GOVERNO DO ESTADO

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Auxílio de 400 reais é hoje única chance para Bolsonaro escapar das cordas




O ministro da Economia, Paulo Guedes, perdeu o braço-de-ferro com o Centrão em relação ao Auxílio Brasil. Parlamentares ligados ao bloco já haviam alertado Bolsonaro, em maio, de que ele seria derrotado nas urnas no ano que vem caso não turbinasse o auxílio emergencial para, pelo menos, R$ 400

Segundo a colunista Thaís Oyama, Guedes saiu perdendo porque não conseguiu recuperar a economia e porque Bolsonaro corre o risco de perder o pleito em 2022.

Hoje, o presidente tem alto índice de rejeição e pode, inclusive, cair ainda mais nas pesquisas caso eleitores antipetistas percebam que Bolsonaro não reúne condições para vencer Lula.

Ontem, a ameaça de rompimento do teto de gastos para ampliar o valor e o alcance do Bolsa Família derrubou a Bolsa e fez aumentar o dólar. O temor do mercado é de que a medida provoque o descontrole da inflação, com o consequente aumento dos juros e a piora do desemprego.

Se a perspectiva é ruim para o Brasil, para Bolsonaro tampouco configura garantia de melhora de popularidade. O investimento nos votos das classes D e E, fortemente ligadas a Lula, é medida arriscada e de retorno incerto. Mas, para Oyama, por enquanto, é a única que ele tem.

Direitos do Autor

Copyright 2014 – RONALDO CESAR CARVALHO – Para a reprodução de artigos originais assinados pelo autor deste blog em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso,é exigida a exibição do link da postagem original ou do blog.