parece ter sacudido os líderes globais. Prazos para a redução de emissões de carbono foram antecipados, com a promessa de corte de 50 a 52% das emissões americanas e 55% das europeias até o final desta década. A China também anunciou que reduzirá progressivamente o uso de carvão - principal fonte poluidora do país, que responde por 27% das emissões mundiais.

Com isso, pela primeira vez, temos metas capazes de manter o aquecimento da Terra abaixo de 1,5 grau, o que evitaria grandes catástrofes. Resta saber como vão fazer os países ricos para reduzir drasticamente o consumo de combustíveis fósseis, a maior fonte de emissão de carbono para a atmosfera. Biden prometeu um mar de rosas na transição verde - “quando as pessoas falam em clima, penso em empregos”, disse.

Por enquanto, podemos comemorar o fato de chefes de Estado finalmente assumirem suas responsabilidades pelo destino comum. Bolsonaro, claro, não está entre eles. Sua participação na Cúpula dos Líderes foi educadinha, mas pouco convincente. Prometeu reduzir nossas emissões através do desmatamento zero, compromisso já assumido pelo Brasil em 2015, e eliminado por seu governo. Nenhuma mudança em outro setor foi anunciada – nem mesmo na agropecuária, que responde por 25% das emissões brasileiras, além de estar na origem do desmatamento (fonte de 43% das emissões).

Não restou quase nada da antiga liderança brasileira nas discussões do clima. A principal iniciativa em relação à proteção das florestas surgiu de outro grupo, bem mais poderoso – e aparentemente com o Brasil de escanteio. Enquanto Bolsonaro discursava, os governos dos Estados Unidos, Noruega e Reino Unido, lançaram o Leaf (folha em inglês), sigla para Lowering Emissions by Accelerating Forest Finance. Associados a grandes empresas (Unilever, Amazon, Airbnb, Bayer, Boston Consulting Group, GKS, McKinsey, Nestlé e Salesforce), os três países vão investir inicialmente 1 bilhão de dólares nas florestas tropicais (não apenas no Brasil) através de um fundo semelhante ao Fundo Amazônia - que paga pelos resultados obtidos por países e/ou governos locais na redução do desmatamento. Não era bem o que queria o ministro Ricardo Salles, que pretendia obter um cheque em branco para montar sua milícia ambiental. Essa boiada não é tão fácil de passar.

Por outro lado, se a iniciativa de Biden vingar no Brasil, não deixa de ser perturbadora a ideia de uma parceria na Amazônia com tubarões como a Bayer e a Unilever, fornecedoras de agrotóxicos, e a Nestlé, que também já trouxe muito estrago para a saúde e cultura dos brasileiros. A Amazon, além de acusada de monopólio nos Estados Unidos, é questionada na Europa por espionar políticos.
É mais do que urgente que a sociedade brasileira retome o controle do debate climático e exija transparência de governos e empresas. Como alertou Ailton Krenak no Roda Viva de segunda-feira passada: “O pensamento mágico de um escravo do capitalismo é tão fantástico que ele acredita que o capitalismo pode acabar com o mundo e criar outro”.

Agência Publica

Pernambuco deve receber novas doses de vacinas nesta sexta-feira




Durante coletiva de imprensa online do Governo de Pernambuco, nesta quinta-feira (22.04), o secretário estadual de Saúde, André Longo, informou a expectativa de recebimento, na manhã desta sexta-feira (23.04), de mais 142.150 doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 28.400 da Coronavac/Butantan e 113.750 da Astrazeneca/Fiocruz. Serão beneficiados com esses quantitativos os idosos a partir dos 60 e trabalhadores de força de segurança e salvamento, em ambas as doses; e trabalhadores de saúde (apenas 2º dose).

Sobre a nova remessa, o secretário ressaltou que em um planejamento anterior, Pernambuco deveria receber, apenas da Coronavac, em torno de 120 mil doses nesta semana, especificamente para a segunda aplicação. "Este é um fato que nos preocupa, e já solicitamos esclarecimentos ao Ministério da Saúde", frisou.

INFLUENZA - Além da vacinação contra a Covid-19, o secretário lembrou que está em curso a segunda semana da campanha contra a Influenza, outro vírus que provoca problemas respiratórios e pode levar à internação e ao óbito. "Por isso, a importância de buscar essa proteção, evitando adoecimentos e mais pressão no sistema de saúde", destacou. No momento, estão sendo vacinadas crianças de 6 meses a 5 anos, população indígenas de 6 meses a 8 anos, gestantes e puérperas.

Já foram aplicadas 98.469 doses da vacina contra a Influenza, o que representa 12% do total do insumo recebido. "Precisamos que a população procure os serviços para ser imunizada, e que os gestores municipais criem estratégias para que as vacinas cheguem às áreas de difícil acesso. A vacina é um direito e traz benefícios para toda a sociedade. Se protejam e nos ajudem a proteger nossas crianças”, disse Longo.

INDICADORES – Na análise de mais uma semana epidemiológica, o secretário estadual de Saúde ressaltou que, apesar da estabilidade alcançada, com leve viés de queda, Pernambuco continua com os indicadores da Covid-19 em patamares elevados, causando grande pressão sobre a rede de saúde. Até esta quinta (22.04), foram contabilizadas 3.218 pessoas internadas com o novo coronavírus nas redes pública e privada, sendo quase 2 mil em leitos de terapia intensiva.

O secretário também ressaltou, durante a análise, a importância das medidas restritivas e do apoio da população para Pernambuco superar a pandemia. “Como foi anunciado mais cedo pelo governador Paulo Câmara, o nosso comitê de enfrentamento decidiu manter as atuais restrições, com adequações mínimas, sem maiores avanços no Plano de Convivência. Reforço que, para que possamos ter menos medidas restritivas, menor pressão sobre a rede e menos vidas perdidas, é preciso que todos usem máscara, lavem as mãos e evitem as aglomerações. Nossas ações podem salvar vidas”, destacou.

NOVOS HORÁRIOS - A partir da próxima segunda-feira (26.04), o comércio dos bairros terá mais flexibilidade de funcionamento, desde que cumprido o limite de dez horas contínuas durante a semana, e de oito horas contínuas nos fins de semana. Na prática, as lojas desse perfil poderão abrir a partir das 8h, de segunda à sexta. As unidades que optarem por esse horário precisarão encerrar as atividades às 18h. Quem optar por abrir às 9h fechará às 19h. Já quem abrir às 10h terá que fechar às 20h. Nos fins de semana, o funcionamento poderá ocorrer até as 18h, mas só poderão funcionar até esse horário as lojas que abrirem às 10h. Portanto, quem abrir às 9h continuará encerrando a atividade às 17h, cumprindo o limite de oito horas de operação contínua.

A mudança de fim de semana também vale para escritórios corporativos, bares e restaurantes, que poderão escolher funcionar das 9h às 17h ou das 10h às 18h. Já para as academias, inclusive nas unidades localizadas dentro dos clubes sociais e esportivos, o funcionamento ganha uma hora no fim de semana e será estendido até as 18h, mantendo a abertura a partir das 5h. A medida também vale para igrejas.

A secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça, reforçou que o retorno do comércio de praia será exclusivamente de segunda à sexta, das 9 às 16h e continua proibido durante os fins de semana. “Precisamos fazer essa retomada de forma bastante cautelosa. Ontem, no feriado de Tiradentes, ainda vimos cenas de pessoas nas praias e parques praticando exercício sem o uso da máscara e aglomerando e não podemos permitir comportamentos desse tipo. Por isso que as atividades estão sendo retomadas de forma gradual, para que a gente observe o reflexo na saúde”, pontuou.

Pernambuco deve receber novas doses de vacinas nesta sexta-feira. Menos do que estava programado.

Secretário de Saúde também reforça campanha de vacinação contra a Influenza


Durante coletiva de imprensa online do Governo de Pernambuco, nesta quinta-feira (22.04), o secretário estadual de Saúde, André Longo, informou a expectativa de recebimento, na manhã desta sexta-feira (23.04), de mais 142.150 doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 28.400 da Coronavac/Butantan e 113.750 da Astrazeneca/Fiocruz. Serão beneficiados com esses quantitativos os idosos a partir dos 60 e trabalhadores de força de segurança e salvamento, em ambas as doses; e trabalhadores de saúde (apenas 2º dose).

Sobre a nova remessa, o secretário ressaltou que em um planejamento anterior, Pernambuco deveria receber, apenas da Coronavac, em torno de 120 mil doses nesta semana, especificamente para a segunda aplicação. "Este é um fato que nos preocupa, e já solicitamos esclarecimentos ao Ministério da Saúde", frisou.

INFLUENZA - Além da vacinação contra a Covid-19, o secretário lembrou que está em curso a segunda semana da campanha contra a Influenza, outro vírus que provoca problemas respiratórios e pode levar à internação e ao óbito. "Por isso, a importância de buscar essa proteção, evitando adoecimentos e mais pressão no sistema de saúde", destacou. No momento, estão sendo vacinadas crianças de 6 meses a 5 anos, população indígenas de 6 meses a 8 anos, gestantes e puérperas.

Já foram aplicadas 98.469 doses da vacina contra a Influenza, o que representa 12% do total do insumo recebido. "Precisamos que a população procure os serviços para ser imunizada, e que os gestores municipais criem estratégias para que as vacinas cheguem às áreas de difícil acesso. A vacina é um direito e traz benefícios para toda a sociedade. Se protejam e nos ajudem a proteger nossas crianças”, disse Longo.

INDICADORES – Na análise de mais uma semana epidemiológica, o secretário estadual de Saúde ressaltou que, apesar da estabilidade alcançada, com leve viés de queda, Pernambuco continua com os indicadores da Covid-19 em patamares elevados, causando grande pressão sobre a rede de saúde. Até esta quinta (22.04), foram contabilizadas 3.218 pessoas internadas com o novo coronavírus nas redes pública e privada, sendo quase 2 mil em leitos de terapia intensiva.

O secretário também ressaltou, durante a análise, a importância das medidas restritivas e do apoio da população para Pernambuco superar a pandemia. “Como foi anunciado mais cedo pelo governador Paulo Câmara, o nosso comitê de enfrentamento decidiu manter as atuais restrições, com adequações mínimas, sem maiores avanços no Plano de Convivência. Reforço que, para que possamos ter menos medidas restritivas, menor pressão sobre a rede e menos vidas perdidas, é preciso que todos usem máscara, lavem as mãos e evitem as aglomerações. Nossas ações podem salvar vidas”, destacou.

NOVOS HORÁRIOS - A partir da próxima segunda-feira (26.04), o comércio dos bairros terá mais flexibilidade de funcionamento, desde que cumprido o limite de dez horas contínuas durante a semana, e de oito horas contínuas nos fins de semana. Na prática, as lojas desse perfil poderão abrir a partir das 8h, de segunda à sexta. As unidades que optarem por esse horário precisarão encerrar as atividades às 18h. Quem optar por abrir às 9h fechará às 19h. Já quem abrir às 10h terá que fechar às 20h. Nos fins de semana, o funcionamento poderá ocorrer até as 18h, mas só poderão funcionar até esse horário as lojas que abrirem às 10h. Portanto, quem abrir às 9h continuará encerrando a atividade às 17h, cumprindo o limite de oito horas de operação contínua.

A mudança de fim de semana também vale para escritórios corporativos, bares e restaurantes, que poderão escolher funcionar das 9h às 17h ou das 10h às 18h. Já para as academias, inclusive nas unidades localizadas dentro dos clubes sociais e esportivos, o funcionamento ganha uma hora no fim de semana e será estendido até as 18h, mantendo a abertura a partir das 5h. A medida também vale para igrejas.

A secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça, reforçou que o retorno do comércio de praia será exclusivamente de segunda à sexta, das 9 às 16h e continua proibido durante os fins de semana. “Precisamos fazer essa retomada de forma bastante cautelosa. Ontem, no feriado de Tiradentes, ainda vimos cenas de pessoas nas praias e parques praticando exercício sem o uso da máscara e aglomerando e não podemos permitir comportamentos desse tipo. Por isso que as atividades estão sendo retomadas de forma gradual, para que a gente observe o reflexo na saúde”, pontuou.

Fotos: Heudes Regis/SEI

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.