GOVERNO DO ESTADO

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Educação técnica cresce 200% em Pernambuco nos últimos sete anos‏



Entre 2007 e outubro de 2013, período da gestão Eduardo Campos, o número de escolas técnicas (ETEs) saltou de seis para 20, o que representa um crescimento superior a 200%. Até 2014, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação, pretende atingir a marca de 40 escolas técnicas entregues à população da Região Metropolitana do Recife ao Sertão, oferecendo 33 cursos. Os municípios de Camaragibe, Bonito, Gravatá, Santa Cruz do Capibaribe e São José do Egito serão as próximos a terem unidades inauguradas. A estas, somam-se as de São Lourenço da Mata, Arcoverde, Buíque, São Bento do Una e Recife, que já tiveram as ordens de serviços para o início das obras assinadas. Cada ETE tem capacidade para receber 1,2 mil alunos.

Desde 2007, Pernambuco investiu na estruturação da rede de educação técnica e tecnológica profissional nas diversas regiões de desenvolvimento, adequando-a às vocações e às necessidades locais e regionais, com mapeamento da mão de obra demandada e atendimento através de formação profissionalizante. Dentro da política de ampliação de vagas no ensino técnico, com foco na interiorização das unidades escolares, este ano a rede de escolas técnicas registrou 13.609 matrículas, número 1.014% superior ao ano de 2006, quando houve apenas 1.341 matrículas, na modalidade presencial. No ensino técnico a distância, são quase 8 mil matrículas.

As vinte escolas técnicas já em funcionamento estão beneficiando mais de 15 mil estudantes, nas modalidades presencial e a distância. Sendo 13,6 mil alunos frequentando regularmente as salas de aula. As últimas inaugurações ocorreram em Bezerros e Lajedo, no Agreste, e em Araripina e Carnaíba, no Sertão. Apenas a unidade de Bezerros possui 12 mil metros quadrados, dos quais seis mil são de área construída. Os investimentos foram de R$ 8,2 milhões. Com a iniciativa, além de Bezerros, serão beneficiados estudantes de 12 municípios vizinhos, entre eles Barra de Guabiraba, Bonito, Camocim de São Félix, Chã de Alegria, Chã Grande, Escada, Glória de Goitá, Gravatá, Pombos, Sairé, São Joaquim do Monte e Vitória de Santo Antão. 

De acordo com o secretário de Educação, Ricardo Dantas, Pernambuco vive um momento econômico diferenciado, estando na era do desenvolvimento e, por isso, é necessário qualificar os jovens para o mercado que se abre na capital e no interior. “Com isso, os jovens poderão usufruir das oportunidades geradas pelo bom momento que o Estado atravessa, sendo importante registrar que nossas escolas técnicas oferecem cursos técnicos respeitando os arranjos produtivos das regiões em que estão inseridas, proporcionando aos moradores dessas localidades a oportunidade de permanecer em seu município e se especializar naquilo que já faz parte da sua vocação econômica”, destacou.

Infraestrutura – As ETEs são projetadas com dois pavimentos, abrigando 12 salas de aula, seis laboratórios – informática, língua estrangeira, química, física, biologia e matemática –, além de outros dois laboratórios para cursos técnicos, auditório, quadra poliesportiva coberta, refeitório, cantina e área de convivência.

Embora sejam construídas apenas em cidades com mais de 40 mil habitantes, as escolas técnicas estaduais atendem os municípios vizinhos, gerando uma rede de conhecimento técnico que beneficia inúmeros municípios em todas as regiões de desenvolvimento do Estado. Entre os principais cursos ofertados estão: biblioteca, logística, serviços de restaurante e bar, recursos humanos, administração, informática e segurança do trabalho, apenas na modalidade a distância.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.