GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

terça-feira, 23 de junho de 2020

A Solidão da Velhice e a Páscoa no Macapá

Trago esta publicação de 22 de abril de 2014 de novo ao blog, em memória de Ayrton Diógenes. Não sei por qual motivo as fotos na época não estavam mais disponíveis aqui, mas vale pelo registro do que escrevemos à época. Achei esta foto de Ayrton, que tiramos naquela viagem, e passa a ilustrar este post.Acabou sendo melhor, pois tem sua família, que se despediu hoje do gordo.

Severino Albino Filho, Tia Nita, Ayrton Diógenes, D. Cenira, José Aracy (Tota) e tia Deny




Uma frase dita por Ivan Rodrigues na solenidade que devolveu os diplomas a suplentes de vereadores cassados durante a Ditadura em Garanhuns me marcou muito, e senti necessidade de trazê-la para vocês. 

O próprio presidente da Casa Legislativa, vereador Audálio Filho, afirmou que precisou recorrer a Ivan Rodrigues para que ele desse algumas informações sobre fatos e pessoas da época, no caso, aquele longíquo 1964.

Em seu discurso, Ivan falou brincando com um toque de nostalgia que tem sido chamado pra todo evento que precise de informações históricas, inclusive lembrou que é o único remanescente dos que estavam no Palácio do Campo das Princesas, quando Arraes deixou o governo sob a força militar.

Ivan: "Sinto a solidão da velhice. Não a solidão de falta de amigos ao redor, pois tenho muitos, e são próximos. Mas amigos de outras gerações, que foram morrendo e já não posso revê-los".
-x-x-x-

Com Wellington Ferreira e Ayrton
Estamos (eu e Sonita) nos despedindo do Macapá, onde visitamos amigos e familiares. Levamos, além das lembranças, a vontade de retornar.

Tio Ayrton Diógenes é sempre uma companhia cheia de histórias. Não tem a idade de Dr. Ivan, mas tem prosas tanto quanto.

Pergunta-me ele por muitos amigos que tem em Garanhuns e região. De vez em quando flagra-se perguntando: Fulano de tal ainda é vivo?

Além dos seus 74 anos (com saúde em dia, embora com o sobrepeso que tem desde que o conheço, há quase 25 anos) tem ainda a distância, que o impede das notícias cotidianas. Busca estar atualizado pelos amigos e parentes. Foi um dos que receberam o diploma da Câmara Municipal, e se estivesse na solenidade, talvez tivesse diminuído a solidão que Ivan afirmou sentir.

Falaram-se estes dias, pois além do prazer da leitura e da companhia dos amigos, têm a militância política ainda na ordem do dia, com os olhos voltados para a campanha de Eduardo Campos.

Como eu disse, deixo o Macapá nesta terça-feira, após uma Páscoa inesquecível, já carregado na bagagem com as saudades deste povo nosso, que atravessou meio país em busca de uma vida melhor. Conhecer o Amapá é necessário para quem quiser entender o Brasil. Pela primeira vez vi o Rio Amazonas, incrível! Curti sua orla. Desfrutei de frutas e pratos da região, gostei da Mujica, mais ou menos da Maniçoba e não me ofereçam Tacacá. Gostei do Taperebá e do Rambutan. Açaí e Cupuaçu já são conhecidas de todos.

Obrigado Tia Nita, Tota, Albino, Claudia, Mara, Sandro, Elizângela, Ito, Flávia, Letícia, Wellington, Nell, primas e primos, novos amigos como o Jucicleber, e em especial a Ayrton Diógenes, que Deus deu a felicidade de tantos amigos e familiares ao seu redor! 

D. Cenira e Tia Deny ficam por aqui mais alguns dias.

DESTAQUES DO BLOG

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.