PE CONTRA O CORONAVÍRUS

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Mortalidade acima da média

Coveiros do cemitério público Parque Tapana carregam o caixão de uma vítima de COVID-19 antes de enterrá-lo, em Belém, no estado do Pará -


Doze estados e o Distrito Federal têm uma média de óbitos em decorrência da Covid-19 por 100 mil habitantes acima da média nacional, que é de 168,7, segundo dados do Ministério da Saúde. São eles, pela ordem de mortalidade: Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Roraima, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Goiás, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Ceará e Santa Catarina. O índice do Amazonas, de 296,1, foi impulsionado pelas duas graves crises que levaram ao colapso no sistema de saúde local, além do fato de ter sido o estado onde foi identificada uma nova variante do vírus. 

Veja

Pernambuco renova compromisso com o Pacto Nacional pela Primeira Infância




Durante Seminário do Pacto Nacional pela Primeira Infância – Região Nordeste, o governador Paulo Câmara assinou, na manhã desta quinta-feira (15.04), o termo de adesão ao Pacto Nacional pela Primeira Infância, renovando o compromisso com a construção de políticas públicas e ações voltadas à primeira infância. O evento, realizado por videoconferência, foi conduzido pelo Ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), e é coordenado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em conjunto com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), como parte do projeto “Justiça começa na infância: fortalecendo a atuação do sistema de justiça na promoção de direitos para o desenvolvimento humano integral”.

“Ao aderir ao Pacto Nacional pela Primeira Infância, em 2021, o Governo de Pernambuco reafirma o compromisso de fortalecer as políticas públicas para crianças de zero a seis anos, com programas e ações importantes, como as que já vêm sendo executadas na gestão de maneira intersetorial. Essa é uma questão sobre a qual temos um olhar diferenciado, investindo recursos e apoiando projetos e ações”, afirmou Paulo Câmara.

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes, o Estado mantém, com esse posicionamento, a meta de atender diversas vertentes que apoiam esse tipo de projeto. “Podemos citar como exemplos o Mãe Coruja, Olhar para as Diferenças, Minha Certidão, Criança Alfabetizada, Criança Feliz, entre outros programas que atuam em áreas diversas, sempre no apoio à primeira infância”, ressaltou Guedes.

Durante o Seminário, Pernambuco apresentou duas iniciativas nos workshops: o Mãe Coruja Pernambucana, exposto pela diretora geral de Políticas Estratégicas do programa, Ana Sofia Costa, e o Criança Alfabetizada, explanado pela secretária executiva de Desenvolvimento da Educação, Ana Selva.

Em Pernambuco, as ações propostas pelo Pacto Nacional pela Primeira Infância são acompanhadas pelo Comitê Intersetorial de Políticas Públicas para a Primeira Infância, formado pelo Gabinete de Projetos Estratégicos; Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação; Secretaria de Cultura; Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude; Secretaria de Educação e Esportes; Secretaria de Justiça e Direitos Humanos; Secretaria de Planejamento e Gestão; Secretaria de Saúde; Secretaria de Turismo e Lazer; Gabinete do Governador; e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente.

CRIANÇA ALFABETIZADA – Coordenado pela Secretaria de Educação e Esportes, é o maior programa de alfabetização da história do Estado. Com investimentos da ordem de R$ 50 milhões, a iniciativa apoia todos os 184 municípios pernambucanos na busca pela alfabetização das crianças que estudam na rede pública, garantindo, além da maior aprendizagem, o acesso a oportunidades e a um futuro melhor.

Os municípios recebem material complementar e de apoio pedagógico para a alfabetização, entregues pelo Estado, beneficiando estudantes do 1º e 2º anos do ensino fundamental. Também promove formação continuada para todos os gestores escolares, coordenadores pedagógicos e professores que atuam na pré-escola e alfabetização, contemplando mais de 23 mil servidores formados.

MÃE CORUJA – Oferece apoio às mães pernambucanas, antes e depois do nascimento de seus filhos, com atenção integral às gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) e aos seus bebês, garantindo a eles um desenvolvimento saudável e harmonioso durante os primeiros anos de vida. Implantado em 2007, tornou-se política pública de Estado com a Lei nº 13.959, de 2009. Hoje, o Mãe Coruja está presente em 105 municípios pernambucanos, nas 12 Regionais de Saúde do Estado, com gestão municipal no Recife e Ipojuca. É considerado um dos programas sociais brasileiros de referência na área materno-infantil, sendo reconhecido e premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Organização dos Estados Americanos (OEA) como modelo de gestão de política pública.

O Programa Mãe Coruja Pernambucana desenvolve ainda outras ações voltadas para a promoção da Primeira Infância. Entre elas, a articulação da rede para garantia de direitos; o acompanhamento de gestantes e das crianças; o estímulo ao desenvolvimento infantil; a busca ativa de famílias em situação de vulnerabilidade; a oferta de cursos de qualificação profissional (Qualifica Mãe Coruja) para as gestantes, mães e famílias; a realização de oficinas de segurança alimentar e nutricional; o acesso ao programa Leite de Todos; assim como eventos de cultura, como o “Brincando na Minha Cidade” e o “Cultura nos Cantos”.

Garanhuns já aplicou mais de 20 mil vacinas contra a Covid-19

 20 MIL DOSES APLICADAS_LUCAS MONTEIROS.jpeg


O município de Garanhuns alcançou, nesta terça-feira (13), o número de 20 mil vacinas contra a Covid-19 aplicadas. O total contempla as primeiras e segundas doses, que foram destinadas para idosos com mais de 65 anos, trabalhadores da saúde, povos tradicionais quilombolas, idosos em instituições de longa permanência e profissionais das forças armadas, de segurança e salvamento.

O indicador alcançado pela Secretaria Municipal de Saúde reflete um cenário importante no combate à Covid-19, garantindo a imunização de milhares de garanhuenses que já estão recebendo a segunda dose da vacina. “Nossa equipe segue comprometida em garantir a vacinação de todos os garanhuenses, com segurança e eficiência. São esforços contínuos, no objetivo de diminuir os casos da Covid-19 no município”, pontuou o prefeito Sivaldo Albino.

Atualmente, mais de 56% dos idosos de 65 a 69 anos já foram vacinados com a primeira dose contra a Covid-19. Outros sete pontos de vacinação seguem aplicando as segundas doses para os idosos de 70 a 84 anos. A população de 85 anos será vacinada em domicílio, de acordo com a data indicada no comprovante de vacinação entregue após a primeira dose.

Com o intuito de garantir que as vacinas cheguem de forma mais ágil até a população, a Secretaria de Saúde definiu um esquema de logística, ampliando o número de pontos de vacinação na cidade. “Aumentamos o número de profissionais atuando na campanha, assegurando que a vacinação aconteça também durante os fins de semana nos pontos de drive-thru da cidade”, destaca a secretária de Saúde, Catarina Tenório.

Forças de segurança e salvamento – Teve início na última semana a vacinação das forças de segurança e salvamento. Já foram contemplados os profissionais que integram as categorias de bombeiros militares e policiais civis. O público está sendo vacinado nos seus respectivos locais de trabalho, de acordo com o envio de doses e relação da Secretaria de Defesa Social (SDS).

Povos e comunidades tradicionais quilombolas – Ao todo, 2230 primeiras doses foram aplicadas nas comunidades tradicionais quilombolas. Para garantir a vacinação do grupo, a Secretaria de Saúde deslocou equipes volantes e definiu pontos estratégicos nas sete comunidades quilombolas do município; contemplando o público de idosos, jovens e adultos quilombolas.



Texto: Aquilles Soares
Arte: Lucas Monteiro
Fotos: Thomas Ravelly

Veículos em situação de abandono serão recolhidos das ruas de Garanhuns

 


A Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes tem implementado ações que visam dar maior fluidez ao trânsito em Garanhuns, levando em conta a quantidade de veículos em estado de deterioração no munícipio.
O proprietário do veículo que abandonar ou estacionar o seu veículo infringindo o decreto terá o automóvel removido pelo órgão de fiscalização.

De acordo com o decreto 22/2016, Art. 2°, são considerados abandonados ou em situações que considerem a prática, veículos que que estiverem com vidros quebrados ou com avarias nas portas, que permita acesso de pessoas, sem obstrução e que estejam sem funcionamento e movimento, gerando acúmulo de lixo e/ou mato sob ele ou em seu entorno.

Para reclamações sobre abandono ou estacionamento de veículos em situação que caracterize abandono nas vias públicas deverão ser encaminhadas à Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes – AMSTT para análise da situação e providências cabíveis.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.